Compartilhar no facebook
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

O que é um sociopata e como ele age

Políticos e autoridades que faturam bilhões por meio de corrupção de forma insaciável são um exemplo de personalidade sociopata.

Personalidade dissocial ou antissocial é o termo oficial para designar um psicopata ou sociopata, de acordo com a Classificação Internacional de Doenças (CID-10).

Um sociopata tem tendência à agressividade e repúdio às normas sociais.

Não muda seu modo de agir facilmente, mesmo após ser punido.

Além disso, não tolera frustração e costuma botar a culpa nos outros pelas coisas que faz.

Você conhece alguém assim?

Ou se identificou com a descrição desse tipo de personalidade?

Pois, por incrível que possa parecer, há indivíduos antissociais por todos os lados na sociedade.

Pode acreditar: eles vivem e trabalham entre nós. 

A maioria dos sociopatas não é consciente de suas dificuldades e age por impulso e sem censura aos seus desejos socialmente prejudiciais.

Eles veem os outros apenas como objetos para seu uso.

São manipuladores e aproveitam todas as oportunidades para explorar alguém ou qualquer situação para tirar vantagem.

E muito mais que imoral (contrário à moral), um sociopata é amoral.

Ou seja: para ele, a noção de certo ou errado não existe, ou é irrelevante.

Ele só pensa em conseguir o que quer.

Para isso, pode atacar uma pessoa, uma família, uma instituição ou mesmo um país inteiro, dependendo do seu nível de poder e influência.

Não importa.

Ele não sente remorso pelo que faz.

Pelo contrário: justifica suas ações quando faz algo errado e muitas vezes até culpa suas vítimas.

Muitos deles são paranoicos e têm mania de perseguição.

Um sociopata raramente aceita “Não” como resposta.

É altamente impulsivo e não avalia se uma situação é imprudente ou não.

Ele simplesmente faz. 

Normalmente, um sociopata procura por empregos onde ele possa dominar, controlar ou oprimir outras pessoas.

Terapeutas que dormem com clientes problemáticos; políticos que faturam bilhões por meio de corrupção de forma insaciável; líderes espirituais modernos cujo verdadeiro objetivo é explorar sexual ou financeiramente seguidores e gurus de investimentos são alguns exemplos.

No altíssimo extremo da personalidade sociopática estão os estupradores, sádicos e assassinos em série.

Depois, há os cafetões, chantagistas e membros de gangues e outros tipos de crime organizado.

Eles prendem suas vítimas usando de seu charme, sedução ou suborno, coerção e intimidação.

É preciso ficar bastante atento.

Quanto mais inteligente o sociopata, mais perigoso ele é.

E o pior: esse tipo de gente reconhece os necessitados, os vulneráveis ​​e os ingênuos.

E o indivíduo antissocial explora a fraqueza emocional de suas presas.

É importante conseguir reconhecer os sociopatas que estão entre nós, no nosso dia a dia.

Fique atento às pessoas extremamente ambiciosas, frias, agressivas.

Ou alguém que é bom demais para ser verdade é frequentemente revelado mais tarde como um sociopata, assim como o indivíduo excessivamente cruel e implacável.

Ser capaz de identificá-los pode poupar o sofrimento de muitas pessoas.  

A dica é: desconfie, questione, pesquise sobre uma pessoa da qual você desconfia.

Você pode mesmo estar lidando com um sociopata.

Você deve ter muito cuidado também com as pessoas narcisistas.

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

DEIXE SEU COMENTÁRIO

VEJA TAMBÉM