- PUBLICIDADE -

Error: Embedded data could not be displayed.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

Fucus vesiculosus

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
O fucus vesiculosus é uma alga marinha encontrada nas costas do Mar do Norte, Mar Báltico e Oceanos Atlântico e Pacífico. O fucus era fonte original de iodo, descoberto em 1811 e usado extensivamente para tratar bócio, um inchaço na glândula tireoide relacionado à deficiência de iodo.
A partir de 1860 foi defendido que o fucus era um estimulante de tireoide e poderia combater a obesidade ao elevar a taxa metabólica. Desde então, o fucus vem sendo parte de várias fórmulas e remédios para emagrecer.
O fucus é um alimento comum no Japão e usado como aditivo alimentar e aromatizante em vários alimentos na Europa. O fucus também é comumente encontrado como componente de suplementos alimentares. 
Os principais elementos contidos no fucus são mucilagem, manitol, betacaroteno, iodo, zeaxantina, bromo, óleos voláteis e potássio. O principal uso do fucus na medicina herbal é como fonte de iodo, um nutriente essencial para a glândula tireoide. O fucus tem se mostrado útil no tratamento de hipotireoidismo e bócio. Com a regulação da função da tireoide há melhora em todos os sintomas associados. Desta forma, quando a obesidade estiver relacionada aos problemas na tireoide, o fucus poderia ser útil para combater o excesso de peso. 
O fucus é usado como suplemento alimentar com indicação para pessoas que tenham obesidade associada à deficiência de iodo e hipotireoidismo. O fucus também tem reputação de aliviar reumatismo e azia. 
O fucus não deve ser usado em casos de hipertireoidismo, problemas cardíacos ou durante a gravidez e a amamentação. Doses excessivas de fucus podem ocasionar hipertireoidismo, tremor, elevação da pulsação e da pressão sanguínea.