Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on telegram

Meningite ainda mata: teste caseiro para ajudar você a saber se tem ou não a doença

A meningite bacteriana é o tipo mais grave de meningite.

Ela pode levar o paciente à morte ou a graves sequelas, como a invalidez.

Ou seja, é uma doença que deve ser pesquisada e discutida com muita seriedade.

Para que você entenda bem o que acontece, vamos por parte:

A meningite inflama as meninges, as membranas que cercam o cérebro e a medula espinhal, que protegem o sistema nervoso central juntamente com o líquido cefalorraquidiano.

A taxa de mortalidade causada por essa doença gira em torno de 35%.

E pasmem!

Metade dos afetados continua sofrendo com alguns efeitos mesmo depois da recuperação.

As causas da doença estão relacionadas a bactérias como:

  • Haemophilus influenzae (H. influenzae)  
  • Neisseria meningitides (N. meningitides)
  • Streptococcus pneumoniae (S. pneumonia)
  • Listeria monocytogenes (L. monocytogenes
  • Streptococcus do Grupo B

Já deu para perceber que são muitas, não é mesmo?

O pior é que alguns fatores aumentam os riscos, como:

  • Trauma anatômico, como uma fratura no crânio e alguns tipos de cirurgia, pois permitem a entrada de bactérias no sistema nervoso
  • Infecção na área da cabeça ou do pescoço
  • Longas horas diariamente em lugares com muita gente, como escolas e faculdades
  • Sistema imunológico enfraquecido, devido a uma condição médica ou tratamento
  • Trabalho em laboratórios e outros lugares onde patógenos de meningite estão presentes

Muita atenção, porque é comum a transmissão da doença através da tosse e saliva.

Nada de beber no mesmo copo ou comer na mesma colher de uma pessoa infectada!

As mamães também podem passar a doença para os filhos durante o parto.

E como os bebês têm um corpinho frágil, são os mais atingidos pela meningite.

Procure um médico para fazer os exames adequados porque há pessoas que são apenas transportadoras da bactéria.

Elas, por exemplo, não desenvolvem os sintomas, mas transmitem a doença para os outros.

Se você já teve o diagnóstico de que está tudo bem, cuide da sua alimentação para garantir uma imunidade forte.

Outros tipos de meningite também são perigosos, como a meningite viral, parasitária, fúngica e não infecciosa, mas nenhum deles se compara ao tipo bacteriano, que é o mais grave.

Os sintomas mais comuns são:

  • Febre
  • Pescoço rígido
  • Dor na cabeça
  • Náuseas
  • Vômitos
  • Sensibilidade à luz
  • Dor muscular
  • Manchas na pele

Geralmente os sinais aparecem até sete dias depois da infecção.

No caso dos bebês, podemos desconfiar da doenças se eles:

  • Respiram muito rápido
  • Mostram irritabilidade
  • Choram muito ou gritam
  • Apresentam o corpo rígido com movimentos bruscos

O teste do copo pode ajudar a diagnosticar o problema, caso um dos sintomas seja erupção cutânea.

Uma erupção de meningite  ocorre  se o sangue vaza para o tecido sob a pele.

Pode começar como algumas pequenas manchas em qualquer parte do corpo, depois se espalhar rapidamente e parecer com hematomas leves.

Siga as seguintes instruções para fazer o teste:

  1. Pressione a lateral de um copo com firmeza contra a erupção.
  2. Se a erupção diminuir e perder a cor sob pressão, não é meningite.
  3. Se não mudar de cor, você deve contatar um médico imediatamente.

Mas que fique claro: este teste caseiro não substitui exames clínicos.

Ele é apenas um apoio para o diagnóstico precoce.

O tratamento da doença deve ser feito em um hospital, com uma equipe de médicos especialistas.

Vamos dar algumas dicas para aliviar os sintomas, mas nada disso substitui o seu médico nem cura a doença.

  1. Coloque uma toalha molhada na testa para reduzir a febre
  2. Beba muita água de coco para se hidratar e evitar a perda de eletrólitos
  3. Beba chá de gengibre para hidratar o corpo e aliviar a dor e as náuseas
  4. Faça uma massagem com óleos essenciais, como o de hortelã, canela ou pimenta; isso aliviará a dor muscular.

Ah, e tem mais uma coisa: para evitar a doença, procure manter a imunidade elevada, tenha uma boa higiene e lave as mãos com frequência.  


Share on whatsapp
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email

DEIXE SEU COMENTÁRIO

VEJA TAMBÉM