Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Saiba como fazer a água dos milagres da forma mais fácil e como eliminar o flúor da água

Esta receita é conhecida como “água dos milagres”.

Ela foi criada pelo iridólogo Ivandélio Sanctus.

Ela é, na verdade, uma água alcalina extraordinária para a saúde, pois desacidifica o corpo e elimina toxinas.

A água alcalina tem papel fundamental para manter o equilíbrio ácido-alcalino. 

O consumo de água alcalina com pH acima de 7,5 é primordial.

Além do mais, a água alcalina é o único alimento que não deixa nenhum resíduo que venha a ser acidificante.

Ela funciona melhor que a dieta porque não adiciona mais resíduos no processo de redução dos ácidos. 

E a água alcalina com qualquer dieta ou regime de exercícios funciona muito bem. 

Como é muito difícil mudar hábitos alimentares, beber água alcalina é uma solução fácil para nosso modo de vida moderno.

Alguns  dizem que o ácido do estômago neutraliza a água alcalina e que, portanto, beber essa água não tem utilidade, o que não é verdade.

O fato é que, se o estômago fica muito alcalino, ou menos ácido, devido à ingestão de água alcalina, ele precisa produzir mais ácido hidroclorídrico para manter o estado ácido original.

No processo de geração desse ácido, o pâncreas, depois de um comando que parte do intestino delgado, produz bicarbonato de sódio, um elemento alcalino, que vai parar na corrente sanguínea, tornando o sangue mais alcalino.

A água alcalina contém milhões de antioxidantes, que hidratam o corpo, além de lhe fornecer cálcio e oxigênio, e, o mais importante, ajuda a eliminar toxinas perigosas e resíduos. 

E a água mineral, que a maioria dos brasileiros consome?

O problema é que a maior parte dessas águas minerais vendidas no mercado tem pH em torno de 5, ou seja, são ácidas. 

Sem falar na obrigatoriedade de adição de flúor e na possibilidade de contaminação no engarrafamento, no transporte e no armazenamento, com bisfenol A (BPA), um elemento tóxico ligado a várias doenças, inclusive câncer. 

É por isso que recomendamos, para você produzir sua “água dos milagres”, a água de poço.

Por segurança, você deve ferver a água, espere esfriar e colocar numa jarra de vidro.

No vídeo abaixo, o iridólogo Ivandélio Sanctus ensina como fazer a água dos milagres.

Assista.

Logo depois, nós vamos ensinar de uma forma mais fácil e ainda mais saudável.

1 grama de cloreto magnésio PA

1 grama de bicarbonato de sódio (use o de farmácia, que é mais puro; ou procure, na internet, o bicarbonato de sódio PA, que é mais puro ainda)

1 grama de flor de sal (vende em delicatessens, em algumas lojas de produtos naturais e em bons supermercados; nós usamos o sal de Guérande e compramos pela internet – veja a foto).

Para conseguir essas medidas de forma mais precisa, compre uma colher de medida de 1 grama (ver foto).


Misture bem e leve para a geladeira e vá consumindo ao longo do dia.

Se não conseguir água de poço, use água filtrada e retire o flúr colocando folhas de manjericão-santo (devidamente hogienizadas) dentro de uma jarra com 2 litros de água.


Cientistas da Universidade de Rajasthan descobriram que o manjericão-santo (Ocimum tenuiflorum) pode substituir algumas das alternativas mais caras para a remoção de flúor da água.

Os investigadores conduziram o experimento, em uma aldeia de Narketpally, imergindo 75 mg de folhas de manjericão santo em 100mL de água que tinha mais de 7 partes de flúor por milhão de água. 

Após a imersão das folhas em água durante apenas 8 horas, o flúor foi reduzido para apenas 1,1 partes por milhão. 

A Organização Mundial de Saúde diz que os níveis “seguros” de flúor na água não são mais do que uma parte por milhão.




Vamos à receita.

Use 2 litros de água.

Depois, você vai adicionar os ingredientes:


1 grama de cloreto magnésio PA

1 grama de bicarbonato de sódio (use o de farmácia, que é mais puro; ou procure, na internet, o bicarbonato de sódio PA, que é mais puro ainda)

1 grama de flor de sal (vende em delicatessens, em algumas lojas de produtos naturais e em bons supermercados; nós usamos o sal de Guérande e compramos pela internet – veja a foto).

Para conseguir essas medidas de forma mais precisa, compre uma colher de medida de 1 grama (ver foto).


Misture bem e leve para a geladeira e vá consumindo ao longo do dia.

Se não conseguir água de poço, use água filtrada e retire o flúr colocando folhas de manjericão-santo (devidamente hogienizadas) dentro de uma jarra com 2 litros de água.


Cientistas da Universidade de Rajasthan descobriram que o manjericão-santo (Ocimum tenuiflorum) pode substituir algumas das alternativas mais caras para a remoção de flúor da água.

Os investigadores conduziram o experimento, em uma aldeia de Narketpally, imergindo 75 mg de folhas de manjericão santo em 100mL de água que tinha mais de 7 partes de flúor por milhão de água. 

Após a imersão das folhas em água durante apenas 8 horas, o flúor foi reduzido para apenas 1,1 partes por milhão. 

A Organização Mundial de Saúde diz que os níveis “seguros” de flúor na água não são mais do que uma parte por milhão.




Vamos à receita.

Use 2 litros de água.

Depois, você vai adicionar os ingredientes:


1 grama de cloreto magnésio PA

1 grama de bicarbonato de sódio (use o de farmácia, que é mais puro; ou procure, na internet, o bicarbonato de sódio PA, que é mais puro ainda)

1 grama de flor de sal (vende em delicatessens, em algumas lojas de produtos naturais e em bons supermercados; nós usamos o sal de Guérande e compramos pela internet – veja a foto).

Para conseguir essas medidas de forma mais precisa, compre uma colher de medida de 1 grama (ver foto).


Misture bem e leve para a geladeira e vá consumindo ao longo do dia.

Se não conseguir água de poço, use água filtrada e retire o flúr colocando folhas de manjericão-santo (devidamente hogienizadas) dentro de uma jarra com 2 litros de água.


Cientistas da Universidade de Rajasthan descobriram que o manjericão-santo (Ocimum tenuiflorum) pode substituir algumas das alternativas mais caras para a remoção de flúor da água.

Os investigadores conduziram o experimento, em uma aldeia de Narketpally, imergindo 75 mg de folhas de manjericão santo em 100mL de água que tinha mais de 7 partes de flúor por milhão de água. 

Após a imersão das folhas em água durante apenas 8 horas, o flúor foi reduzido para apenas 1,1 partes por milhão. 

A Organização Mundial de Saúde diz que os níveis “seguros” de flúor na água não são mais do que uma parte por milhão.

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

DEIXE SEU COMENTÁRIO