Compartilhar no facebook
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

Mulher que “morreu” por 27 minutos escreve o que viu do outro lado

Americana que “morreu” por 27 minutos e depois ressuscitou revela o que viu na vida após a morte.

Você já ouviu falar em experiência de quase-morte ou (EQM)?

O termo experiência de quase-morte (ou EQM) refere-se a um conjunto de visões e sensações frequentemente associadas a situações de morte iminente, sendo as mais conhecidas: a projeção da consciência (também chamada de “projeção astral”, “experiência fora do corpo”, “desdobramento espiritual”, “emancipação da alma”), a “sensação de serenidade” e a “experiência do túnel”.

Esses fenômenos são normalmente relatados após a pessoa ter sido declarada clinicamente morta ou muito perto da morte.

E foi por essa experiência que Tina Hines passou, e sua sobrinha, Madie Johnson, resolveu compartilhar nas redes sociais. 

“A história dela é real demais para não ser compartilhada e me deu mais confiança em uma fé que muitas vezes não pode ser vista”, escreveu Madie.

Sua tia, de Phoenix, Estados Unidos, estava se preparando para escalar com o marido, quando de repente caiu.

Ela ficou roxa e não fez barulho algum ou respirou.

O marido dela, Brian Hines, conseguiu ressuscitar sua esposa pouco antes de os paramédicos chegarem ao local.

Mas, no caminho para o hospital, a mulher sofreu vários ataques cardíacos. 

“No total, nós a desfibrilamos três vezes no local e duas vezes na estrada”, disse um dos bombeiros de Phoenix.

“Eu nunca tinha desfibrilado alguém tantas vezes.”

Milagrosamente, Tina Hines, mãe de quatro filhos, acordou e imediatamente pediu para escrever a seguinte mensagem: “É real”, dizia ela apontando para o céu com lágrimas nos olhos.

E completou: “Era tão real, as cores eram tão vibrantes”, disse a mulher, referindo-se à sua visão.

Ela afirma que Jesus estava em pé diante de portas negras e com um brilho dourado atrás dele.

É por isso que Madie queria fazer logo uma tatuagem para ter uma memória permanente da viagem de sua tia Tina ao além.

A artista que fez a tatuagem, Suede Silver, compartilhou no Facebook a foto de seu trabalho, acompanhada pela história que a justifica. 

A partir daí, essa postagem foi compartilhada várias vezes e colheu milhares de reações e comentários de pessoas que dizem ter tido experiências semelhantes de quase morte.

Incrível, não é?  

Pois um estudo sobre o fenômeno, publicado em 2013 nos Anais da Academia Nacional de Ciência dos Estados Unidos, descobriu que altos níveis de ondas cerebrais presentes em ratos no momento da morte poderiam explicar esse tipo de experiência descrita pelos sobreviventes.

Muitas pessoas pensam que o cérebro, após a morte clínica, é inativo ou hipoativo, com menos atividade do que o estado de vigília.

No entanto, mostramos que esse definitivamente não é o caso”, explicou o doutor Jimo Borjigin, principal autor do estudo.

“De fato, [o cérebro] é mais ativo durante o processo de morte do que no estado de vigília”.

Fonte: Yahoo

Artículo publicado en MysteryPlanet.com.ar: Mujer que «murió» por 27 minutos escribe lo que vio del otro lado https://mysteryplanet.com.ar/site/mujer-que-murio-por-27-minutos-escribe-lo-que-vio-del-otro-lado/

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

DEIXE SEU COMENTÁRIO