Compartilhar no facebook
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

Estudo sugere que dietas com baixo teor de gordura podem matar mais do que as com gordura

A gordura pode não ser a principal causa de doenças cardíacas, revela um novo estudo.


Todos nós sabemos que a gordura é inimiga do emagrecimento e da boa saúde, certo?

Cientistas dizem que não.

Apesar de condenada e excluída de, praticamente, todos os programas alimentares elaborados para serem saudáveis, a gordura pode não ser o vilão da história.

Isso porque o baixo teor de gordura no organismo pode não só causar graves problemas, como também matar você.

É o que sugere um recente estudo realizado pela Universidade McMaster, do Canadá.

A pesquisa, publicada no The Lancet, analisou as dietas de 135.335 indivíduos de 18 países diferentes.

Os resultados foram bastante surpreendentes.

Os participantes foram inscritos no estudo entre 2003 e 2013 e tiveram que dar informações sobre alimentos que ingeriram no período de sete a oito anos após a inscrição.

Todos eles foram separados em categorias, dependendo da quantidade de energia que receberam de certos grupos de alimentos, ou seja, carboidratos, proteínas e gorduras (incluindo diferentes tipos de gorduras).

Em seguida, foram avaliadas as associações entre o consumo de cada grupo alimentar com doença cardiovascular e mortalidade total.

Durante o acompanhamento, os pesquisadores documentaram 5.796 mortes e 4.784 principais eventos de doença cardiovascular.

Órgãos oficiais de saúde afirmam que:

“Comer muita gordura saturada pode aumentar os níveis de colesterol no sangue. Ter colesterol elevado pode aumentar o risco de doença cardíaca, que inclui ataque cardíaco e artérias estreitas (aterosclerose)”.

Mas atenção!

Os resultados deste estudo mostram que aqueles com menor ingestão de gordura saturada tiveram 13% mais chance de morte precoce do que os que comem uma quantidade maior.

Os pesquisadores sugerem que isso ocorreu porque aqueles que reduziram as gorduras acabaram exagerando no consumo de carboidrato, como pão, arroz e macarrão, e perdendo nutrientes vitais no processo.

Aqueles que comeram o mais alto nível de carboidratos tiveram um risco 28% maior de morte prematura, que estava ligada a açúcares refinados encontrados em refrigerantes e refeições processadas.

Curiosamente, os participantes que comeram um alto nível de todos os tipos de gorduras tiveram sua chance de morte prematura reduzida em 23%.

Uma maior ingestão de gordura saturada também foi associada a uma menor chance de acidente vascular cerebral.

“O foco atual na promoção de dietas com pouca gordura ignora o fato de que a maioria das dietas em países de baixa e média renda é muito rica em carboidratos, que parecem estar ligados a piores resultados de saúde”, explica Mahshid Dehghan, principal autor do estudo.

Mas calma!

Não vá eliminar totalmente os carboidratos da sua vida.

Droutor Dehghan explica que uma dieta baixa em carboidratos também não é boa para você.

‘’A ingestão moderada, de cerca de 50 a 55%, provavelmente será mais apropriada do que a ingestão muito alta ou muito baixa de carboidratos”.

Os pesquisadores concluíram que as diretrizes dietéticas globais devem ser reconsideradas avaliando suas descobertas.

“Afrouxar a restrição de gordura total e gordura saturada e impor limites aos carboidratos para reduzir a ingestão a níveis moderados seria ótimo”, aconselha o doutor Andrew Mente.

INão é por acaso que médicos como o doutor Aseem Malhotra estão afirmando que dietas com baixo teor de gordura foram talvez o maior erro da história médica moderna.

Para não errar, o melhor é seguir uma dieta equilibrada, sem nenhum tipo de exagero. 

O segredo é o equilíbrio, a moderação.  

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

DEIXE SEU COMENTÁRIO