Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on telegram

Médico americano revela: “A quimioterapia não funciona em 97% dos casos”

O câncer continua sendo uma das mais terríveis doenças que a humanidade já viu.
 
É uma das principais causas de morte no mundo.
 
Como um sistema de tratamento tão avançado não consegue diminuir as perdas?

Bom, talvez a quimioterapia e a cirurgia não sejam verdadeiros avanços.
 
É assim que pensa o dr. Peter Glidden.
 
Esse médico americano se destaca por ter a coragem de lutar contra o sistema.
 
Formado há quase três décadas pela universidade de Massachusetts, ele é um árduo defensor da medicina natural.
 
E um crítico feroz da quimioterapia.
 
Ele costumar citar um estudo publicado no Journal Clinical Oncology, que estranhamente foi ignorado pela mídia e pelos profissionais da área.
 
Esse estudo mostrou que a maioria dos pacientes num período de 12 anos, após receber quimioterapia, ainda não haviam sido curados.
 
Na verdade, 97% ainda tinham vestígios da doença.
 
Talvez você, como milhares de pessoas, pergunte: "Então por que ainda usamos a quimioterapia?"
 
Para o dr. Glidden, só há uma explicação: o dinheiro.
 
Os remédios usados nesse tipo de tratamento são comprados de poderosas empresas farmacêuticas.
 
Em seguida, são vendidos aos pacientes – com preços elevadíssimos.
 
Por isso, é muito interessante para quem quer lucrar o tratamento feito por quimioterapia.
 
O médico alerta: a quimioterapia está matando as pessoas.
 
 
E reforça: em 97% dos casos, ela é ineficiente.
 
O dr. Glidden cita mais um estudo.
 
Desta vez, realizado na Austrália e que analisou o efeito da quimioterapia depois dos cinco primeiros anos em adultos.
 
O resultado da pesquisa é que a quimioterapia citotóxica teve um efeito de apenas 2,3% na Austrália e de 2,1% nos EUA.
 
Portanto, declara o dr. Glidden, "está claro que a contribuição da quimioterapia para a cura do câncer é muito baixa".
 
Para Glidden, essa é apenas a ponta do iceberg, pois a indústria farmacêutica tem total controle sobre nós.
 
E o que precisamos é de uma medicina humanizada, que vise à saúde e ao bem-estar das pessoas, em vez do lucro financeiro.
 
No entanto, ele não é o único a pensar assim.
 
O dr. Leonard Coldwell acredita que a quimioterapia é uma bomba na mão dos médicos.
 
"Eles bombardeiam todo o corpo e, em seguida, dizem que o câncer está morto".
 
A quimioterapia, segundo o dr. Coldwell, destrói todas as funções bioquímicas e bioelétricas do corpo.
 
Então, o câncer não tem mais força, mas não apenas ele: todo o corpo do paciente está enfraquecido.
 
Isso é o que chamamos de cura?
 
O doutor acredita que o problema está na forma em que os médicos foram treinados.
 
Eles parecem que não aprenderam a curar pessoas, mas apenas a fazer cirurgias e aplicar produtos químicos para acabar com os sintomas das doenças.
 
Como desabafo, ele compartilha o que tem observado há muito tempo: a taxa de suicídio entre os médicos nos Estados Unidos só aumenta, além da dependência ao álcool e outras drogas – talvez isso seja o reflexo de uma vida profissional frustrada.
 
Falamos de frustração não pelo lado financeiro, mas por não conseguirem salvar vidas como gostariam.
 
Muitos desses médicos provavelmente sabem que a quimioterapia não é o melhor caminho para curar o câncer – mas continuam a fazer porque o sistema assim o quer.​
 
Este é um blog de notícias sobre tratamentos caseiros. Ele não substitui um especialista. Consulte sempre seu médico.
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email

DEIXE SEU COMENTÁRIO