Compartilhar no facebook
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

Estudo revela: a quantidade de vezes que você segura seu bebê nos braços pode causar estas alterações nele!

Que os bebês são fofos e dá uma vontade de abraçar, isso todo mundo já sabe.

Mas será que faz mal colocar o bebê nos braços o tempo todo e ficar abraçando com todo o amor do mundo?

É claro que não!

Segundo a revista Development and Psychopathology, da Universidade de Cambridge (Inglaterra), o calor dos braços pode melhorar vários aspectos da vida do seu filho.

Ou seja, o serviço é completo e o carinho de segurá-lo nos braços resulta em:

  • aumento da imunidade
  • liberação da oxitocina, que é o hormônio do amor
  • segurança emocional do bebê
  • alteração da estrutura molecular das células

Sobre o último benefício, dedicaremos uma atenção especial neste post.

A pesquisa durou quase cinco anos.

Os pais voluntários se comprometeram a registrar os hábitos de relacionamento entre eles e o bebê nas primeiras cinco semanas de vida.

No fim, os pesquisadores analisaram o DNA  tirados da região da bochecha dos bebês e viram que aqueles com menor contato com os pais tinham a estrutura molecular muito imatura para a idade.

Já deu para sentir a importância do assunto, certo?

Além da maturidade das células, a diferença também está no sistema imunológico e no metabolismo.

A conclusão é esta: bebês que recebem mais contato físico, têm mais chance de crescer com melhor saúde física e mental.

É verdade que ainda é necessário ampliar este campo de pesquisa.

Afinal, foi o primeiro estudo feito com seres humanos.

No entanto, é maravilhoso saber que uma simples ação, como abraçar, pode fazer toda a diferença para o desenvolvimento dos nossos filhos.

Se você ainda tem dúvidas, podemos voltar à década de 50, período em que o psicólogo americano Harry Halow fez testes parecidos, mas com macacos.

Ele separou os filhotes das mães e criou “mães artificiais”, feitas de arame.

Uma era de armação de arame, enquanto a outra mãe era de arame, mas coberta de pano felpudo e macio.

Os filhotes, como já era de se esperar, procuraram a mais confortável, até mesmo quando o alimento vinha apenas da outra.

Quando Halow deixou apenas a macaca de arame nu, os filhotes apresentaram comportamentos anormais.

Outro estudo interessante foi publicado em 2002, na revista científica Pediatrics.

Segundo a matéria, há benefícios extraordinários para bebês prematuros, quando eles têm o colo da mãe.

O experimento foi feito com cangurus e os benefícios foram desde habilidades mentais, como motoras.

Agora que você sabe que segurar o bebê no colo significa muito mais do que uma demonstração de amor e afeto, não meça esforços!

É bem verdade que, com a correria do dia a dia, o cansaço é grande, mas vale a pena!

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

DEIXE SEU COMENTÁRIO