Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on telegram

Tratamento natural de lúpus eritematoso sistêmico, artrite reumatoide e síndrome de Sjögren

Apresento aos leitores o processo de cura natural de Catarina, constante no blog


Ela se tratou dois anos e meio com drogas pesadas, MTX, quimioterápicos, reuquinol, cortisona, anti-inflamatórios, pulsoterapia, e só piorava, tendo efeitos colaterais terríveis, indo parar na cadeira de rodas, ficando quase cega, perdendo cabelo e dentes, chegando à beira da morte, permanecendo no oxigênio grande parte do dia, pois já não conseguia respirar e recuperar seu fôlego sozinha. E só melhorou e se curou após iniciar o tratamento com a dieta restritiva e a retirada de todos os medicamentos, com acompanhamento de um médico contra o uso indiscriminado de drogas.

Quando ela estava praticamente inválida, demonstrou vontade de seguir uma nova linha de tratamento, tentando nutrir seu corpo com uma alimentação mais adequada, com o consumo de frutas, eliminação de gorduras saturadas e dos alimentos proibidos, chamados de pró-inflamatórios, que são fontes de energia para os processos inflamatórios no organismo.

Tratamento que Catarina fez

Primeira etapa: Dieta alimentar (dieta autoimune) eliminando radicalmente determinados grupos de alimentos. 

Segunda etapa: Diminuição dos remédios até parar totalmente em três semanas (acompanhada pelo reumatologista e de acordo com seus exames).

Terceira etapa: Durante doze meses, lutou contra a abstinência das drogas, tendo febre e dores, tomando banhos tépidos quando sua temperatura passava de 37,8 e seguindo a dieta, como faz até hoje. Nas articulações, fez a terapia do sal, com a colocação de bolsas de sal nas articulações e nos focos de dor, durante doze meses.

Quarta etapa: Mesmo com dores e muito debilitada, iniciou atividade física com fisioterapeutas (parte vital para o sucesso do tratamento e a saída definitiva da cadeira de rodas).

E a doença dela desapareceu totalmente em um ano de tratamento. Foi muito difícil, porem não impossível.

A retirada de certos alimentos, somada à auto-hemoterapia, à suplementação e ao FAO, possibilitou a remoção de todas as drogas e o desaparecimento de todos os sintomas de Catarina. Ela levantou da cadeira de rodas após ter tido indicação de prótese de joelho e quadril. Hoje ela anda, corre, sobe e desce escadas, vai à praia, faz musculação na academia e seus exames de imagem dos ossos demonstram 7% de ganho de massa óssea e uma normalidade total funcional.

Catarina faz auto-hemoterapia, toma magnésio e faz uso de Ascaridil duas vezes por semana.

Novas pesquisas demonstram que a possível causa real do lúpus sistêmico e da artrite reumatoide é o vírus do herpes em algumas de suas onze variações. Porém, se isso for provado, o tratamento com imunosupressores seria totalmente contraindicado e perigoso, uma vez que teoricamente tornaria o vírus sistêmico e mais forte no organismo. Por outro lado, a indústria farmacêutica e os médicos perderiam muitos pacientes crônicos, e perderiam muito dinheiro, por esse motivo dificilmente se provará de fato alguma coisa, mesmo com tantas evidências concretas de artrites virais e lúpus like.


Dieta feita por Catarina

Produtos proibidos – alimentos com alta capacidade inflamatória, pró-inflamatórios

Margarina e derivados, amanteigados, doces, etc.
Leite, iogurte e qualquer coisa que leve leite e seus derivados, manteiga, queijo de nenhum tipo, etc.
Trigo e seus derivados, pizza, bolos, pães, etc.
Milho e seus derivados.
Óleo aquecido, qualquer alimento feito com óleo ou aquecido (saturado).
Nenhum tipo de óleo e tudo que leve óleo na receita.
Tomate e tudo que leve esse vegetal.
Ajinomoto – glutamato monossódico.
Açúcar e tudo que leve açúcar.
Adoçante e tudo que leve adoçante, todos eles.
Carne vermelha e tudo que leve carne vermelha.
Batata inglesa e tudo que leve batata inglesa.
Mel e qualquer coisa que leve mel.
Açafrão, beterraba, berinjela, pimentão.
Açúcar mascavo e melado são totalmente proibidos, só é permitido frutose, e com moderação.
Bebidas alcoólicas, tabagismo, cigarro, charuto, cigarrilhas, etc.
Amêndoas, amendoins e derivados.
Cana-de-açúcar e todos os seus derivados, rapadura, açucar mascavo, etc.
Alimentos industrializados: leite de soja em caixinha, suco em caixinha.

IMPORTANTE: Essa dieta, quando feita de forma errada ou parcialmente sem seriedade, não surte efeito, pois apenas uma bala fora da dieta destrói todo um trabalho de seis meses.

O feijão, arroz, macarrão de arroz, abobrinha, peixes, frango e todos os alimentos em sua preparação não podem em hipótese alguma conter uma gota de óleo sequer, e parece quase impossível cozinhar assim, mais se aprende com o tempo.

Outra coisa que Catarina faz é evitar ficar mais de duas horas sem comer. Ela coloca na geladeira várias frutas picadinhas em vários pratinhos, cenoura inteira lavada para comer crua, isso para ir comendo durante o dia. Toma vários sucos de frutas sem adoçar, tenta comer bastantes legumes, folhas e verduras cruas; na hora do almoço e jantar tem sempre que possível salada com cebola picadinha crua, alho picadinho cru, folhas de manjericão, cebolinha, coentro, salsinha, espinafre, brócolis, agrião, etc.

Observação: Todos os alimentos que for possível comer orgânicos são melhores para a saúde. É proibido qualquer produto industrializado, com corantes, acidulantes, estabilizantes, conservantes.

Alimentos sugeridos pelo médico: frango, peixe, frutos do mar (feitos na chapa, secos, sem nenhuma gota de óleo, só com algumas gotas de água, para não torrar; a aparência e o sabor melhoram com uma salpicada de sal, frutose e pó de urucum durante o cozimento), ovo caipira, cebola, alho, legumes, verduras, muitas frutas, castanhas, noz, azeite extravirgem (sem aquecer, cru, não tem problema), frutas secas in natura, banana-passa, figo, ameixa, etc., leite de soja natural em pó, diluído em água ou suco, nunca industrializado, frutose no lugar do açúcar e do adoçante, arroz, feijão (feitos sem nenhuma gota de óleo), água de coco, mandioca e seus derivados, batata-doce, aveia, pasta de soja natural, bolacha de arroz (é importante sempre conferir nos rótulos se não contém algo da lista produtos proibidos).

Todos os alimentos são permitidos, exceto os da lista produtos proibidos.

Ela toma dois litros de água pura por dia – mineral, sem cloro nem flúor.

Complementos alimentares que ela toma

1000 miligramas de vitamina C pura, feita em farmácia de manipulação, sem corantes nem arginina, sendo dois comprimidos de 500 miligramas, um quinze minutos antes do almoço e o outro quinze minutos antes do jantar.

1000 miligramas de L-lisina, sendo dois comprimidos de 500 miligramas, um quinze minutos antes do almoço e o outro quinze minutos antes do jantar.

Glucosamina, condroitina, entre outros.

Um comprimido de 1000 miligramas de ômega-3 junto com o almoço.

Um comprimido de 1000 miligramas de ômega-3 junto com o jantar.

Sua saúde geral e a circulação sanguínea melhoraram muito com esse complemento.

Terapia do sal – uso tópico

Ela colocava um quilo de sal grosso em uma vasilha no forno bem quente por vinte minutos, retirava com uma luva térmica e fazia quatro embrulhos de 250 gramas cada, usando panos de prato, de forma que ficasse quente, porém não machucasse, e colocava nas articulações que estavam inchadas ou doloridas. Ela fazia isso três vezes ao dia. E trazia grande alívio.

Linha do tempo

Ela foi diminuindo os remédios até parar totalmente em três semanas (acompanhada pelo reumatologista).

Em três semanas, as articulações estavam incrivelmente menos vermelhas e desinchadas, menos dores. Ela começou a conseguir se levantar breves períodos da cadeira de rodas, com menos dor.


Em um mês, iniciou hidroterapia duas vezes na semana (saúde delicada, dores de cabeça, imunidade baixa, tinha febre às vezes e controlava com o mínimo de analgésico possível e com banhos tépidos).

Em dois meses, iniciou hidroterapia três vezes na semana (com a saúde muito frágil, desenvolveu catapora e tomou por 45 dias doses diárias de Aciclovir).

Em três meses, iniciou hidroterapia cinco vezes na semana (teve parotidite e tratou com antibiótico).

Em seis meses, iniciou hidroginástica três vezes na semana (a imunidade melhorou significativamente, não sentia mais dores articulares em repouso, só quando forçava muito o membro).

Em sete meses de tratamento, começou a caminhar pequenas distâncias, de 100 a 200 metros (melhora a cada dia).

Em oito meses de tratamento, iniciou hidroginástica cinco vezes na semana.

Em um ano, iniciou musculação terapia, só o movimento sem peso.

Passou a andar distância de até 1 km, que era a distância de nossa casa até a academia, sem cadeira de rodas nem muletas.

Em um ano e dois meses, passou a adicionar carga gradativa de peso.

Em um ano e meio, teve 8% de ganho de massa óssea e muito ganho de massa muscular. Passou a andar longas distâncias, de 3 a 4 km, sem dores, todos os dias. Já se sentia curada, mas tínhamos medo de dizer essa palavra (a imunidade estava ótima, sem dores, bastante disposição, sem tomar sequer um remédio, apenas seguindo a dieta e tomando os complementos alimentares).

Em dois anos, já podia descer e subir escadas. Passou a quebrar a dieta uma vez, a cada 30 dias, em uma das refeições, almoço ou jantar. Estava sempre bem, mas quando resolvia quebrar a dieta mais do que uma vez no mês, passava muito mal. Na mesma semana surgia de tudo, dor de cabeça, febre, dores articulares. Ela retomava a dieta e tudo voltava ao normal.

Em dois anos e meio, só quebra a dieta de três a quatro vezes por anos, aniversário de parentes próximos, Natal e ano-novo, em uma das refeições, almoço ou jantar.

Cinco anos depois, corre, sobe e desce escadas, anda à vontade, faz academia com carga normal, não tem febre, não tem dores nas articulações e todos os sintomas da doença foram extintos. Contudo, ela continua na dieta restritiva e com complementação alimentar somada à auto-hemoterapia, 10ml de cinco em cinco dias. Não toma cortisona, cloroquina, reuquinol, quimioterápicos e nenhum tipo de droga.

Fonte: Curas Secretas (texto adaptado)

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email

DEIXE SEU COMENTÁRIO

VEJA TAMBÉM