Jovem passou dias festejando antes de perceber que tinha levado um t1ro na cabeça

Imagem: Reprodução

O jovem de 21 anos descobriu quatro dias depois que tinha uma bala alojada em seu crânio.

Um estudante universitário mineiro vivenciou um evento chocante na festa da virada, no dia 31 de dezembro de 2023.

Mateus Facio, 21 anos, estava com amigos numa praia de Cabo Frio, no litoral norte do Rio de Janeiro, quando foi atingido por um objeto na cabeça.

Inicialmente, ele pensou ser uma pedra, porém, dias depois descobriu ser mais grave do que imaginava.

Apesar da dor e do sangramento resultantes do impacto, o jovem continuou a celebrar, sem estar ciente da gravidade de sua lesão.

“Imaginei que fosse uma pedrada, algo do tipo. Foi tipo um barulho de uma explosão, quando explode uma bomba, porém dentro da minha cabeça”, conta Mateus.

No dia seguinte, 01/01/2024, Mateus saiu novamente com seus amigos, sem perceber nada de estranho em seu corpo.

Foi somente no dia 2 de janeiro, durante sua viagem de mais de 300 quilômetros de volta para Minas Gerais, que ele começou a ter espasmos no braço direito.

No quarto dia após o acontecimento, Mateus percebeu que seu braço direito estava paralisado.

Nesse momento, ele então decidiu procurar atendimento médico, onde acabou descobrindo a verdadeira natureza de sua lesão por meio de um exame de tomografia.

O neurocirurgião Flavio Falcometa, revelou a surpreendente causa de seus sintomas: o paciente estava com uma bala alojada no cérebro do paciente em seu cérebro.

Jovem passou dias festejando antes de perceber que tinha levado um t1ro na cabeça
Imagem: Reprodução

Ele explicou que a parte da bala que penetrou no cérebro causou compressão em uma área, resultando nos movimentos involuntários no braço do jovem. 

O médico enfatizou a gravidade da situação, destacando que se a bala estivesse posicionada ligeiramente diferente, poderia ter causado danos mais sérios, como paralisia do braço ou de um lado do corpo.

Caso de Polícia

A revelação de que Mateus foi baleado levou à intervenção policial.

Como parte da investigação, Detetives colheram o depoimento do jovem e analisaram o fragmento de bala removido de seu cérebro durante uma cirurgia de emergência.

 A operação foi considerada necessária devido à condição “muito arriscada” do jovem.

Apesar disso,  o neurocirurgião expressou otimismo quanto à recuperação, estimando que Mateus poderia retomar sua vida normal em 20 a 30 dias.

A mãe do jovem expressou alívio e espanto diante do desfecho, considerando a sobrevivência de seu filho como algo miraculoso.

Ela descreveu a situação como inexplicável, destacando o fato de que o filho teve uma bala alojada na cabeça por quatro dias e sobreviveu, sentindo que ele “nasceu de novo”.

O incidente levantou preocupações sobre a segurança pública e as circunstâncias do disparo que atingiu o jovem.

A investigação policial em curso está focada em esclarecer esses detalhes, buscando descobrir as origens do disparo e identificar a pessoa responsável pelo incidente.