- PUBLICIDADE -

Error: Embedded data could not be displayed.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

As maravilhas da semente de abóbora

semente de abóbora
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

O uso medicinal da semente de abóbora (ou jerimum, em algumas regiões do Brasil) é comum em vários povos, como os chineses, cuja milenar medicina é uma das mais sábias e eficazes.

As sementes contêm de 44% a 50% de fração oleosa (rica em ácidos graxos mono e poli-insaturados), elevado teor de fibras (23-27%) em relação às demais sementes, albuminas (proteínas – 37% a 40%), cucurbitacina, sais minerais, especialmente zinco, magnésio e potássio, vitaminas do complexo B, sais do ácido fólico (folatos) e outros nutrientes.

A presença cucurbitacina, substância que lhe dá a classificação botânica, confere à semente de abóbora reconhecida propriedade anti-inflamatória, principalmente nas doenças da próstata e do sistema urinário.

Ela é ainda um ótimo vermífugo para adultos e crianças.

Cozida em água é uma opção para o tratamento de bronquite.

O psicólogo Jonny Bowden (Doutorado em nutrição pela Universidade Clayton/EUA), que se dedica à pesquisa dos alimentos há duas décadas, fez em 2008 uma lista dos dez alimentos para os quais damos pouca atenção, mas que deveriam fazer parte da alimentação diária.

O décimo da lista é a semente de abóbora, por ser uma boa fonte de magnésio, e, segundo estudos franceses, pessoas com altas taxas de magnésio no sangue têm 40% menos chances de sofrer uma morte prematura do que aqueles com baixos índices.

As sementes são mais terapêuticas se consumidas frescas e cruas, com ou sem casca.

O ideal é deixá-las de molho durante a noite e batê-las num suco ou vitamina pela manhã.

A semente de abóbora torrada e salgada, como normalmente comercializada, não apresenta o mesmo valor terapêutico da semente crua.

Rica em ácidos graxos monoinsaturados, pesquisas têm comprovado que o óleo contido nas sementes de abóbora apresenta resultados benéficos no tratamento de problemas da vesícula (congestão e cálculos) e próstata (hiperplasia).

Outros benefícios da semente de abobora

Coração

O óleo contido na semente da abóbora é comparável ao azeite de oliva extravirgem.

Estudos revelam que o seu consumo diário tem efeito redutor das taxas de colesterol e triglicérides.

As vitaminas A, B1, B2, E, niacina, ácido fólico, e os minerais magnésio, zinco, ferro, cobre, potássio, manganês, cálcio e selênio complementam esse pacote nutricional, que promove saúde ao coração.

Pressão sanguínea

Aposte na semente de abóbora para prevenir e tratar hipertensão arterial.

Rica em potássio (919 miligramas), este mineral cumpre importante função no controle da pressão arterial.

Homens e mulheres precisam consumir cerca de 2.000 miligramas de potássio/dia.

Prisão de Ventre

A concentração de fibras na semente de abóbora é bastante elevada, o que torna o consumo diário desta semente muito indicado na prevenção e tratamento da prisão de ventre.

Mas não esqueça: a semente crua é muito mais benéfica que a torrada e o aumento do consumo de fibras deve ser acompanhado pelo adequado consumo de líquidos: água, sucos e alimentos crus.

Pele, cabelo e olhos

Rica em vitamina E, de reconhecida ação antioxidante, o consumo diário desta semente pode ser um coadjuvante no combate ao envelhecimento precoce, não só da pele, como das células de todo o organismo.

A dose recomendada para homens e mulheres é de 15 miligramas/dia.

Ela é também rica em vitamina A (6,2 microgramas), previne doenças como a degeneração macular.

Vale um lembrete: mulheres precisam de 700 microgramas/dia, enquanto os homens precisam de 900 microgramas/dia.

O óleo extraído da semente de abóbora, usado tanto interna quanto externamente, auxilia no tratamento de queda de cabelo, pois combate o DHT (Di-hidrotestosterona), que é o hormônio que penetra nos receptores dos folículos pilosos, iniciando um processo de enfraquecimento e perda dos cabelos.

Próstata

A semente de abóbora é considerada um dos melhores tratamentos naturais na prevenção de problemas da próstata e trato urinário.
Seus lipídios e alta concentração de zinco melhoram a tonicidade dos músculos da bexiga, descongestionando a próstata.

Ela pode ser ministrada como um coadjuvante na hipertrofia e inflamação da próstata e também para prevenir quadros de inflamação da vesícula urinária.

Receita: cozinhe 150 gramas de sementes inteiras de abóbora (frescas e cruas, sem descascar) em 1 litro de água filtrada por 20 minutos em fogo lento.
Deixe esfriar e transfira para uma garrafa ou recipiente de boca larga.

Não é necessário coar, pois as sementes permanecerão no fundo, e poderão ser jogadas fora após o total resfriamento.
Tome um copo desta água três vezes ao longo do dia.

Vermífugo

A abóbora está inscrita nas Farmacopeias Brasileiras I e II, nas quais consta como parte usada a sua semente.

Há destaque para a ação anti-helmíntica (vermífuga) das sementes de abóbora, particularmente no combate à tênia.

O princípio ativo que lhe confere esta notável propriedade é a cucurbitacina.

Alguns autores mencionam a semente crua e descascada; outros, a semente torrada.

De qualquer forma, como é um tratamento de dose única, a indicação é de 100 a 150 gramas (crianças) e 200 a 250 gramas (adultos).

Fonte: Doce Limão