Compartilhar no facebook
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

O que significam as pequenas bolhas que costumam aparecer nas mãos e como tratá-las

Você já teve ou conhece alguém que tem aquelas bolhinhas que parecem cheias de água nas mãos ou nos pés?

Pois essas bolhas são chamadas de disidrose ou eczema disidrótico.
 
Elas são mais frequentes nas palmas das mãos, lados dos dedos e na sola dos pés.
 
Para entender o que é a disidrose, primeiro, é importante saber o que é exatamente um eczema.

Eczema é o nome dado a um grupo de doenças que causam inflamação da pele.

Também chamado de dermatite. Quando ocorre um surto de eczema, a pele fica vermelha, coçando e inchada, com bolhas cheias de líquido que às vezes escorrem e se transformam em crosta.

O curioso é que existem vários tipos diferentes de eczema, mas um dos mais comuns é o disidrótico.

Esse tipo de eczema causa bolhas pequenas e vermelhas, também chamadas de vesículas, e provoca uma coceira intensa e dolorosa, podendo levar semanas para desaparecer.

E é bom tomar cuidado!

O eczema disidrótico tem uma tendência a se infectar, o que pode atrasar o processo de cicatrização.

Se você acredita que este é o seu caso, entre em contato com seu médico imediatamente para procurar tratamento adequado.

Muitas pessoas se perguntam qual é a causa do eczema disidrótico.

Pois olha só: especialistas acreditam que o problema pode estar relacionado à alguma alergia, que pode ser por contato com alguma substância (perfume, produtos de limpeza, cremes e outros); por inalantes (como cheiro de tinta, solventes, material de construção etc.); alimentos (como glúten e laticínios) ou medicamentos.
 
A disidrose é duas vezes mais comum em mulheres do que em homens e, embora possa ocorrer em pessoas de qualquer idade, é mais comum em adultos com idade entre 20 e 40 anos.

É importante dizer que o eczema disidrótico não é contagioso, ou seja, não passa de uma pessoa para outra.
 
Pessoas com dermatite de contato, eczema atópico ou rinite alérgica têm um risco maior de desenvolver eczema disidrótico.

Ele também está relacionada ao estresse emocional e à hereditariedade.
 
Mas como tratar a disidrose?  

Ainda não há cura para a disidrose, mas, em muitos casos, ela é bastante administrável com tratamentos que incluem cremes com corticoides potentes para ajudar a regredir a lesão.
 
Mas se você preferir alternativas naturais para tratar o eczema disidrótico, anote aí:

Em geral, manter sua pele limpa e hidratada é uma das melhores maneiras de deixar seu eczema sob controle.

Além disso:

1. Faça compressas a frio

Hidratar a área em que o surto ocorreu e aplicar compressas frias por 15 minutos de cada vez ajudará a reduzir a inflamação da pele. Repita este processo de duas a quatro vezes ao longo do dia, seguido da aplicação de um hidratante na área afetada para máxima eficácia.

2. Use babosa (aloe vera)

A planta babosa é conhecida por sua capacidade de acalmar a pele irritada.

Não só isso, ela ajuda a acelerar o processo de cura.

Para aproveitar o poder da babosa, pegue um pedaço da planta, extraia o gel e aplique uma camada grossa dele na sua pele inflamada.

3. Use farinha de Aveia

Aveia é usada para aliviar as condições da pele por causa de suas propriedades antiinflamatórias comprovadas.

A aplicação de aveia diretamente na pele irritada ajudará a reduzir os sintomas do eczema e a deixar a pele saudável novamente.

Mas procure uma aveia de boa qualidade, orgânica preferencialmente.

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

DEIXE SEU COMENTÁRIO

VEJA TAMBÉM