- PUBLICIDADE -

Compartilhar no facebook
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

Tratamentos naturais para acabar com o mau hálito e as bolinhas malcheirosas da boca

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Com boas práticas de higiene bucal e tratamentos naturais incluídos na sua rotina, você ficará livre do mau hálito.

A situação que trataremos a seguir é constrangedora, porém bastante comum e pode acontecer com qualquer pessoa.

Estamos falando de quem sofre com aquele odor ruim que sai da boca, o mau hálito, ou halitose como é chamado na medicina.

Segundo a Associação Brasileira de Halitose (ABHA), aproximadamente 30% da população brasileira sofre com esse problema.

Isso ocorre porque restos de alimentos ficam presos entre os dentes e gengiva.

Devido ao acúmulo desses resíduos, as bactérias presentes na boca dissolvem as partículas de alimentos, liberando assim o forte odor.

[SIGA O CANAL DO CURA PELA NATUREZA NO TELEGRAM]

No entanto, o mau hálito não se limita somente a essas causas.

Existem outras, entre as quais podemos citar:

  • Saburra lingual (camada branco-amarelada que fica na superfície da língua) 
  • Cárie
  • Periodontite
  • Gengivite
  • Boca seca
  • Insuficiência renal e hepática
  • Diabetes descontrolada
  • Infecções dos brônquios e pulmões
  • Estresse
  • Refluxo gastroesofágico
  • Infecções na garganta ou no nariz
  • Baixo consumo de água
  • Comidas com odor forte, como alho e cebola 
  • Consumo de bebida alcoólica

Além da halitose (mau hálito), outro problema que causa o mau odor é os cáseos amigdalianos.

Trata-se daquelas bolinhas esbranquiçadas ou amareladas que, ao tossir, espirrar ou engolir a saliva, se desprendem das amígdalas com um cheiro forte.

Em geral, quem tem mau hálito não sente, pois o olfato se adapta de forma rápida a qualquer odor constante. 

Por isso, recomenda-se ficar atento aos sintomas como paladar alterado, sensação de boca seca e sangramentos na gengiva. 

Outra maneira de descobrir se tem ou não mau hálito, é cobrir sua boca e nariz com a mão, exalar e sentir o hálito. 

Ao presenciar esses sinais, procure um dentista para que ele meça a intensidade do hálito e identifique as causas.

Se você sente que sofre com este problema e busca uma maneira natural de eliminar o mau cheiro da sua boca, fique atento às dicas abaixo.

Com boas práticas de higiene bucal e tratamentos naturais incluídos na sua rotina, você ficará livre do mau hálito.

Fio dental

Usar o fio dental diariamente é essencial para prevenir o mau hálito.

Ele remove a placa bacteriana e os alimentos dos lugares onde a escova não alcança.

Escovar os dentes e a língua

Escovar os dentes previne contra cáries, placa e tártaro, além de remover os restos de comida.

Desse modo, uma boa escovação impede o alojamento de bactérias e a formação do mau hálito.

Portanto, após cada refeição é obrigatório escovar bem os dentes.

Use de preferência uma escova de cerdas macias para não danificar o esmalte dos dentes e a gengiva.

Além disso, muitas pessoas se esquecem de escovar a língua, porém é fundamental mantê-la limpa.

Você pode usar um limpador de língua que pode ser encontrado em farmácias e supermercados.

Existem vários tipos de limpadores, como plástico e metal.

Porém, recomenda-se usar um de plástico, pois o metal poderá causar ferimentos na hora de raspar as impurezas da língua.

Caso não tenha ou não encontre um limpador, utilize a própria escova de dente.

Geralmente, forma-se uma camada branca sobre a língua, e isso é sinal de um crescimento excessivo de fungos e bactérias na boca.

Por isso, higienize bem a sua língua com o limpador ou escova, removendo todos os resíduos e deixando-a “vermelhinha”.

Cravo-da-índia

Após fazer a higiene bucal com fio dental, escovar os dentes e limpar a língua, você pode mastigar cravo-da-índia durante o dia.

Coloque um cravo em sua boca, mastigue e deixe purificar, para liberar um hálito fresco e sem odor.

Faça esse processo a cada duas horas enquanto estiver no tratamento, depois que se livrar do mau hálito não precisa mais.

O cravo-da-índia contém propriedades antissépticas e antibacterianas, que ajudam a eliminar as bactérias que causam o mau hálito.

Inclusive, a Associação Brasileira de Halitose (ABHA) recomenda o uso do cravo-da-índia em uma ação inicial, porém sem excesso.

Água oxigenada

A água oxigenada é antisséptica e, segundo o Centers for Disease Control (CDC), mata leveduras, fungos, bactérias, vírus e esporos de fungos. 

Porém, existem concentrações específicas para usá-la com segurança, além de um tempo determinado.

Após a higienização noturna, faça gargarejo com água oxigenada para eliminar as impurezas da sua boca. 

Dilua uma colher (sopa) de água oxigenada volume 10 em um copo de água potável e faça gargarejos.

Faça esse tratamento por um curto período, uma ou duas semanas, pois em excesso faz mal.

Entretanto, na quantidade correta, a água oxigenada é excelente para ajudar acabar com o mau hálito.

Vinagre de maçã e sal

Coloque uma colher (sopa) em um copo de água morna, uma pitada de sal, misture e faça gargarejos à noite.

O vinagre de maçã possui propriedades antibacteriana, fungicida e anti-inflamatória que ajudam a controlar o pH da boca, eliminando as bactérias.

O sal também ajuda a reduzir as bactérias que causam o mau hálito.

Enquanto a água morna vai limpando, desobstruindo e amolecendo as bolinhas brancas presentes nas amígdalas, os cáseos amigdalianos.

Limão e extrato de própolis

O limão tem poder adstringente e bactericida, ajudando a combater as bactérias da boca.

O extrato de própolis é anti-inflamatório e antimicrobiano, ajudando a combater as bactérias que causam o mau hálito.

Além disso, deixa uma sensação de refrescância na boca e auxilia no tratamento de infecções na garganta.

Coloque o suco de limão em meio copo de água (100 ml) e adicione 20 gotas do extrato de própolis.

Faça o gargarejo após a higienização bucal.

Dicas e cuidados:

Após o gargarejo (com qualquer uma das receitas acima), utilize o enxaguante bucal de sua preferência.

Ele ajuda a evitar as placas bacterianas, previne o tártaro, evita a gengivite e cárie, favorece a limpeza da língua e refresca o hálito.

Além disso, não fique de estômago vazio por muito tempo, pois pode levar à hipoglicemia, que é a queda de açúcar no sangue. 

Quando isso ocorre, o organismo começa a queimar gordura para manter a glicose e a energia necessária para se manter ativo.

Porém, essa queima de gordura produz ácidos graxos que acabam escapando durante as trocas gasosas nos pulmões.

Desse modo, acaba comprometendo a qualidade do hálito, causando a sensação de boca amarga.

Procure também consumir bastante água, pois a falta de líquido diminui o fluxo salivar.

Com isso, provoca o aumento de alimentos entre os dentes, aumentando a proliferação de bactérias e o desenvolvimento de cárie e halitose.

Por fim, vá ao dentista regularmente.

Importante: 

Como já citado, quem tem mau hálito não sente, mas nem por isso você precisa falar para a pessoa que ela está com mau cheiro na boca.

Isso, além de deselegante, poderá causar constrangimento e deixá-la envergonhada. 

Por isso, a melhor maneira de ajudá-la a descobrir é compartilhando com ela esse texto.

Assim ela fará o teste para saber se está ou não com mau hálito e já vai aproveitar os tratamentos que ensinamos aqui.

Mais Lidas