Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Salmão é um dos alimentos mais tóxicos do mundo. Aqui está tudo o que você precisa saber!

O peixe hoje não é um alimento tão saudável como já foi um dia.

Como muitas espécies ficaram raros ou entraram em extinção, e o homem resolveu facilitar o processo de pesca, a alternativa mais conveniente foi  a criação de peixes em cativeiro.

No entanto, essa não é a opção mais saudável.

Seremos mais diretos: peixes como salmão, por exemplo, ficam muito tóxicos para nosso organismo quando estão em estado de confinamento.

Quem fala sobre isso (e prova) é o diretor Nicolas Daniel, em seu documentário “Fillet-Oh-Fish”.

A abordagem é bem crítica e revela como funciona a indústria de peixes com imagens exclusivas de cativeiros aquáticos espalhados no mundo todo.

É muito esclarecedor, pois a maioria tem uma visão ainda muito romântica da pesca, mas quando se trata de venda de peixes em grande quantidade, então o processo é realmente assustador.

O filme começa apresentando a realidade em algumas fazendas de peixes na Noruega, onde há grande contaminação de produtos químicos.

Quem fortalece a  crítica é Kurt Oddekalv, um ativista ambiental norueguês muito respeitado.
 
Ele diz que a criação de salmão é um desastre tanto para o ambiente como para nossa saúde.
 
É possível ver camadas de resíduos por pelo menos 15 metros de altura ao longos dos fiordes noruegueses – isso inclui bactérias, drogas e pesticidas.

Ou seja: todo fundo do mar foi destruído.

E se as fazendas de peixes estão localizadas em águas abertas.

Logo, a contaminação desses animais é inevitável.

Nós conseguimos o documentário para exibi-lo neste post.

Infelizmente, ele não está dublado nem legendado em português.

De toda forma, se você não fala inglês, vale a pena assistir porque as imagens são bem reveladoras e falam por si.

E, se você fala inglês, aí é que vale a pena assistir mesmo.

Mas vamos procurar descrever o documentário para você.

DOCUMENTÁRIO – FILLET-OH-FISH (EM INGLÊS)

É uma informação muito importante, fatos que nenhum blá-blá-blá suspeito poderá negar.

Uma fazenda de salmão pode conter 2 milhões de peixe num espaço relativamente pequeno, o que resulta em doenças e estresse nos animais.

Por isso, os criadores jogam pesticidas perigosos para evitar as pragas causadoras de doenças e não perder a mercadoria.

Ainda segundo Oddekalv, o salmão de cativeiro é um dos alimentos mais prejudiciais do mundo.
 
Uma pesquisa muito interessante foi realizada com ratos: os que consumiram salmão de cativeiro cresceram obesos, com grossas camadas de gordura em torno dos órgãos e desenvolveram diabetes.

Outro problema dos pesticidas utilizados é que eles afetam o DNA do peixe, causando mutações genéticas.
 
O documentário até apresenta alguns peixes deformados por este motivo, como o bacalhau.

Para você ter ideia, mais da metade dos bacalhaus de cativeiro sofre deformações.

E o perigo maior é que algumas fêmeas acabam escapando do viveiro e acasalam com machos selvagens, espalhando a mutação genética e deformada.

O salmão apresenta mutações menos visíveis, mas muito preocupantes também.

Como o Mar Báltico é muito poluído, as chances de consumir um peixe contaminado é maior.

Um dos motivos é que países muito industrializados e próximos ao Báltico também despejam lixos tóxicos.

Os pesticidas diminuem a imunidade do peixe que, doente, é tratado com mais drogas em tanques, incluindo vários antibióticos.

Assista ao documentário até o fim e veja como o resíduo de peixe se torna um alimento muito valorizado, mas péssimo à saúde.

Estamos falando da cabeça e do rabo do peixe, que antes iam para o lixo a agora são aproveitados, até a pele do peixe é aproveitada.

Depois disso, tudo é lavado e moído como uma polpa e serve de alimento para outros animais.

As melhores opções de peixes são os selvagens, como salmão selvagem do Alasca, sardinhas e anchovas.

Infelizmente, não podemos nem confiar na qualidade de todos os peixes selvagens, pois a maioria das águas estão contaminadas com metais pesados (como mercúrio) e outros produtos químicos, como dioxinas.

Este é um blog de notícias sobre tratamentos caseiros. Ele não substitui um especialista. Consulte sempre seu médico.

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

DEIXE SEU COMENTÁRIO