Compartilhar no facebook
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

Os benefícios da música

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

“A música é o remédio da alma”, já dizia Platão.

Mas não pense que a afirmação é uma exagerada metáfora.

Na verdade, povos antigos da China, Egito e Índia já conheciam os poderes da melodia.

Hoje, a ciência comprova que a música atua no corpo e na mente de quem a ouve.

A prova é tanta que muitos pacientes com distúrbios emocionais e psicológicos são tratados através da musicoterapia.

Incrível, não?

O objetivo não é apenas curar, mas também substituir tratamentos químicos pela terapia da música ou “musicoterapia”.

Outro ponto positivo é que os animais e as plantas também têm sensibilidade para desfrutar o melhor que a música pode oferecer. 

Duvida?

Faça com que suas plantas “escutem” música clássica.

E veja como será o desenvolvimento delas.

A música é realmente muito poderosa.

Mas tem que ser uma música boa.

Algumas de compositores clássicos como Beethoven e Mozart já têm até eficácia terapêutica comprovada por experiências científicas.

Veja agora um resumo do que a música clássica pode fazer por sua saúde:

– Cura depressão, ansiedade e dor na cabeça: Beethoven e Listz são dois dos mais indicados para esses males. As músicas desses compositores relaxam e tranquilizam a mente em desarmonia. 

– Contribui para uma gestação tranquila: ouvir música clássica durante a gravidez não só é saudável para as mães, como também para os bebês durante toda a fase de crescimento. 

– Aguça a boa energia do corpo: o nosso corpo é composto por energia. Escutar quinze minutos de Mozart diariamente evita vários problemas de saúde. 

– Elimina dores de estômago.

– Mata células cancerosas: descobriu-se em testes de laboratório que a Quinta sinfonia de Beethoven é capaz de matar células cancerosas. Também há casos de cura com 45 minutos diários de Mozart. 

– Estimula a memória: os elementos musicais  – ritmo, melodia, harmonia, timbre… –  influenciam o sistema nervoso central e são capazes de mover sensibilidade, a memória e a imaginação das pessoas. Mas atenção: músicas “pesadas” (leia-se “ruins”) têm efeito contrário.

– Melhora o humor.

DEIXE SEU COMENTÁRIO