Compartilhar no facebook
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

Equilibrando alimentos ácidos e alcalinos

Um surpreendente número e variedade de problemas físicos e doenças pode ser causado por alimentos produtores de acidez após a digestão. Hoje a vasta maioria da população nas nações industrializadas sofre de problemas causados pelo estresse da acidose, porque tanto o estilo de vida moderno como a dieta promovem a acidificação do ambiente interno do corpo. A atual dieta ocidental típica é largamente composta de alimentos formadores de ácidos (proteínas, cereais, acúcares). Alimentos promotores de alcalinidade, como os vegetais, são consumidos numa escala muito menor. Estimulantes como tabaco, café, chá e álcool são também extremamente acidificantes. O estresse e a atividade física (tanto insuficiente como em excessivo) também causam acidificação.
Muitos alimentos são alcalinizantes por natureza, mas alimentos processados são na maioria acidificantes. É importante consumir pelo menos 60% de alimentos alcalinizantes em nossa dieta para manter a saúde. Precisamos de abundância de frutas frescas e particularmente de vegetais (alcalinizantes) para equilibrar nossa necessidade de consumo de proteínas (acidificantes). E precisamos evitar alimentos processados, doces ou carboidratos simples, não apenas porque eles são acidificantes, mas também porque eles elevam o índice de açúcar no sangue muito rápido (alto índice glicêmico, portanto engordam). Além de serem pobres em nutrientes, podem ser intoxicantes.
Qual o pH do corpo?
A água é o composto mais abundante no corpo humano, 70%. O corpo contém uma gama enorme de soluções, as quais podem ser mais ácidas ou menos ácidas. O pH (potencial de hidrogênio) é a medida da acidez ou alcalinidade de uma solução – a relação entre íons positivamente carregados (acidificantes) e íons negativamente carregados (alcalinizantes). O pH de qualquer solução é a medida de sua concentração de íons hidrogênio. Quanto maior o índice do pH, mais alcalino e mais rico em oxigênio o fluido é. Quanto menor o pH, mais ácido e pobre em oxigênio é o fluído. O pH varia de 0 a 14, sendo 7 o índice de neutralidade. Tudo acima de 7 é alcalino, e abaixo de 7 é considerado ácido. O sangue humano deveria ser levemente alcalino (de 7,35 a 7,45). Abaixo ou acima dessa faixa significa sintomas e doença. Se o pH do sangue se move para baixo de 6,8 ou acima de 7,8 as células param de funcionar e o corpo morre. O corpo, portanto, se esforça em equilibrar o pH. Quando esse equilíbrio é comprometido, muitos problemas podem ocorrer. Uma dieta desequilibrada e rica em alimentos acidificantes, como proteínas, açúcar, cafeína e alimentos processados, exerce uma pressão no sistemas de regulação do corpo para manter a neutralidade do pH. A estocagem extra requerida pode debilitar o corpo de substâncias minerais alcalinas, como sódio, potássio, magnésio e cálcio, fazendo a pessoa tender a ter doenças crônicas e degenerativas. Os minerais são “emprestados” de órgãos vitais e ossos para compensar (neutralizar) a acidez e removê-la com segurança do organismo. Por causa desse esforço, o corpo pode sofrer dano severo e prolongado – uma situação que pode ocorrer sem detecção por anos.
Problemas de saúde causados por acidose
Se você tem um problema de saúde, muito provavelmente está sofrendo de acidose. As pesquisas mostram que, a menos que o pH do corpo esteja levemente alcalino, o corpo não pode autocurar-se. Assim, independentemente de que método você use para cuidar da saúde, ele não será eficaz enquanto seu pH não estiver equilibrado. Se seu pH não estiver equilibrado, voce não pode, por exemplo, assimilar vitaminas, minerais e suplementos nutricionais. O pH de seu corpo afeta TUDO. A acidose diminuirá a capacidade do corpo de assimilar minerais e outros nutrientes, diminuirá a produção de energia nas células, diminuirá a capacidade de seu organismo reparar células doentes, diminuirá a capacidade do organismo para livrar-se de minerais pesados, auxiliará a reprodução de células de tumores e fará o corpo mais susceptível de fadiga e doencas. Um pH ácido pode ocorrer devido a dieta acidificante, estresse emocional, sobrecarga de toxinas ou reações do sistema imunológico ou qualquer processo que dificulte as células de absorver oxigênio ou outros nutrientes. O corpo tentará compensar o pH ácido usando minerais alcalinos. Se a dieta não contiver minerais suficientes para compensar, ocorrerá uma acidificação celular.
Acidose pode causar os seguintes problemas: dano cardiovascular; ganho de peso, obesidade e diabetes; problemas da bexiga; pedras nos rins; deficiência imunológica; aceleração do dano por radicais livres; problemas hormonais; envelhecimento prematuro; oosteoporose e dor nas juntas; dores musculares e aumento do ácido lático; baixa energia e fadiga crônica; digestão e eliminação lentas; aumento de fermentações e fungos; falta de energia, fadiga; baixa temperatura corporal; tendência a contrair infecções; perda de iniciativa, prazer, e entusiasmo; tendências depressivas; exaustão rápida; compleição pálida; dores de cabeça; inflammação da córnea e das pálpebras; amolecimento e dolorimento nos dentes; gengivas sensíveis, inflamadas; úlceras estomacais e da boca; fissuras no canto dos lábios; excesso de ácidos no estômago; gastrite; unhas finas e quebradiças; cabelos secos, quebradicos e queda; pele seca; irritação da pele; câimbras nas pernas.
Teste a acidez/alcalinidade do corpo com tiras de papel de teste de pH
É recomendável você teste seus níveis de pH para determinar se o pH do seu corpo precisa de atenção imediata. Usando tiras de teste de pH, você pode determinar o seu fator de pH de maneira rápida e fácil na privacidade de sua própria casa. A melhor hora para testar seu pH é por volta de uma hora antes de uma refeição ou duas horas depois dela.
Teste do pH da saliva: simplesmente molhe um pedaço de papel com a saliva. Apesar de a saliva geralmente ser mais ácida que o sangue, o pH salivar espelha o do sangue e nos diz o que o corpo retém. É um indicador justo da saúde dos fluídos extracelulares e de suas reservas minerais alcalinas. O pH ótimo para a saliva é de 6,4 a 6,8. Uma leitura abaixo de 6,4 indica insuficiência de reservas alcalinas. Depois de comer, o pH da saliva deve subir para 7,5 ou mais. Um desvio do pH salivar ideal por um tempo longo é um convite à doença. Se a sua saliva permanece entre 6,5 e 7,5 o dia todo, seu corpo está funcionando dentro de uma faixa saudável. A acidose, a permanência por um tempo longo no estado de pH ácido, pode resultar em artrite reumatoide, diabete, lúpus, tuberculose, osteoporose, pressão sanguínea alta, a maior parte dos cânceres e muito mais. Se o pH salivar permanece muito baixo, deve-se ter uma dieta rica em frutas, vegetais e água mineral ou alcalina, bem como procurar remover acidificantes fortes, como sodas, trigo integral e carne vermelha.
Teste do pH da urina: ele indica como o corpo está trabalhando para manter o pH apropriado do sangue. A urina revela os ciclos metabólicos alcalinos (construtores-anabólicos) e ácidos (degradativos-catabólicos). O pH da urina indica os esforços do corpo para regular o pH através dos “buffer salts” e dos hormônios, via rins, suprarrenais, pulmões e gônadas. A urina pode prover um quadro bastante preciso da química do corpo, porque os rins filtram os “buffer salts” da regulação do pH e proporcionam valores baseados naquilo que o corpo está eliminando. O pH da urina pode variar de 4,5 a 9,0 nos extremos, mas a faixa ideal está entre 6,0 e 7,0. Se o seu pH urinário flutuar de 6,0 a 6,5 logo de manhã e de 6,5 e 7,0 à noite após o jantar, seu corpo então está funcionando dentro de uma faixa saudável. O teste da urina pode indicar quão bem seu corpo está excretando ácidos e assimilando minerais, especialmente cálcio, magnésio, sódio e potássio. Estes minerais funcionam como “buffers”. “Buffers” são substâncias que ajudam a manter e equilibrar o corpo contra o excesso de acidez ou alcalinidade. Mesmo com quantidades apropriadas de “buffers”, níveis ácidos ou alcalinos podem se tornar estressantes para os sistemas reguladores do corpo. Quando o corpo produz desta acidez ou alcalinidade, ele deve dispensar o excesso. A urina é o método utilizado pelo corpo para remover qualquer excesso de substâncias ácidas ou alcalinas que não puderem ser removida pelos “buffers”. Se o sistema de “buffering” do corpo estiver sobrecarregado, um estado de “autointoxicação” ocorre, e deve-se atentar para uma redução deste estresse. Os ácidos são produzidos no corpo sempre que voce sente estresse, emoções negativas ou quando voce consome alimentos acidificantes. 
Alimentos alcalinizantes e acidificantes
A tendência de um alimento para gerar acidez ou alcalinidade no corpo não tem nada a ver com o real pH da comida em si mesma. Por exemplo, limões são bastante ácidos, entretanto os produtos finais deles após a digestão e assimilação são bastante alcalinos, portante limões geram alcalinidade no corpo. Da mesma maneira, a carne possui um pH alcalino antes da digestão, mas deixa resíduos ácidos no corpo, então, como quase todos os produtos de origem animal, a carne é classificada como acidificante. É importante que nossa ingestão diária de alimentos aja de maneira a equilibrar naturalmente o pH do corpo. Para manter a saúde, a dieta deve consistir de pelo menos 60% de alimentos alcalinizantes e de no máximo 40% de alimentos acidificantes. Para reconstituir a saúde, a dieta deveria consistir de 80% de alimentos alcalinizantes e 20% de alimentos acidificantes. 
Quando digerimos um alimento, ele é quimicamente oxidado (“queimado”) para formar água, dióxido de carbono e um composto inorgânico. A natureza alcalina ou ácida desse composto inorgânico que foi formado é que determina se o alimento é alcalinizante ou acidificante. Se o composto inorgânico contiver mais sódio, potássio ou cálcio, é classificado como alimento alcalino. Se contiver mais enxofre, fosfato ou cloro, é classificado como um alimento acidificante.
Uma das formas de corrigir este desequilíbrio excessivamente ácido é ingerir enzimas em forma de suplemento, cálcio orgânico e suplemento de magnésio, minerais coloidais, vitamina A e D, e beber sucos de vegetais alcalinos (cenoura, salsão e beterrada) e de limão. Desintoxique o corpo com frutas e sucos de vegetais. Todos os sucos de frutas e vegetais crus sao alcalinizantes (as frutas se tornam mais acidificantes se forem processadas e principalmente se adoçadas com açucar refinado). Os ácidos do limão são alcalinizantes porque, quando o digerimos, ele produz um resíduo alcalino.
Fonte: Alimentação Viva (texto adaptado) 
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

DEIXE SEU COMENTÁRIO