Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on telegram

Tratamento natural para a hepatite C

A hepatite C é uma doença viral que provoca a inflamação do fígado.

Trata-se de uma doença silenciosa cujo diagnóstico, muitas vezes, só é feito na fase mais grave dos sintomas.

O vírus causador da hepatite C é o HCV.

As pessoas que podem contrair a hepatite C são aquelas que:


· estiveram em diálise renal por longo tempo

·  têm contato regular com sangue no trabalho (por exemplo, profissionais da área de saúde)

·  têm contato sexual sem proteção com uma pessoa que tem hepatite C (isso é menos comum, mas o risco é maior para aqueles que têm muitos parceiros sexuais, já têm doença sexualmente transmissível ou estão infectados com HIV)

·  injetam drogas ilícitas ou compartilham uma agulha com alguém que tem hepatite C

· receberam transfusão de sangue antes de julho de 1992

· fizeram uma tatuagem ou acupuntura com instrumentos contaminados (o risco é muito baixo em estabelecimentos comerciais licenciados)

·  receberam sangue, derivados do sangue ou órgãos sólidos de um doador que tem hepatite C

· compartilham itens pessoais, como escovas de dente e barbeadores com alguém que tem hepatite C (menos comum)

· nasceram de uma mãe infectada com hepatite C (isso ocorre em 1 a cada 20 bebês nascidos de mães com o HCV, o que é menos comum do que com hepatite B)

A hepatite C tem as formas aguda e crônica.

A maioria dos infectados com o vírus desenvolve a hepatite C crônica.

No Brasil, há mais de 1,5 milhão de pessoas com o vírus da hepatite C.


Tratamento natural

Quatro ervas aparecem com destaque no tratamento alternativo da hepatite C.

O cardo-mariano (Silybum marianum) é o remédio mais popular de ervas para a hepatite C e entre os mais estudados. Além de reduzir a inflamação do fígado, o cardo-mariano tem um efeito antiviral sobre a infecção por hepatite C. Um estudo apresentado na Conferência de 2008 da Associação Europeia para o Estudo do Fígado conferência sugeriu que o cardo-mariano pode diminuir os níveis do vírus da hepatite C em pacientes que não respondem ao tratamento médico-padrão. No entanto, vários estudos concluíram que o cardo faz pouco para reduzir as complicações da doença hepática ou melhorar os resultados dos testes de função hepática. Embora a evidência da eficácia do cardo seja até agora inconclusiva, a erva parece ser muito segura, com poucos efeitos colaterais relatados.

Alguns estudos indicam que a raiz de alcaçuz (Glycyrrhiza glabra) pode reduzir algumas das complicações da hepatite C (incluindo o câncer do fígado) e melhorar a função hepática. A raiz de alcaçuz é tomada sozinha ou em combinação com outras ervas. Em um estudo, os pacientes que tomaram uma combinação de raiz de alcaçuz, cardo-mariano e várias outras ervas benéficas para o fígado tiveram uma melhora nas medidas de enzimas hepáticas (um marcador de danos no fígado e do nível de inflamação) e nos testes de função hepática. A raiz de alcaçuz deve ser usada com cuidado, pois pode ter efeitos secundários significativos, incluindo a pressão arterial elevada, a retenção de sal e água e perda de potássio. Ela também pode ter interações potencialmente perigosa com medicamentos, como diuréticos, medicamentos para o coração e corticosteroides.

O ginseng tem sido utilizado para estimular o sistema imunológico e há algumas provas de que ele pode ajudar as pessoas com outros tipos de doenças hepáticas. No entanto, não foi estudado suficientemente bem em pessoas com hepatite C. E deve ser usado com cuidado, pois pode diminuir o açúcar no sangue e aumentar o risco de hemorragia.

Schisandra chinensis é uma planta que tem sido usada durante séculos pela medicina tradicional japonesa. Em um pequeno estudo, um medicamento japonês chamado TJ-108, contendo schisandra, teve um efeito antiviral sobre a hepatite C. No entanto, os pesquisadores não têm certeza se foram os ingredientes da schisandra ou de algum outro componente do TJ-108.

VEJA TAMBÉM

Loading...

PUBLICIDADE

DEIXE SEU COMENTÁRIO