Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on telegram

Pesquisa revela o potencial do azeite extravirgem de oliva na prevenção de Alzheimer

Um estudo feito por pesquisadores da Faculdade de Farmácia  da Universidade de Louisiana mostrou que o azeite extravirgem de oliva ajuda a reduzir o risco de doença de Alzheimer. 

Trabalhos anteriores diziam que os benefícios do azeite de oliva são atribuíveis à alta concentração de gorduras monoinsaturadas, mas os pesquisadores da Universidade de Louisiana descobriram que o agente de proteção real pode ser uma substância chamada oleocanthal, que ajuda a proteger as células nervosas de danos. 


O principal autor da investigação, dr. Amal Kaddoumi, e sua equipe construíram um estudo utilizando  ratos para determinar se oleocanthal ajuda a diminuir o acúmulo de beta-amilóide no cérebro.

O pepsídeo beta-amiloide é o principal componente das placas de amiloides encontradas no cérebro das pessoas com Alzheimer.

Cientistas testaram os efeitos do oleocanthal no cérebro de ratos de laboratório e encontraram um padrão consistente em que o composto aumentou a produção de duas proteínas e enzimas-chave que se acredita serem fundamentais para a remoção de beta-amilóide no cérebro. 

Os autores concluíram que o azeite de oliva extravirgem, associado à chamada dieta do Mediterrâneo, tem o potencial de reduzir o risco da doença de Alzheimer e de outras demências neurodegenerativas”.

Esta e outras pesquisas confirmam como pequenas modificações de estilo de vida, incluindo a alimentação, ajudam a prevenir doenças crônicas.

É importante notar que este estudo utilizou o azeite de oliva prensado a frio, que é o único óleo de oliva que proporciona benefícios à saúde.

Consumir uma a duas colheres de sopa de azeite de oliva extravirgem diariamente é, portanto, um bom recurso para se prevenir do mal de Alzheimer. 

VEJA TAMBÉM

Loading...

PUBLICIDADE

DEIXE SEU COMENTÁRIO