Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on telegram

Recife amplia a oferta de medicamentos na rede municipal com a inclusão de fitoterápicos

Os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) que moram na capital pernambucana contarão com uma novidade a partir da segunda quinzena de janeiro. É que a Prefeitura do Recife está incorporando seis medicamentos fitoterápicos à lista de produtos disponibilizados gratuitamente na rede municipal. Eles apresentam propriedades terapêuticas variadas, desde anti-inflamatórios, expectorantes e calmantes a analgésicos, antidepressivos, digestivos e antiácidos.
Tratamento de origens antigas, a fitoterapia utiliza plantas medicinais em suas diferentes formas terapêuticas. Já os medicamentos fitoterápicos empregam derivados dos vegetais em preparações industrializadas, elaboradas por técnicas de farmácia. Os remédios oferecidos pela PCR são registrados na Agência Nacional de Vigilância Sanitária, que exige o cumprimento de critérios de segurança, qualidade e eficácia.
“Nossa intenção é assegurar a integralidade da atenção no SUS, estimulando o aproveitamento da medicina tradicional ocidental tanto quanto das práticas integrativas e complementares. Pretendemos trabalhar sempre o uso racional de medicamentos, valorizando e consolidando a política de assistência farmacêutica singular, com foco na necessidade de cada indivíduo”, explicou o assessor executivo da Saúde do Recife, Tiago Feitosa.
Profissionais da rede municipal foram capacitados para referendar a prescrição dos fitoterápicos na atenção básica. Os novos itens serão disponibilizados em apresentações variadas, como cremes, cápsulas, pomadas e xaropes. “O uso dos medicamentos fitoterápicos se dará junto a outros dispositivos do modelo de gestão e atenção à saúde, como o Núcleo de Apoio às Práticas Integrativas e o apoio matricial”, completou Tiago Feitosa.
Conheça quais são e as propriedades terapêuticas dos remédios fitoterápicos que serão fornecidos pela PCR:
Arnica: anti-inflamatória.
Hipericum perforatum (erva-de-são-joão): anti-inflamatória, calmante, cicatrizante, antisseborreica e antidepressiva.
Maytenus ilicifolia (espinheira-santa): antiácida, analgésica, antidispéptica, cicatrizante, digestiva, antiulcerosa, anti-inflamatória e antiespasmódica.
Mikania glomerata (guaco): broncodilatadora, expectorante e antibacteriana.
Peumus boldus (boldo-do-chile): estimulante biliar, digestiva, sedativa, antibacteriana.
Valeriana officinalis (Valeriana): tranquilizante, sedativa, relaxante, ansiolítica.
Fonte: Blog de Jamildo (texto adaptado)
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email

VEJA TAMBÉM

DEIXE SEU COMENTÁRIO