Compartilhar no facebook
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

Ser esquecido pode ser sinal de que você é muito inteligente, revela pesquisa científica

Você é uma pessoa esquecida?

Geralmente, atribuímos a perda de memória – a longo ou a curto prazo – à demência precoce ou à doença de Alzheimer.

Mas temos uma boa notícia: segundo uma pesquisa realizada por cientistas canadenses, na Universidade de Toronto, esquecimento pode ser importante para a manutenção do cérebro.

O líder do estudo é o professor Blacke Richards, que recebeu grande ajuda de seu colega de trabalho, Paul Frankland.

Ambos procuraram explorar o significado do esquecimento em relação à saúde cerebral.  

Parece frustrante esquecer o que você passou tanto tempo para memorizar, não é verdade?  

É por isso que o professor Richards faz questão de acalmar as pessoas, explicando dois pontos:

O mundo está mudando constantemente, de modo que as informações antigas se tornam desatualizadas e menos importantes para serem lembradas.

Até um tempo atrás, os alunos precisavam decorar datas e informações que, hoje em dia, são consideradas “cultura inútil”.

É por isso que boa parte das pessoas têm dificuldade de se atualizar.

É necessário ser capaz de fazer generalizações quando você se deparar com grandes quantidades de dados.

Para fazer isso, seu cérebro deve esquecer alguns detalhes.

Ou seja, não é possível acumular tudo o que acontece conosco.

Memorizamos uma parte e descartamos outras.

Só por isso é que podemos garantir a inteligência para tomar decisões dentro de algumas circunstâncias.

Resumindo: o esquecimento tem uso prático.

No entanto, precisamos tomar cuidado para não confundir um inofensivo esquecimento com a perda de memória patológica.

Veja quando você não precisa se preocupar:

  • Sente que a palavra está “na ponta da língua”, mas não sai.
  • Esquece onde colocou as chaves ou o celular
  • Esquece um compromisso
  • Não lembra alguns detalhes de conversas passadas ou programas de televisão

No caso do esquecimento preocupante, ele tende a ser mais visível.

Sintomas mais graves de perda de memória patológica podem incluir:

  • Luta para lembrar as coisas diariamente
  • Esquecimento regular das conversas, compromissos ou eventos
  • Dificuldade em lembrar nomes ou números
  • Acha difícil acompanhar diálogo na televisão
  • Esquece o que está falando durante o diálogo
  • Esquece nomes de objetos simples do cotidiano
  • Fica perdido ou desorientado em lugares familiares

Deu para perceber a diferença?

Caso perceba um ou dois sintomas da falta de memória patológica, tenha calma!

Muitas vezes, o estresse diário faz com que percamos a concentração.

De toda forma, procure seu médico, caso desconfie de algo mais grave.

UOutro estudo realizado por Frankland, no laboratório do hospital infantil SickKids, mostrou que quando há o crescimento de novos neurônios no hipocampo (que é a principal sede da memória) parece que a ocorrência do esquecimento é maior.  

Isso pode explicar por que adultos normalmente não têm memórias para eventos ocorridos antes dos quatro anos de idade.

Interessante, não é mesmo?

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

DEIXE SEU COMENTÁRIO