Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on telegram

Substância encontrada na cenoura pode curar a doença pulmonar obstrutiva crônica, garantem pesquisadores

Como andam seus pulmões?

Há um problema conhecido por doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), que engloba doenças como:

– Bronquite crônica

– Enfisema

– Bronquiectasia

– Asma

No entanto, quando se fala de DPOC, geralmente se refere a enfisema e bronquite crônica.

Para quem não sabe, a DPOC é uma doença pulmonar debilitante, ou seja, vai se agravando com o passar do tempo e dificultam a respiração.

Ela é a quinta maior causa de morte no mundo.

Se você ainda não sabe diferenciar as doenças da DPOC, confira:

– Bronquite Crônica:

De acordo com a Clínica Mayo, a bronquite crônica é uma inflamação crônica do revestimento dos brônquios, que são o principal veículo para inalar oxigênio e expulsar CO2 dos pulmões.

Os sintomas mais comuns são: falta de ar, que chamamos de “dispneia”; espessamento e estreitamento do revestimento das vias aéreas; tosse constante, para remover grandes quantidades de catarro; chiado e fadiga.

– Enfisema:

Esta é a destruição gradual dos pequenos sacos aéreos (alvéolos) localizados na ponta das passagens aéreas menores (bronquíolos).

O resultado é a dificuldade de realizar as trocas gasosas nos pulmões – levando a dispneia, fadiga e morte prematura.

– Bronquiectasia:

É resultado de vias aéreas danificadas, ou seja, largas e flácidas.

Embora possa ser um defeito congênito, é mais comum que a doença seja adquirida por uma infecção pulmonar grave, infecções repetitivas ou uma lesão.

As vias aéreas danificadas já não conseguem limpar eficazmente o muco e começam a se inflamar.

Sendo assim, o muco se acumula, as bactérias indesejadas se multiplicam e as infecções crônicas aumentam.

Os sintomas típicos incluem tosse crônica, para remover o excesso de fleuma, fadiga e falta de ar.

– Asma:

Esta é uma doença pulmonar crônica.

Os sintomas da asma incluem chiado, aperto no peito, falta de ar e tosse.

Muitas crianças sofrem desse mal.

Com o tempo, a inflamação crônica pode destruir a camada superficial das vias aéreas.

Sem ela, todos os poluentes e alérgenos têm acesso direto aos pulmões.

A medicina convencional alopática acredita que as causas mais comuns da DPOC são:

– Fumo

– Fatores genéticos

– Doença por deficiência de alfa-1 antitripsina

– Exposição a produtos químicos tóxicos, fumaça ou poeira no local de trabalho, a longo prazo.

A medicina convencional considera a DPOC incurável, progressiva, irreversível e fatal.

A maioria dos médicos alopatas acredita que o tecido pulmonar nunca pode ser regenerado.

Isso é terrível, não é mesmo?

O primeiro passo para o tratamento é largar o tabagismo, se este for o caso do paciente.

Há remédios que podem ajudar a controlar os sintomas.

Em casos graves, apenas intervenções cirúrgicas, incluindo transplantes de pulmão.

Mas, calma, há sempre uma luz no fim do túnel!

Pesquisas realizadas pela doutora Gloria De Carlo Massaro e pelo doutar Donald Massaro, na Faculdade de Medicina da Universidade de Georgetown, Estados Unidos, reverteram com sucesso o enfisema em ratos.

CURA PELA NATUREZA – LEIA AQUI AS ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Os pesquisadores usaram um derivado da vitamina A: o ácido all-trans-retinoico (ATRA).

Doze dias de injeções diárias de ATRA permitiram que os ratos desenvolvessem novos alvéolos saudáveis.

O doutor Donald Massaro disse que a produção de alvéolos normalmente termina na infância, então foi um grande surpresa descobrir que eles podem ser restaurados.

Curiosamente, um estudo de 2003, publicado no Journal of Nutrition (Vol. 130 e 133), mostrou a relação do fumo com a falta de vitamina A.

Estudos anteriores feitos pelo pesquisador-chefe, Richard C. Baybutt, revelaram que ratos alimentados com uma dieta deficiente em vitamina A desenvolveram enfisema.

No estudo de 2003, descobriu-se que ratos expostos à fumaça do cigarro se tornaram deficientes em vitamina A.

Um carcinogênico comum encontrado nos cigarros, chamado benzopireno, já havia sido associado à deficiência de vitamina A.

Quando os pesquisadores injetaram o benzopireno em ratos, previsivelmente, induziram uma deficiência de vitamina A.

Resumindo: quando o conteúdo pulmonar da vitamina A é baixo, as chances de enfisema são altas.

Para solidificar ainda mais a ligação entre tabagismo, deficiência de vitamina A e enfisema, a equipe alimentou os ratos com os pulmões danificados com uma dieta rica em vitamina A.

O resultado foi promissor.

Os pesquisadores acreditam que essa vitamina pode evitar até o câncer.

De acordo com um artigo do Mail Online, cientistas britânicos anunciaram que o ácido retinoico, comumente usado para tratar a acne, reverteu o enfisema dos pulmões danificados em camundongos.

Essa informação é preciosa, pois traz esperança para tratar pessoas com enfisema e bebês prematuros, que frequentemente sofrem com a perda de alvéolos, devido a tratamentos para estimular o crescimento do pulmão.

Então vamos cuidar, em especial, da alimentação.

O betacaroteno é um tipo de carotenoide.

Ou seja, é um pigmento encontrado em plantas que ajuda a produzir as cores vivas de certas frutas e vegetais, como melão e cenoura.

Quando ingerido, o betacaroteno é convertido pelo organismo em vitamina A e pode então ser usado para uma variedade de propósitos, ou simplesmente agir como um antioxidante que elimina os radicais livres.

A melhor maneira de aumentar, com segurança, os níveis de vitamina A/betacaroteno é através de uma dieta rica.

Isso porque muitas doses de suplementos sintéticos da vitamina podem ser muito perigosas à saúde.

Como a vitamina A é uma vitamina lipossolúvel, ela é armazenada no fígado e grandes doses podem danificar o órgão.

Além disso, vários estudos revelaram que os suplementos de betacaroteno podem afetar adversamente o coração e podem aumentar o risco de câncer.

Em vez de investir na droga sintética com efeitos colaterais, você pode fabricar seu próprio remédio natural.

O Instituto Linus Pauling recomenda aumentar a biodisponibilidade de alimentos ricos em carotenoides.

Basta combiná-los com alguma proteína.

Beber o suco de frutas e vegetais frescos e orgânicos ricos em betacarotenoides pode ser um método eficiente e delicioso para aumentar os níveis de betacaroteno.

Uma única xícara de cenoura crua contém uma enorme quantidade de betacaroteno.

Este é um blog de notícias sobre tratamentos caseiros. Ele não substitui um especialista. Consulte sempre seu médico.

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email

DEIXE SEU COMENTÁRIO