Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Este é o melhor óleo para cozinhar

Qual o melhor óleo para cozinhar?

Você tem certeza de que está usando o melhor óleo?

Escolher o óleo ideal é complicado.

Há muitas informações divergentes, há muitos interesses comerciais…

Por isso pedimos a você que nos dê uma voto de confiança, pois o que vamos revelar aqui, para muitos, é surpreendente.

Mas confie em nós porque não estamos ganhando nada com esta revelação, a não ser cumprindo a nossa missão de informar e esclarecer as pessoas.

É muito importante saber escolher a gordura que você vai usar na sua cozinha.

Isso é um fator de grande peso para a saúde e, acredite, vai interferir muito na qualidade de vida e longevidade de todos na sua casa.

Então, quais os óleos que são uma péssima escolha e quais são os realmente saudáveis?

Não nos faltam opções.

As prateleiras dos supermercados estão cheios de tipos de óleo: soja, girassol, milho, canola, oliva…

Você sabe quais as repercussões do uso de cada um deles no seu corpo depois de anos de uso?

São todos bons para a saúde?

São todos ruins?

Ou apenas alguns deles devem ser a nossa escolha?


As respostas a essas perguntas começam com uma ação: livrar-se de noções preconcebidas que você pode ter sobre o que são óleos saudáveis. 

É difícil, nós sabemos, afinal você passou anos sendo bombardeado com falsas informações.

Falsas informações que nunca pensaram nas consequências delas na nossa saúde.

Mas apenas no $$$$$$$$$$$$.

Um estudo da De Montfort University, em Leicester, Reino Unido, testou vários tipos de óleo, aquecendo-os a altas temperaturas durante o cozimento para descobrir o que acontecia na estrutura molecular das gorduras e como a oxidação alterava o valor nutricional deles.

O que os pesquisadores descobriram?

Dois óleos que são considerados por alguns “especialistas” como óleos saudáveis não devem ser usados para cozinhar.

O óleo de girassol e o óleo de milho têm uma grande quantidade de ácidos gordos polinsaturados e, quando são aquecidos, produzem um produto químico chamado aldeído.

Essa substância é perigosa até mesmo em pequenas quantidades e já foi provado que aumenta o risco de câncer e doenças cardíacas.

Óleo de canola, ou melhor, de colza (prensado a frio), o azeite e a manteiga, neste quesito, demonstraram ser muito mais saudáveis ​​do que o de milho e o de girassol. 

Eles produziram uma quantidade muito menor de aldeído.

Mas eles são os melhores óleos?

Não.

A maioria das pessoas evitar banha de porco porque tem a reputação de ser uma gordura ruim.

Mas neste estudo ficou provado que, na verdade, a banha de porco é uma boa fonte de gorduras monoinsaturadas (excelentes para o coração) e que resiste muito bem ao calor, sem produzir nenhuma ameaça à nossa saúde.

Para os pesquisadores, se você tiver de escolher entre a banha de porco e os óleos que têm uma grande quantidade de ácidos gordos polinsaturados (como o de soja, milho e girassol), escolha a banha, porque é muito mais saudável.

A banha de porco, enfim, não é como pensamos o pior óleo para cozinhar.

Mas também não é o melhor.

Segundo o estudo, o óleo ideal para cozinhar é o azeite extravirgem de oliva porque,  devido a seu elevado conteúdo de ácidos graxos monoinsaturados e muito pouco de polinsaturados, é o mais estável durante o aquecimento.

Os cientistas participantes da pesquisa também recomendam que você frite o mínimo possível, mesmo utilizando a melhor gordura, e quando fritar usar a menor quantidade de óleo que puder.

Nas saladas e pratos em que a gordura não é aquecida, você também deve usar muito pouco óleo.

Qual o melhor óleo para cozinhar?

Você tem certeza de que está usando o melhor óleo?

Escolher o óleo ideal é complicado.

Há muitas informações divergentes, há muitos interesses comerciais…

Por isso pedimos a você que nos dê uma voto de confiança, pois o que vamos revelar aqui, para muitos, é surpreendente.

Mas confie em nós porque não estamos ganhando nada com esta revelação, a não ser cumprindo a nossa missão de informar e esclarecer as pessoas.

É muito importante saber escolher a gordura que você vai usar na sua cozinha.

Isso é um fator de grande peso para a saúde e, acredite, vai interferir muito na qualidade de vida e longevidade de todos na sua casa.

Então, quais os óleos que são uma péssima escolha e quais são os realmente saudáveis?

Não nos faltam opções.

As prateleiras dos supermercados estão cheios de tipos de óleo: soja, girassol, milho, canola, oliva…

Você sabe quais as repercussões do uso de cada um deles no seu corpo depois de anos de uso?

São todos bons para a saúde?

São todos ruins?

Ou apenas alguns deles devem ser a nossa escolha?


As respostas a essas perguntas começam com uma ação: livrar-se de noções preconcebidas que você pode ter sobre o que são óleos saudáveis. 

É difícil, nós sabemos, afinal você passou anos sendo bombardeado com falsas informações.

Falsas informações que nunca pensaram nas consequências delas na nossa saúde.

Mas apenas no $$$$$$$$$$$$.

Um estudo da De Montfort University, em Leicester, Reino Unido, testou vários tipos de óleo, aquecendo-os a altas temperaturas durante o cozimento para descobrir o que acontecia na estrutura molecular das gorduras e como a oxidação alterava o valor nutricional deles.

O que os pesquisadores descobriram?

Dois óleos que são considerados por alguns “especialistas” como óleos saudáveis não devem ser usados para cozinhar.

O óleo de girassol e o óleo de milho têm uma grande quantidade de ácidos gordos polinsaturados e, quando são aquecidos, produzem um produto químico chamado aldeído.

Essa substância é perigosa até mesmo em pequenas quantidades e já foi provado que aumenta o risco de câncer e doenças cardíacas.

Óleo de canola, ou melhor, de colza (prensado a frio), o azeite e a manteiga, neste quesito, demonstraram ser muito mais saudáveis ​​do que o de milho e o de girassol. 

Eles produziram uma quantidade muito menor de aldeído.

Mas eles são os melhores óleos?

Não.

A maioria das pessoas evitar banha de porco porque tem a reputação de ser uma gordura ruim.

Mas neste estudo ficou provado que, na verdade, a banha de porco é uma boa fonte de gorduras monoinsaturadas (excelentes para o coração) e que resiste muito bem ao calor, sem produzir nenhuma ameaça à nossa saúde.

Para os pesquisadores, se você tiver de escolher entre a banha de porco e os óleos que têm uma grande quantidade de ácidos gordos polinsaturados (como o de soja, milho e girassol), escolha a banha, porque é muito mais saudável.

A banha de porco, enfim, não é como pensamos o pior óleo para cozinhar.

Mas também não é o melhor.

Segundo o estudo, o óleo ideal para cozinhar é o azeite extravirgem de oliva porque,  devido a seu elevado conteúdo de ácidos graxos monoinsaturados e muito pouco de polinsaturados, é o mais estável durante o aquecimento.

Os cientistas participantes da pesquisa também recomendam que você frite o mínimo possível, mesmo utilizando a melhor gordura, e quando fritar usar a menor quantidade de óleo que puder.

Nas saladas e pratos em que a gordura não é aquecida, você também deve usar muito pouco óleo.
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

DEIXE SEU COMENTÁRIO