Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on telegram

Óleo de coco é veneno? Renomado cardiologista rebate: “Isso é um absurdo”

Quem se lembra da recente polêmica envolvendo o óleo de coco, considerado há muitos anos o queridinho dos nutricionistas e aliado da saúde e da boa forma?

Para quem não acompanhou, a gente explica: “Óleo de coco faz tão mal quanto veneno. É a pior coisa que você pode comer. Pior que banha de porco”.

Essas frases foram ditas por Karin Michels, professora da Escola de Saúde Pública da Universidade Harvard (Estados Unidos) e diretora do Instituto de Prevenção e Epidemiologia de Tumores da Universidade de Friburgo (Alemanha).

Mas parece que a afirmação de Karin não é muito confiável, não.

Segundo o doutor Aseem Malhotra, renomado cardiologista britânico, autor de vários livros e defensor das gorduras saturadas e fundador do grupo de campanha Action on Sugar, os comentários da professora são um desserviço à população e estão levando a prestigiada Universidade de Harvard a um descrédito.

“Depois de analisar a totalidade das evidências, posso dizer categoricamente que essa afirmação é totalmente falsa. Eu diria que é um absurdo não científico”, completa.

O óleo de coco possui proporção alta de ácidos graxos saturados.

Mas, de acordo com o cardiologista Aseem Malhotra, a gordura saturada não aumenta necessariamente o risco de doenças cardíacas.

Ele argumenta que o corte de gordura saturada de dietas levou ao aumento do consumo de açúcar e carboidratos, que estão alimentando a obesidade.

Cura pela Natureza

CURA PELA NATUREZA – LEIA AQUI AS ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Uma recente pesquisa realizada na Universidade de Cambridge investigou os efeitos do óleo de coco extra virgem nos níveis de colesterol.

O professor Kay-Tee Khaw e colegas compararam seus efeitos com o azeite de oliva em 94 participantes. Eles foram divididos em três grupos e todos os dias, durante quatro semanas, ingeriram 50g de óleo de coco, 50g de azeite  (comprovadamente para baixar o colesterol LDL), ou 50g de manteiga.

O grupo que comeu manteiga viu seus níveis de colesterol LDL aumentarem em cerca de 10%. Mas esses aumentos não foram mostrados para os grupos do óleo de coco ou do azeite de oliva.  

E o mais surpreendente foi o fato de que, enquanto a manteiga e o azeite de oliva aumentaram o colesterol HDL em 5%, o óleo de coco aumentou em impressionantes 15%.

O colesterol HDL é conhecido como bom colesterol.

Quanto mais alto ele for, menor o risco de doenças cardíacas.

As alegações do doutor Malhotra sobre o óleo de coco são apoiadas pelo colega cardiologista Luis Correia, da Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública no Brasil.

O professor Correia, diretor do Centro de Medicina Baseada em Evidências da Bahiana, disse: "Achei o recente alvoroço sobre o óleo de coco totalmente incompreensível".

Ele  citou o mesmo estudo da Universidade de Cambridge e argumentou que não há evidências de alta qualidade sugerindo que a gordura saturada possa levar a doenças cardíacas.

E acrescentou: “Qual é a base para chamar o óleo de coco de veneno? Esta alegação não é baseada em evidências e deve ser completamente desconsiderada”.

Este blog de notícias sobre tratamentos naturais não substitui um especialista. Consulte sempre seu médico.

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email

VEJA TAMBÉM

DEIXE SEU COMENTÁRIO