Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on telegram

Uso de celular e computador pode causar sintomas de TDAH, revela pesquisa

Você conhece algum adolescente que é muito agitado, impulsivo e se distrai facilmente?

E ele gosta de ficar muitas horas em frente às telas do computador e smartphones?

Fique atento, pois ele pode ter Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH).

E pior: o uso excessivo de tecnologias digitais pode, sim, aumentar de maneira significativa os comportamentos relacionados com o TDAH.

É o que descobriram cientistas da Universidade do Sul da Califórnia (USC) em recente estudo intitulado "Associação de Uso de Mídia Digital com Sintomas Subsequentes de Transtorno de Déficit de Atenção / Hiperatividade entre Adolescentes".

Embora esse não seja o caso de todos, muitas pessoas sentem que sua atenção foi reduzida, possivelmente em relação ao uso crescente de mídia digital.
 
Para quem ainda não conhece, o TDAH, que atinge entre 3 e 6% da população mundial, segundo a comunidade médica e científica brasileira, é uma doença neuropsiquiátrica crônica, que se inicia na infância, mas que pode acompanhar o indivíduo ao longo de seu desenvolvimento.

Muitos adolescentes e adultos deixam de manifestar os sintomas do TDAH naturalmente, mas cerca de 50% das pessoas com o transtorno continuam manifestando os sintomas do TDAH ao longo da vida adulta.

Os três principais sintomas são desatenção; hiperatividade e impulsividade.

Eles podem se dar em conjunto ou separadamente, dependendo do momento de vida de cada um.

Adam Leventhal, professor de medicina preventiva e psicologia da Keck School of Medicina da USC e principal autor do estudo, explica que “o que há de novo é que estudos anteriores sobre esse assunto foram feitos há muitos anos, quando mídias sociais, telefones celulares, tablets e aplicativos móveis não existiam. Novas tecnologias móveis podem fornecer estimulação rápida e de alta intensidade, acessível o dia todo, o que aumentou a exposição à mídia digital muito além do que foi estudado antes”.

Um total de 2.600 adolescentes (15 ou 16 anos) de Los Angeles foram acompanhados durante dois anos, de 2014 a 2016.

A equipe de pesquisa monitorou as atividades de mídia digital e os potenciais sintomas de TDAH.

Cura pela Natureza

CURA PELA NATUREZA – LEIA AQUI AS ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Quatorze atividades, incluindo redes sociais, mensagens de texto, compras on-line, bate-papo por vídeo, streaming de vídeos ou música e leitura de conteúdo on-line foram levadas em conta.

Dos 114 alunos que participaram da metade dessas atividades, 9,5% relataram sintomas de TDAH.

Mas o número subiu para 10,5% entre aqueles que participaram de todas as 14 atividades.

Por outro lado, entre os 495 estudantes que não eram usuários frequentes de qualquer atividade digital, apenas 4,6% relataram sintomas de TDAH.

As associações observadas foram "persistentes durante todo o período de acompanhamento", segundo Leventhal.

Apesar de não poder provar que aparelhos como celular, tablet e computador causaram os transtornos, a pesquisa mostrou uma associação estatisticamente significativa e “pode-se dizer com segurança que os adolescentes que estiveram expostos a maiores níveis de consumo de meios digitais são significativamente mais propensos a desenvolver sintomas de TDAH no futuro”, acrescentou o chefe da pesquisa.

MAS ATENÇÃO:  nem toda criança, adolescente e adulto que apresentam sinais de agitação (hiperatividade), desatenção e/ou impulsividade tem TDAH.

Realizar o diagnóstico correto é fundamental para garantir um melhor tratamento e qualidade de vida de quem tem o transtorno.  

Este é um blog de notícias sobre tratamentos caseiros. Ele não substitui um especialista. Consulte sempre seu médico.

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email

DEIXE SEU COMENTÁRIO