Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on telegram

Ficar com raiva durante meia hora por dia é bom para a saúde, revela estudo de universidade

Sentir raiva é bom para saúde?

Sentir um pouco de raiva, por incrível que pareça, pode ser benéfico para a saúde.

Se alguém lhe dissesse que ficar com raiva, todos os dias, é bom para a saúde, você acreditaria?

Parece mentira, mas não é, não!

É certo que a ira (raiva) é um dos sete pecados capitais, mas em pequenas doses, ela não apenas é bastante perdoável, como também muito benéfica para a saúde.

Hoje, com o ritmo frenético, o estresse e as situações a que estamos sujeitos, o que não faltam são motivos para perdermos a paciência e sentirmos raiva.

E é por isso, principalmente, que tentamos ao máximo reprimir, administrar e controlar a raiva e não permitir que as outras pessoas percebam.

No entanto, um estudo recente parece ter descoberto alguns resultados surpreendentes que podem mudar esse jogo.

Na pesquisa, realizada por cientistas da Universidade Autônoma do México (UNAM), as qualidades benéficas da raiva são reconhecidas, desde que essa raiva seja restringida a não mais do que meia hora por dia.

É que dentro, desse período de tempo, as reações bioquímicas do organismo são positivas para a saúde humana.

Quando uma pessoa chega ao seu “ponto de ebulição”, que neste caso pode durar até 30 minutos, as ondas cerebrais são estimuladas, o corpo produz dopamina e norepinefrina e aumenta a frequência cardíaca e a pressão sanguínea.

Na prática, é muito parecido com um treino de cárdio, que alivia a tensão e libera neurotransmissores e hormônios benéficos.

Sensacional, não é?!

Em média, a capacidade ou a tendência para ficar com raiva é mais forte em uma idade mais jovem, e vai caindo significativamente após 35-40 anos de idade, porque o indivíduo aprende a ter mais autocontrole e é mais seletivo sobre o que realmente o irrita.

Outro fato interessante tem a ver com a expressão “cólera cega”.

Neste estado de alteração, uma pessoa só quer estar certa, sendo inútil tentar fazer com que ela se acalme. 

Em poucas palavras: ficar com raiva pode ser uma excelente válvula de segurança, certamente melhor do que a reação implosiva daqueles que não demonstram raiva alguma e mantêm tudo dentro de si. 

Mas atenção, aí vai um recado muito importante: o segredo é tentar não deixar que a raiva se prolongue por mais de 30 minutos, nem se torne um estado de ansiedade constante.

Neste caso, as mesmas substâncias que o corpo libera que fornecem explosões de energia em um período de tempo limitado tornam-se um risco para a saúde, permanecendo na circulação sanguínea por longos períodos de tempo.

Como na maioria dos casos, a chave para tudo é o equilíbrio e a moderação.

Então, sentir um pouco de raiva é bom.

Só não vale deixar que ela se transforme em doença. 

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email

DEIXE SEU COMENTÁRIO

VEJA TAMBÉM