Compartilhar no facebook
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

10 remédios naturais para combater a retenção de líquido

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Estes remédios tratam a retenção de líquido e favorecem a função renal, prevenindo infecções graves no trato urinário.

A retenção de líquido, também conhecida como edema, é o acúmulo em excesso de água entre as células, causando inchaço no corpo.

Entre as possíveis causas, estão problemas renais, hepáticos, cardíacos ou doenças da tireoide que provocam um tipo específico de edema.

Além disso, o estilo de vida sedentário, trabalhos que exigem muitas horas sentado, alimentação inadequada, consumo excessivo de sódio e baixo consumo de água também podem agravar a situação.

Os sinais da retenção de líquido ocorrem em regiões mais suscetíveis ao acúmulo de líquidos.

Como nas pernas, nas costas de pessoas que ficam deitadas por muito tempo ou em regiões mais propensas à ação da força da gravidade.

Os principais sintomas da retenção de líquido são:

  • Cansaço
  • Inflamação
  • Aumento do volume abdominal
  • Sensação de peso nas extremidades
  • Diminuição da quantidade de micção (urina)

O bom é que os sintomas leves podem ser controlados com remédios caseiros.

Esses remédios possuem ação diurética que favorecem a função renal, prevenindo infecções graves no trato urinário.

Conheça opções naturais e econômicas para utilizar no seu dia a dia para controlar os sintomas incômodos do edema.

10 remédios caseiros para retenção de líquido

Nesta relação, você encontrará realmente os melhores diuréticos naturais para evitar o inchaço causado por excesso de líquido:

Beba água suficiente

Muitas pessoas com retenção de líquido evitam consumir água.

Porém, essa prática é totalmente inadequada, pois o corpo deve estar sempre hidratado.

O consumo de água irá ativar a atividade renal e promover a circulação sanguínea.

A recomendação é tomar ao menos meio litro a mais do que você está habituado.

Por exemplo, caso tome dois litros, comece a ingerir dois litros e meio.

Chá natural de ervas

Esta infusão, além de ser eficiente para a retenção de líquido, atua como um desintoxicante natural, favorecendo a limpeza intestinal e o emagrecimento.

Ingredientes:

  • 1 colher (chá) de anis estrelado
  • 1 colher (chá) de louro
  • 1 colher (chá) de cavalinha
  • 1 colher (chá) de alcachofra
  • 1 colher (chá) de dente-de-leão
  • 1 litro de água

Observação: Estas ervas você encontra em lojas de produtos naturais e em alguns supermercados.

Modo de preparo:

Coloque a água para ferver.

Quando levantar fervura, adicione todas as ervas e deixe cozinhar por mais três minutos.

Desligue o fogo, tampe a panela e deixe descansar por 20 minutos.

Coe a infusão e coloque em uma garrafa térmica para manter a temperatura, pois deve ser consumida quente.

O calor vai evitar o choque de temperatura quando atinge o estômago, sendo mais fácil para o corpo assimilar.

Tome este chá ao longo do dia, fazendo o tratamento por no mínimo dez dias.

Chá de dente-de-leão

Este chá, além de ser consumido puro, pode ser adicionado às suas limonadas, vitaminas e sucos de fruta.

Ingredientes:

Modo de preparo:

Ferva a água, adicione o dente de leão, desligue o fogo, tampe a panela e deixe em infusão por dez minutos.

Em seguida, coe e beba imediatamente.

O tratamento consiste em tomar três xícaras por dia, por três dias consecutivos.

Depois faça uma pausa de dois dias e se necessário repita o tratamento.

Chá de salsa

A salsa é um excelente diurético natural.

Ela também ajuda a eliminar o ácido úrico e atua contra reumatismo ou gota.

Ingredientes:

  • 2 colheres (sopa) de salsa fresca picada
  • Suco de uma fatia de limão fresco
  • 250 ml de água

Modo de preparo:

Pique bem a salsa, coloque em uma panela, adicione a água e deixe ferver por dez minutos.

Em seguida esprema o limão sobre a infusão, desligue o fogo, tampe a panela e deixe descansar por cinco minutos.

Coe e beba imediatamente.

Tome esta infusão no mínimo quatro vezes ao dia.

Chá verde com abacaxi

Este chá é um excelente antioxidante, além de delicioso.

Ingredientes:

  • 1 colher (sopa) de chá verde
  • 1 fatia de abacaxi
  • 500 ml de água

Modo de preparo:

Coloque a água e o abacaxi em uma panela e cozinhe por dez minutos.

Adicione o chá verde e deixe no fogo por mais dois minutos.

Desligue o fogo, tampe a panela e deixe descansar por dez minutos.

Coe a infusão e tome durante o dia, podendo ser consumida quente ou fria.

Chá de cabelo de milho com laranja

O cabelo de milho possui propriedades antissépticas e diuréticas, sendo um grande aliado contra as infecções que afetam o trato urinário.

Ingredientes:

  • 2 colheres (sopa) de cabelo de milho seco
  • 500 ml de água
  • 500 ml de suco de laranja – espremido na hora

Modo de preparo:

Coloque a água e o cabelo de milho em uma panela e deixe ferver por dez minutos.

Retire do fogo e deixe a infusão descansar até atingir a temperatura ambiente.

Em seguida coe, adicione o suco de laranja, misture bem e armazene na geladeira, se possível em uma garrafa de vidro.

Consuma ao longo do dia.

Gengibre com canela

Esta infusão é excelente para ser apreciada durante baixas temperaturas, pois aumenta a temperatura corporal.

No entanto, a combinação de gengibre e canela em excesso não é recomendada para gestantes.

Apesar de o gengibre ser recomendado para controlar náuseas, a canela pode causar contrações uterinas se consumida com frequência.

Os dois também podem elevar a pressão arterial.

Ingredientes:

  • 1 pedaço de gengibre fresco (cerca de 2 cm)
  • 2 pedaços de canela em rama
  • 1 litro de água

Modo de preparo:

Corte o gengibre em fatias finas, coloque em uma panela, acrescente a canela, a água e deixe ferver por dez minutos.

Em seguida coe a infusão e consuma ao longo do dia.

Chá de hibisco

O chá de hibisco, além de ser eficiente para a retenção de líquidos, atua como desintoxicante e purificador.

Esta infusão ajuda a melhorar a função intestinal e renal, além de promover a saúde da pele e de combater problemas gástricos, como inchaço e indigestão.

Ingredientes:

  • 3 colheres (sopa) de flores de hibisco
  • 1 litro de água

Modo de preparo:

Em uma panela, ferva a água, adicione o hibisco e retire do fogo.

Tampe o recipiente e deixe em infusão por dez minutos.

Neste chá é importante não cozinhar o hibisco, pois isso o fará perder as suas propriedades.

Após o tempo recomendado, coe e armazene em uma garrafa térmica, devendo ser consumido quente ou morno ao longo do dia.

Cloreto de magnésio

O organismo obtém o magnésio necessário por meio do consumo de frutas e vegetais, que por sua vez absorveram esse mineral da terra.

Mas, devido ao desgaste do solo, a terra sofre de deficiência de magnésio, com isso as frutas e vegetais também sofrem.

Desse modo, grande parte das pessoas tem deficiência de magnésio.

Porém consumir magnésio ao menos uma vez no mês é suficiente para eliminar a retenção de líquido.

Dilua uma colher (chá) de cloreto de magnésio em um litro de água e tome em goles ao longo do dia.

Redução de sal

O sódio é uma das principais causas da retenção de líquidos.

Portanto, diminuir a quantidade de sal nas refeições ajuda a controlar e reverter essa condição.

Por isso, opte por se acostumar com os alimentos em seu sabor natural.

Caso não consiga, diminua a quantidade de sal ou substitua por outros condimentos e ervas aromáticas.

Além disso, é importante frisar que, os alimentos embalados, produtos industrializados e alimentos processados ​​também possuem alto teor de sódio.

Por isso, leia muito bem os rótulos e, se possível, elimine-os da sua dieta.

Todos os remédios para retenção de líquidos que mencionamos são excelentes.

Adote um de acordo com seu gosto e possibilidade e comece a consumir hoje mesmo.

Além disso, é importante lembrar que eles não substituem o tratamento médico.

Portanto, caso o problema persista, consulte um especialista para melhor diagnóstico e tratamento.

DEIXE SEU COMENTÁRIO