Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on telegram

Os principais remédios homeopáticos – Parte 4

Drosera rotundifolia – Tosse espasmódica, com acessos prolongados, terminando em náusea e vômito prolongado. Mania de perseguição. Coqueluche, às vezes acompanhada de perda de sangue pelo nariz.
Dulcamara – Incômodos causados ou agravados pelo tempo frio e úmido ou pela súbita mudança de tempo. Lumbago, reumatismo, pescoço duro, dores na perna, dor de cabeça e nevralgias. Tosse. Urticária. Maus efeitos de friagens.
Echinacea angustifólia – Remédio apropriado para os casos em que existe inflamação, como furunculoses, abscessos, úlceras crônicas, erisipela, febre puerperal (pós-parto), corrimentos purulentos, gangrenas etc. em todos os casos em que o sangue se encontra carregado de toxinas e, portanto, favorecendo inflamações, podendo chegar à septicemia ou uma infecção generalizada do sangue. Indicado também para diabetes, câncer, tétano, nefrite e infecções do aparelho urinário.
Elaps corallinus – Para as doenças dos ouvidos, desde que crônicas e que apresentam secreções. Crianças com nariz obstruído que respiram pela boca: garganta inflamada muito vermelha ou ulcerada. Forte dor de cabeça, em geral iniciando-se do lado esquerdo e estendendo-se à fronte. A pessoa pode apresentar medo da chuva ou das tempestades. Um bom remédio para o catarro crônico da garganta. Gosto de sangue na boca antes de tossir é um dos sinais que indicam Elaps. Surdez com muita dor de cabeça, em especial determinada por inflamações antigas dos ouvidos, com corrimento purulento (otorreias crônicas). Também útil no caso de surdez nervosa.
Eupatorium perfoliatum – Dores por todo o corpo como se fossem nos ossos, sem alívio com o repouso ou com movimentos. Rouquidão matinal. Náuseas com o cheiro de comida. Vômitos de bílis e diarreia.
Euphrasia officinalis – Indicado para as doenças dos olhos em geral, com formação de secreções, mucosidades e escamações. Doenças da córnea com fotofobia e lacrimejamento excessivo. Sensação de que há algum corpo estranho incomodando a vista, provocando um piscar constante. Irite (inflamação da membrana da íris), tracoma (infecção crônica que compromete a córnea e a conjuntiva), glaucoma, conjuntivites virais. Conjuntivite catarral aguda após agressão por produtos químicos. Também aplicados na prostatite (inflamação da próstata), na ausência de menstruação, nas cólicas em geral e nas hemorroidas. O paciente melhora muito ao ar livre.
Ferrum metallicum – Para as pessoas que apresentam grande sensibilidade aos ruídos. Recomendados para mulheres jovens anêmicas, com grande palidez, em especial na face, nos lábios e mãos; podem, contudo, corar com facilidade. Hemorragias abundantes. Dor de cabeça após a menstruação. Problemas gerais de menstruação: precoce, muito escassa ou abundante. Apetite muito voraz. Vômitos logo após a ingestão de alimentos. Dores de dentes que pioram com líquidos quentes e melhoram com gelados. Útil nos casos de queda do útero ou de posições anômalas deste órgão, seja devido ao parto ou em casos constitucionais. Diarreia sem cólicas. Tendência ao aborto com emissão de sangue. Varizes dos membros inferiores. Acne juvenil com muito pus e vermelhidão. Reumatismo com piora noturna. Boa melhora dos sintomas ao caminhar.
Ferrum phosphoricum – Grande remédio homeopático indicado principalmente no início de todas as inflamações e moléstias com febre, antes que principie a exsudação. Bronquite. Laringite aguda. Pneumonia. Enterite. Inflamações dos olhos e ouvidos. Reumatismo com dores que pioram com o movimento e melhoram com o frio. Excelente remédio para o começo dos resfriados.
Fluoris acidum – Cáries. Úlceras. Veias varicosas com ou sem ulceração. Sensação de queimadura. Suores nas palmas das mãos. Moços que parecem velhos.
Gelsemium sempervirens – A indicação principal deste remédio é para as grandes fraquezas com intensa prostração, falta de tônus muscular, sonolência, torpor, embotamento, lassidão e tremores. Grande sensibilidade. Muito utilizado, portanto, nas febres agudas ou intermitentes em que há desejo absoluto de repouso, em geral com ausência de sede, sem calafrios ou suores, piorando à tarde. Dado aos primeiros sintomas do sarampo é bom protetor. Útil na depressão provocada pelo sol excessivo de verão, neurastenia e fraquezas musculares inespecíficas. É o remédio ideal para a gripe com grande fluxo nasal, febre e prostração. Paralisias musculares, rouquidão durante a menstruação, afonias e cefaleias matinais. Todas as moléstias nervosas com tremores, neuroses profissionais, insônia, histeria, Coréia (distúrbio encefálico caracterizado por movimentos musculares anormais e espontâneos, irregulares, rápidos e transitórios), maus efeitos do medo ou das comoções. Também indicado para quase todas as doenças dos olhos, como visão dupla, dores oculares, astigmatismo, glaucoma, cegueiras de variadas causas, nevralgias. Seu uso facilita o parto em situações de rigidez do colo uterino e alivia as cólicas menstruais muito fortes.
Glonoinum – Congestões violentas e repentinas, sobretudo da cabeça, em especial devido ao calor do sol ou do fogo. Insolação. Ansiedade na região do coração. Dor de cabeça latejante e pulsátil, de natureza congestiva, com face vermelha, ardente e muito sensível. Pulsação rápida. Ciática com latejo e entorpecimento. Ondas de calor da menopausa.
Graphites – Sensação de frio no corpo. Timidez. Pessoas hesitantes. Erupções que vertem líquido aquoso e transparente, em qualquer parte do corpo.
Guaiacum – É o remédio de reumatismo crônico, quando as articulações estão deformadas. Pessoas reumáticas, indolentes, fracas e aborrecidas, de sono difícil. Falta de calor nos membros. Faringites, amigdalites e cefaleias em pessoas reumáticas.
Hamamelis virginica – Usada em todos os casos de hemorragia. Externamente, sua aplicação estanca hemorragias, impede inflamações, descongestiona a parte afetada, evita a supuração, alivia a dor e promove a regeneração dos tecidos.
Helleborus niger – Depressão sensorial e fraqueza muscular em geral, podendo chegar à paralisia. Movimentos automáticos de uma perna ou braço. Melancolia das mulheres na puberdade. Crianças que não querem comer. Agravação à tarde.
Hepar sulphuris – Remédio principal de toda supuração com dor e sensibilidade local. Dado no princípio de furúnculos, abscessos, etc. pode provocar sua absorção pelo próprio organismo. Doenças inflamatórias dos olhos, conjuntivites e blefarites (terçóis). Erupções da pele. Esfoladuras úmidas entre o púbis, a região genital e as coxas. Panarícios (inflamações da unha). Inflamações purulentas em geral. Laringite crônica com rouquidão, difteria. Transpirações profusas da menopausa. Pessoas sensíveis às contrariedades, ao frio e ao toque físico. Diarréia das crianças de peito.
Histaminum – Angústia, desejo de chorar. Cansaço geral acentuado. Rosto enrubescido, ardor nos olhos, ouvidos tapados. Coriza abundante, com espirros. Náuseas, nervosismo na boca do estômago. Diarreia matinal com dores abdominais e calafrios. Transpiração abundante e generalizada. Dor na nuca. Sangue menstrual escuro.
Hydrastis canadenses – Pessoas fracas, apresentando corrimentos mucosos e espessos. Catarro amarelado. Rinite, angina, bronquite e estomatite. Leucorreia (corrimento branco da vagina ou do útero) e gonorreia. Conjuntivite. Dispepsia, acidez, fígado ruim, pele cor de terra, sensação de vazio e pulsação na boca do estômago. Língua limpa dos lados e na ponta, tendo uma faixa amarela no centro, com a marca dos dentes nas bordas.
Hyoscyamus niger – Tenta apanhar coisas imaginárias no ar. Desconfiança ou lascívia. Mania senil. Medo constante de ser envenenado. Ciúme excessivo. Excitação seguida de prostração. Sede insaciável. Tosse que piora à noite, na cama, depois de comer, beber ou falar. Calmante para a tosse noturna. Combate a insônia do alcoolismo agudo.
Hypericum perforatum – Para ferimentos em que os nervos tenham sido atingidos, apresentando muita dor. Depressão nervosa. Hemorroidas. Neurastenia por estafa.
Ignatia amara – Remédio das grandes contradições: o zumbido nos ouvidos melhora com o ruído, as hemorroidas com o andar, a dor de garganta com a deglutição de sólidos, quanto mais tosse pior, riso convulsivo de dor, desejo e impotência, prisão de ventre e muita vontade de evacuar. Mudança rápida de estado mental: da alegria para a tristeza, do riso para o choro. Remédio para a histeria. Pessoas mental e fisicamente exaustas por um pesar intenso e longo. Fraqueza ou vazio na boca do estômago. Convulsões devidas ao medo. Tremor das pálpebras. Humor melancólico. Insônia após contrariedades. Sensação de constrição gástrica, melhorada por inspiração profunda. As fezes passam no ânus com dificuldade; constrição dolorosa depois da evacuação. Amigdalite folicular.
Iodum – Come bem, mas emagrece cada vez mais. Alívio ao comer. Marasmo infantil. Caquexia (desnutrição profunda) das moléstias crônicas. Ansiedade agravada pelo repouso. Hipertrofia e endurecimento das glândulas.
Ipeca ou Ipecacuanha – Pessoas irritáveis e que não sabem o que desejam. Náuseas e vômitos insistentes, que nada consegue aliviar. Poderoso remédio das hemorragias e dos acessos de asma brônquica. Remédio da broncopneumonia infantil. Acúmulo de mucosidade na árvore respiratória, que provoca tosse espasmódica.
Iris versicolor – Dores de cabeça, sobretudo gástricas ou biliosas. Congestão hepática com diarreia e flatulência. Dores localizadas, acima dos olhos, principalmente à direita. Náuseas, às vezes seguidas de vômitos azedos. Alívio ao caminhar ao ar livre.


Fonte: Portal Educação



Share on whatsapp
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email

DEIXE SEU COMENTÁRIO

VEJA TAMBÉM