Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Receitas ayurvédicas e a saúde

A medicina indiana é milenar e, por isso, é muito rica em conhecimento.

São vários “segredos” que beneficiam seus praticantes.

Por exemplo, para garantir um bom funcionamento intestinal e a liberação de toxinas, é indicado tomar um copo d’água morna com gotas de limão todas as manhãs em jejum. 

Se você souber seu dosha (em poucas palavras, a sua constituição física e emocional), para kapha, acrescente um pouco de mel; para pitta, um pouco de sal; e no caso da dúvida de qual o dosha pertencente, considere apenas a água e o limão.
Para renovar a flora intestinal e apaziguar pitta em excesso (queimação no aparelho digestivo), manipular uma parte de iogurte natural com duas partes de água, misturando dentro de um pano como um escorredor; deixar escorrer a água até que o iogurte se seque e se tranforme em uma ricota. A parte líquida se chama buttermilk e pode ser usada como bebida acrescida de mel ou como tempero para saladas acrescida de coentro.
As especiarias e suas propriedades terapêuticas
Os temperos e as especiarias têm importância fundamental na culinária indiana e na ayurveda. Além dos seus vários sabores e aromas, as especiarias possuem características terapêuticas, ajudando na digestão, regulando e estimulando o apetite. Funcionam como antídoto dos alimentos, pois podem neutralizar as propriedades pesadas, dissipar os gases e facilitar a digestão.
As especiarias têm muitas propriedades medicinais e são úteis na maioria das doenças de pulmão, cabeça ou aparelho gastrintestinal.
Em geral, as especiarias diminuem kapha e vata e aumentam pitta. São picantes, quentes, têm um efeito pós-digestivo picante e propriedades leves, secas, quentes, aromáticas, sutis e límpidas; são estimulantes, carminativas, antiespasmódicas, diaforéticas e expectorantes; ajudam a limpar os canais, queimam ama (toxinas) e promovem a atividade mental.
Na Índia, para alguém ser considerado bom cozinheiro, é necessário que seja, antes de tudo, um malsachi, um misturador de especiarias, o que é compreensível numa terra em que até um simples chá é arte de sutilezas: seu massala chai, por exemplo, é mistura delicada de ervas e especiarias. Nenhum outro povo do planeta soube, como este, misturar cheiros e sabores da natureza com tanta exuberância, harmonia e conhecimento.
Principais especiarias e suas propriedades
– Anis ou erva-doce (Sounf): estimula a digestão. É usada como refrescante após as refeições. Regula a mestruação e alivia dores abdominais.
– Assa-fétida (Hing): é uma combinação de várias resinas obtidas de certas plantas persas. De cor amarelo-marrom, tem um aroma muito forte. É um poderoso agente digestivo e também indicado para o tratamento de problemas respiratórios. Indipensável na culinária indiana, deve ser usado em pequenas quantidades. Quando frita em óleo fervente, adquire um sabor refinado, lembrando trufas.
– Canela (Dalchini): usada como estimulante das funções digestivas e no tratamento de sinusite, gripes e dores de garganta. É um bom analgésico, desintoxicante e expectorante.
– Cardamomo (Ilaichi): muito estimado por sua capacidade digestiva, regula a quantidade de ácido no estômago e ajuda a parar vômito e tosse. Ajuda a regular o metabolismo do açucar e previne a formação de muco. É antídoto de lactícinios como o leite e iogurte.
– Coentro (Dhaniya): As sementes na forma integral ou em pó talvez sejam a especiaria mais utilizada em toda a Índia. Bom para constipação, gripes e condições de sangue tóxico. Também limpa e descongestionam o fígado e é bom para digestão nervosa e hiperacidez. Essencial no preparo de masalas.
– Cominho (Jira): bom para o tratamento da diarreia, disenteria e cólicas. Quando tostado ou frito, solta mais aroma e se torna mais facíl de moer. É um dos principais ingredientes da garam massala.
– Cravo-da-índia (Loung): moderadamente afrodisíaco, estimula as atividades do estômago, promove a digestão, rejuvenece e purifica o sangue. O óleo de cravo é usado como poderoso analgésico e alivia a dor de dente.
– Cúrcuma ou açafrão-da-terra (Haldi): membro da família do gengibre, é uma raíz de cor amarelada. Pode ser usada na forma natural, mas é geralmente usada em pó para refogados e pratos de legumes. Antibiótico natural, melhora a digestão e desenvolve a flora intestinal. Purifica o sangue e estimula a formação de novas células. Deve ser usado em alimentos com muita proteína.
– Gengibre (Adrak): é um bom expectorante, analgésico e estimulante. Usado no tratamento de gripe, indigestão, vômito, dores abdominais, hemorroidas, dor de cabeça. É fartamente usado como tempero.
– Gergelim (Til): bom para rejuvenecer, fortalece as articulações e é usado para solidificar as fezes nos casos de diarreia. As sementes pretas são boas para os dentes e ossos porque contêm maior quantidade de energia solar. É usado normalmente em doces e para polvilhar pães.
– Mostarda (Rai e Sarsõ): negra, branca e castanha. Muito usada para temperar os refogados e nos picles. Tem propriedades analgésicas, alivia a congestão e neutraliza as toxinas. Serve como antídoto para constipações e comidas pesadas, como o queijo.
– Noz-moscada (Jaifal): sedativo eficaz para dores abdominais, dismenorreia e insônia. É um ótimo calmante, alivia a contração muscular. Tem um sabor aromático e açucarado.
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

DEIXE SEU COMENTÁRIO