Compartilhar no facebook
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

Nozes podem reduzir o risco de Alzheimer

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Estudos publicados no Journal of the American Medical Association revelam que a vitamina E e outros antioxidantes encontrados nas nozes, nos vegetais de folhas verdes e em outros alimentos podem reduzir o risco da doença de Alzheimer (demência).

Ou seja, as nozes, além de prevenir ataques cardíacos e outras enfermidades, reduzem o risco de a pessoa desenvolver Alzheimer.

As nozes contêm maior concentração da vitamina E alfa-tocoferol – a forma da vitamina E que o corpo melhor absorve e utiliza.

Uma porção de nozes contém 164 calorias e fornece vitamina E, magnésio e potássio – que contribuem para um risco reduzido de ataque cardíaco. Além disso, as nozes são repletas de proteínas, gordura monoinsaturada saudável, fibras, cálcio e zinco.

Em resumo, o consumo de uma noz por dia previne doenças crônico-degenerativas.

Alto poder antioxidante

Segundo outro estudo, as nozes são o alimento vegetal com maior quantidade de antioxidantes: cada 100 gramas de nozes apresenta 20,97 unidades de antioxidantes, quantidade muito superior à encontrada na laranja (1,14), no espinafre (0,98), na cenoura (0,04) e no tomate (0,31).

O consumo de uma porção de nozes como parte de uma dieta saudável (rica em peixes e azeite de oliva) pode diminuir o colesterol ruim (LDL) e ajudar a reduzir o risco de doença cardíaca. Além disso, comer um punhado de nozes duas ou mais vezes por semana pode reduzir os riscos de doenças cardíacas fatais.

É bom lembrar, porém, que as nozes são alimentos construtores, devido ao seu alto teor protéico – o excesso, além de elevar o ganho de peso, pode provocar o aumento de ácidos graxos no sangue, acarretando efeitos prejudiciais ao organismo.

Fonte de pesquisa: Dutra-de-Oliveira, J. E.; Marchini, J. S. Ciências nutricionais, Ed. Sarvier.

DEIXE SEU COMENTÁRIO