Compartilhar no facebook
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

Remédios naturais para quem tem transtorno bipolar

Mudanças extremas de humor, energia e níveis de atividade são os principais sinais do transtorno bipolar, distúrbio psíquico conhecido como “depressão maníaca”.  

No Brasil, mais de 15 milhões de pessoas são portadores de formas clínicas e subclínicas do transtorno, o que corresponde a 8% da população.

Os dados são da Associação Brasileira de Transtorno Bipolar (ABTB).
 
Apesar de a cura para o transtorno ser ainda desconhecida, há tratamentos bastante eficazes para a doença.

Medicação correta, terapia cognitivo-comportamental (TCC) e algumas mudanças de estilo de vida são alguns deles.
 
A qualidade do sono, por exemplo, está diretamente relacionada aos transtornos.

Durante uma fase maníaca, um indivíduo pode dormir muito pouco, mas durante uma fase baixa, ele pode dormir por um longo tempo.

Por outro lado, a falta de sono pode desencadear uma mudança de humor.

Por isso, atenção!

Dormir o suficiente é essencial para controlar o humor.

Uma dieta saudável é um dos hábitos de vida mais importantes para as pessoas com transtorno bipolar.

Um estudo de 2011 descobriu que até 68% das pessoas que procuram tratamento para transtorno bipolar estão com sobrepeso ou obesidade.

Já um estudo de 2013 descobriu que a taxa de compulsão alimentar é muito maior entre pessoas com transtorno bipolar do que na população geral.

Isso pode ser um efeito colateral da medicação, ou pode ser devido a excessos durante episódios de depressão.

Cuidado!

Estar acima do peso pode complicar a recuperação e aumentar o risco de diabetes, pressão alta e ansiedade.

A explicação para isso pode ser o fato de que pessoas com transtorno bipolar podem ter níveis reduzidos de serotonina, o “mensageiro” químico no cérebro que influencia o humor.

A serotonina também pode afetar o apetite, fazendo com que pessoas com baixos níveis de serotonina tenham desejos por carboidratos e alimentos doces.

O exercício moderado e regular é uma forma comprovada de equilibrar o humor.

O exercício libera endorfinas, substâncias químicas do cérebro que fazem as pessoas se sentirem bem e as ajudam a dormir melhor.

Um estudo realizado em 2015 sugeriu que o exercício “pode ​​ser uma estratégia viável e eficaz para lidar com a fase depressiva do transtorno bipolar”.

O vício é outro ponto a ser observado.

Pessoas com transtorno bipolar tendem a se envolver em comportamentos de risco.

Um estudo mostra que 56% das pessoas com a doença já foram, em algum momento, dependentes de álcool ou drogas.

Agora preste muita atenção – nem sempre é possível evitar um episódio maníaco, mas as seguintes atitudes podem ajudar:

  • Consulte um médico, se for a primeira vez ou se tiver descontinuado o tratamento
  • Siga o plano de tratamento estabelecido pelo seu médico e mantenha todas as consultas médicas, pois seus medicamentos podem precisar de ajuste
  • Tente manter um padrão regular de sono e evite estresse desnecessário quando possível
  • Coma uma dieta saudável e faça exercícios suficientes
  • Evite álcool e outras substâncias
  • Acompanhe seus humores e sentimentos.

Dicas de remédios alternativos:

Algumas pessoas com transtorno bipolar usam ervas ou suplementos na tentativa de aliviar seus sintomas, como:

1. Ômega 3

O extrato de óleo de peixe ômega 3 pode ajudar, de acordo com alguns estudos.

Os cientistas descobriram que o transtorno bipolar é menos comum em países onde as pessoas consomem muitos peixes.

Pessoas com depressão também podem ter níveis mais baixos de ômega 3 no sangue.

2. Magnésio

Alguns cientistas acreditam que os suplementos de magnésio podem reduzir a mania e a rápida mudança dos sintomas bipolares, mas são necessários mais estudos para apoiar isso.

3. Erva-de-são-joão

A erva-de-são-joão e o aminoácido S-adenosil-L-metionina (SAM-e) às vezes são usados ​​para ajudar os sintomas depressivos, mas também estão associados a um risco aumentado de mania.

Eles podem interferir com antidepressivos.

4. Vitaminas

Alguns estudos sugeriram que as vitaminas podem ajudar, especificamente a vitamina C e o ácido fólico.

As evidências que sustentam essas alegações são fracas, mas o ácido fólico é conhecido por apoiar a saúde cognitiva e é importante na prevenção de defeitos congênitos.

As mulheres em idade fértil, com ou sem transtorno bipolar, são aconselhadas a tomar ácido fólico.

O tratamento do transtorno bipolar geralmente é orientado por um psiquiatra especializado na doença.

Às vezes, uma equipe mais ampla de psicólogo, assistente social e enfermeira psiquiátrica pode estar envolvida.

Fique de olho: transtorno bipolar requer tratamento ao longo da vida, mesmo quando os pacientes estão se sentindo melhor.

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

DEIXE SEU COMENTÁRIO