Muitas mulheres sofrem com fibromialgia.

Embora os homens não estejam imunes à doença, a maioria das vítimas são do sexo feminino.

Para quem não sabe, trata-se de um distúrbio crônico caracterizado pela dor generalizada, fadiga, alteração do sono e do humor.
 
De acordo com um novo estudo publicado no Journal of General Internal Medicin, há algo em comum entre a maior parte das mulheres que sofrem com fibromialgia: um histórico de abuso infantil.
 
Quem fez o estudo foram pesquisadores do VA (Veterans Affairs) do Boston Healthcare System e da Escola de Medicina da Universidade de Boston (BUSM).

Eles analisaram um pequeno grupo de voluntárias de um estudo ainda maior - que  focava no tratamento de fibromialgia em mulheres maduras - para observar a ligação entre histórico de abuso infantil e a doença.

Os resultados mostram que entre todas as mulheres maduras analisadas, 90,9% relataram experiência de abuso infantil.

E pior!

Quase 70% relataram história de agressão sexual.

Segundo os cientistas, saber o histórico traumático dessas mulheres com fibromialgia, e tratar de forma profissional, ajuda não só na qualidade de vida das pacientes, como também ajuda a combater a doença mais rápido.

Segundo Megan Gerber, diretora médica de saúde da mulher no VA Boston Healthcare System  e professora associada de medicina na BUSM, algumas mulheres relatam que em muitos períodos sentem como se a doença não existisse.

Isso mostra como a fibromialgia é complexa e o tratamento para aliviar os traumas emocionais pode ter forte influência nos sintomas físicos.

A pesquisa da Escola de Medicina da Universidade de Boston continua.

E espera fazer novas descobertas importantes para esclarecer e curar definitivamente a fibromialgia.

Sintomas da doença

A fibromialgia é uma doença crônica e seus sintomas variam muito, o que dificulta o diagnóstico.

No entanto, o sinal mais comum é uma intensa dor e desconforto em várias partes do corpo.

Para você entender melhor como são esses sintomas que definem a fibromialgia, resolvemos listá-los:

1. Dor muscular: dor nos músculos, ligamentos e tendões é um dos sintomas que caracterizam esta doença.

2. Exaustão e cansaço em excesso: pacientes com fibromialgia reclamam de cansaço extremo.

3. Músculos contraídos: os músculos vão se sentir cansados e contraidos, da mesma forma como nos sentimos quando estamos gripados.

4. Queimação na pele: um dos piores sintomas dessa condição.

5. Dificuldade de concentração: alguns pacientes passam por isso nas atividades mais simples do dia a dia.

6. Distúrbios do sono: muita insônia ou sonos interrompidos por dores ou pesadelos.

7. Dificuldade exercício: geralmente, os pacientes com fibromialgia sofrem muita dor e fadiga ao realizar atividades físicas. Para eles, é praticamente impossível subir uma escada.

8. Intestino irritável: entre 40 e 70% dos pacientes com fibromialgia sofrem de problemas intestinais, como a síndrome do intestino irritável, estômago inchado, diarreia, gases e náuseas.

9. Dores de cabeça e mandíbula: é outro sintoma que pode ocorrer se você sofre desta doença. Dores  terríveis na cabeça  ou  na mandíbula.

Infelizmente, os sintomas não param por aqui.

Há outros que se desenvolvem em alguns pacientes, como:

CURA PELA NATUREZA - LEIA AQUI AS ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Congestão nasal constante

- Bexiga irritável

- Falta de ar

- Pulsação intensa e irregular

- Tontura

- Menstruação dolorosa

- Boca e olhos secos

- Sensibilidade a certos cheiros, alimentos ou ruídos altos

- Transpiração excessiva

- Perda de equilíbrio

- Membros inchados  

Este blog de notícias sobre tratamentos naturais não substitui um especialista. Consulte sempre seu médico.

Seção: 

TV Cura pela Natureza - assista agora




Imagens vistas recentemente

Entre em contato

Queremos receber sua opinião

Se você tem uma crítica, sugestão ou quer nos indicar uma receita/tratamento caseiro, entre em contato conosco

curapelanaturezablog@gmail.com

Continue conectado

Esclarecimento

Este blog tem a finalidade de ajudar, mas não substitui o trabalho de um especialista. Consulte sempre seu médico.