Compartilhar no facebook
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

Muco nas fezes: as causas e como tratar

Muco nas fezes

Se você encontrar muco nas suas fezes, é importante saber a causa e tratar o sintoma para que não haja agravamento do problema.

Apesar de não parecer, o muco não só é natural, como muito importante para o nosso corpo.

Ele é produzido pelos tecidos para alinhar e proteger a boca, nariz, seios da face, garganta, pulmões e intestino.

Na maioria das vezes, o muco é claro e fino.

Mas doenças, dietas ou fatores ambientais podem, esporadicamente, aumentar a consistência e até mesmo mudar a cor da secreção. 

E com as fezes não é diferente.

A membrana mucosa do intestino grosso ajuda a passagem das fezes.

Por isso, um movimento intestinal “normal” não produzirá muito muco. 

Mas, quando as fezes aparecem acompanhadas de secreção visível, pode ascender o sinal de alerta.

Isso pode ser um sintoma de infecções bacterianas, fissuras anais, obstrução intestinal ou doença de Crohn. 

Outros sinais importantes que você deve observar nas fezes são: quantidades aumentadas de muco; sangue ou pus nas fezes; dor de estômago, cólicas ou inchaço; mudanças súbitas na frequência, consistência ou cor das fezes.

Além de desidratação e constipação, outros fatores também podem causar muco nas fezes:

1. Infecções bacterianas

Bastante comum, infecções bacterianas são geralmente causadas por bactérias como Campylobacter, Salmonella, Shigella e Yersinia.

Essas bactérias provocam intoxicação alimentar e outras infecções.

Sinais incluem diarreia, cólicas, vômito, náusea e febre.

2.    Fissuras anais e úlceras

Uma fissura anal é causada por diarreia persistente, fezes duras e outras situações difíceis do intestino.

Apesar de a fissura provocar evacuações dolorosas, não é uma condição grave. 

As úlceras são semelhantes às fissuras anais.

Outro ponto importante: se estiver sob quimioterapia ou radioterapia, o corpo pode sofrer uma perda mais severa do muco, chamada mucosite gastrointestinal.

Essa condição pode exigir tratamento hospitalar.

3. Obstrução intestinal

Sintomas como cãibras, constipação, gases ou inchaço podem ser sinais de obstrução intestinal.

As possíveis causas podem ser fezes acumuladas (prisão de ventre), hérnia, tumor ou a passagem de um item não alimentar (a ingestão, por exemplo, acidental de um objeto).

4. Síndrome do intestino irritável, colite ulcerativa e doença de Crohn

A síndrome do intestino irritável (SII) pode aumentar a produção de muco.

Esse sintoma é mais comum em pessoas com diarreia do que naquelas com síndrome do intestino irritável com predominância de constipação.

A colite ulcerativa, uma forma de doença inflamatória intestinal, pode resultar na inflamação da membrana mucosa do intestino grosso e no desenvolvimento de úlceras.

Essas úlceras podem sangrar e também podem produzir pus e muco.

É muito menos provável que a doença de Crohn produza quantidades aumentadas de muco nas fezes. 

5. Dieta

Alergias alimentares, como aquelas associadas com nozes, lactose ou glúten, podem causar muco nas fezes.

Certos itens alimentares podem causar desconforto e sintomas como inchaço, diarreia, erupções cutâneas, prisão de ventre.

Depois de diagnosticada a causa do muco nas fezes, é preciso tomar algumas medidas.

Se forem encontradas bactérias nas fezes, é necessário tratamento com probióticos como kefir e iogurte.

Em caso de alergia alimentar, é preciso mudar os hábitos de vida e alimentares. 

Alguns probióticos e suplementos podem ajudar aqueles com evacuações diárias irregulares, constipação ou diarreia. 

Consulte o seu médico para que ele determine a melhor opção de tratamento.

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

DEIXE SEU COMENTÁRIO