Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on telegram

Neurocirurgiões realizam com êxito o primeiro transplante de cabeça!

Notícias a respeito do primeiro transplante de cabeça vêm circulando em vários meios de comunicação já faz algum tempo.

É impossível não lembrar do doutor Victor Frankenstein – a diferença é que não é ficção, mas ciência.

E agora o esperado transplante finalmente se concretizou.

Quem está por trás dessa novidade surpreendente é um grupo de médicos da Universidade de Medicina de Harbin, na China.

Eles conseguiram, depois de 18h de trabalho, fazer o transplante num cadáver.

Ao fim do procedimento, chegaram à conclusão de que é possível conectar a cabeça de uma pessoa com a coluna vertebral de outra, através de nervos e vasos sanguíneos.

O transplante foi liderado pelo dr. Xiaoping Ren, que no ano passado inseriu com sucesso uma cabeça no corpo de um macaco.

Segundo o cirurgião, o próximo passo é o uso do corpo de doadores com morte cerebral em pessoas deficientes.

Depois do transplante, o professor e diretor do Grupo de Neuromodulação Avançada de Turim, Sérgio Canavero, durante uma coletiva de imprensa, afirmou ao Jornal Telegraph que isso não demoraria a acontecer.

Ainda não temos nenhuma evidência concreta, mas o neurocirurgião italiano afirmou que o estudo do experimento com cadáveres será publicado em alguns dias.

E ele promete para dezembro a realização do primeiro transplante em pessoas vivas.

O especialista em computação russo Valery Spiridonov, de 31 anos, que sofre de uma doença degenerativa incurável, já se voluntariou para ser o primeiro paciente de Canavero.

O dr. Sérgio Canavero, porém, ainda não confirmou o local.

Ah, antes de terminar, uma reflexão sobre lógica: a mídia e os médicos estão chamando de “transplante de cabeça”.

Mas, pensando bem, deveria se chamar “transplante de corpo”.

Afinal de contas, a pessoa viva ganha um corpo novo.

Concorda ou não com nossa linha de pensamento?

Este é um blog de notícias sobre tratamentos caseiros. Ele não substitui um especialista. Consulte sempre seu médico.

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email

DEIXE SEU COMENTÁRIO

VEJA TAMBÉM