Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on telegram

Endometriose: tratamentos alternativos diminuem os sintomas

Produtos fitoterápicos, acupuntura, nutrição e fisioterapia são aliados no combate à doença
A endometriose necessita do hormônio estrógeno para seu desenvolvimento. Este é o hormônio feminino mais importante produzido pelo ovário durante a vida reprodutiva da mulher. “Ele também é produzido pelo tecido gorduroso, apesar de ser em sua forma menos ativa, o que faz com que, por vezes, o tratamento da doença como o bloqueio dos ovários não funcione”, afirma o ginecologista Eduardo Schor, professor afiliado e chefe do Setor de Endometriose da Unifesp – Escola Paulista de Medicina.
Por isso, uma dieta equilibrada, rica em nutrientes e pobre em gorduras favorece o tratamento da doença. Quem tem endometriose deve também excluir alimentos industrializados e que possuem alta quantidade de conservantes e hormônios de crescimento para sua produção. Por isso, é necessário seguir uma dieta adequada e o controle do peso.
A natureza também é uma grande aliada no tratamento da endometriose. A fitoterapia pode complementar a terapia clássica. Um fitoterápico à base de uma planta conhecida como unha-de-gato tem melhorado os sintomas da endometriose.
Antes mesmo dos resultados do estudo clínico, a unha-de-gato já estava sendo prescrita a pacientes da Unifesp que já usaram, sem sucesso, drogas hormonais ou para aquelas que não podem usar esse tipo de medicamento. Os relatos de melhora dos sintomas, principalmente da dor, surpreendem.
De acordo com o médico, a unha-de-gato parece diminuir o processo inflamatório causado pela endometriose na região pélvica. Os pesquisadores ainda não sabem se a planta pode ser usada para ajudar mulheres com dificuldade para engravidar.
A mudança no estilo de vida também é um dos segredos para um tratamento de sucesso. Estudos mostram que mulheres submetidas a níveis elevados de estresse são as que mais desencadeiam a endometriose. Quem se enquadra nesse perfil pode contar com um grande aliado: o exercício físico. Ele estimula a imunidade, faz a mulher emagrecer e dá sensação de bem-estar, já que o organismo libera a endorfina, diminuindo a produção de estrógenos circulantes (que são o alimento da endometriose) e, consequentemente, melhorando os focos de endometriose.
Acupuntura e fisioterapia se aliam no combate à endometriose. A técnica é milenar, mas os resultados estão cada vez mais presentes. O uso de agulhas está se tornando comum no tratamento da endometriose. A aplicação entra como um coadjuvante, sobretudo para potencializar resultados nos casos que não respondem de forma adequada ao tratamento convencional. A acupuntura age no relaxamento e no combate ao estresse, um dos fatores que apontam para o desenvolvimento da endometriose. Através dela, é possível, por exemplo, aliviar sintomas de dor que os remédios não resolvem. Muitos dos casos de endometriose estão associados a processos de aderência e à infertilidade, e para essas patologias a acupuntura também proporciona resultados favoráveis.
As cólicas menstruais, a tensão muscular e a constante fadiga, sintomas básicos da doença, estão sendo aliviadas com a prática da fisioterapia. “Os exercícios orientados por um fisioterapeuta podem melhorar a mobilidade pélvica e a percepção corporal, prevenindo as contraturas musculares”, informa Schor.
A combinação de fisioterapia e atividade aeróbica auxilia no sistema imunológico e na melhora do sistema respiratório, promovendo o bem-estar corporal e emocional nas pacientes.
Fonte: Revista Fator e Endometriose  (texto adaptado)
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email

DEIXE SEU COMENTÁRIO

VEJA TAMBÉM