Compartilhar no facebook
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

Eliminar obturações de amálgama pode curar muitas doenças

As obturações de amálgama começaram a ser feitas no século 19 e até hoje dentistas de todo o mundo fazem esse tipo de obturação.

Elas contêm mercúrio, um metal pesado extremamente prejudicial para a saúde e que pode causar vários transtornos no organismo.

Apesar disso, muitos dentistas negam as acusações sobre os perigos das obturações de amálgama.

Tudo bem, as obturações de amálgama, apesar do mercúrio, são inofensivas, como alguns nos querem fazer crer.

Mas só queríamos entender o seguinte: amálgama contém mercúrio. 

Mercúrio é um metal extremamente nocivo, mesmo em pequenas quantidades. 

Seria o mercúrio dessas obturações diferente de todos os outros e o único inofensivo?

Felizmente, nem todos os dentistas acreditam na inofensividade das obrturações de amálgama.

Nos Estados Unido, o dr. Hal Huggins é famoso por seu ativismo contra esse tipo de obturação.

Ele acredita que o amálgama dentário contribui para um aumento da fadiga crônica, instabilidade emocional, depressão, defeitos congênitos, esclerose múltipla, doença de Alzheimer e muitas outras doenças degenerativas.


Para o dr. Hal Huggins, mesmo uma pequena quantidade de mercúrio no corpo humano pode ser tóxica e nociva à nossa saúde. 

Em dezembro de 1990, um dos programas de maior audiência da TV americana, o 60 Minutos, exibiu para todo o país uma reportagem sobre o dr. Huggins e sua teoria.

Se você souber inglês, vale a pena assistir a esse programa:




Este outro documentário, em inglês, é também muito esclarecedor a respeito das consequências do amálgama odontológico:




Huggins afirma que o mercúrio das obturações de amálgama emite gases nas 24 horas do dia, e isso pode ser fonte de muitas enfermidades que ameaçam a vida.

Por isso ele defende a remoção de todas as obturações com esse tipo de material existentes na nossa boca.

Mas tal remoção tem que ser feita com cuidado, para que o procedimento não intoxique ainda mais o corpo.

Por isso o dr. Huggins treina, nos Estados Unidos, dentistas para que eles saibam a forma certa de remover o amálgama dentário.

Após a publicação de um estudo de sua autoria sobre os riscos do amálgama dentário, o dr. Huggins foi demitido e sofreu forte perseguição.

Mesmo assim, ele se manteve fiel à sua missão.

O OUTRO LADO

Uma extensa revisão publicada em 1993 pelo Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos EUA concluiu que “há poucas evidências de que a saúde da grande maioria das pessoas com amálgama é comprometida ou que a remoção de obturações tem um efeito benéfico sobre a saúde.” 

Em janeiro de 1998, o Conselho de Associação Dental Americana sobre Assuntos Científicos emitiu um relatório sobre a segurança do amálgama dental, com ênfase em estudos que foram publicados desde a revisão de 1993. O relatório concluiu:

“Milhões de pessoas têm restaurações de amálgama em suas bocas, e milhões mais receberão amálgama para restaurar seus dentes cariados. Ao longo dos anos, amálgama foi usado para restaurações dentárias, sem evidência de grandes problemas de saúde. Técnicas recentemente desenvolvidas demonstraram que existe a liberação de mercúrio das restaurações de amálgama, mas sem consequências para a saúde. Dada a informação científica disponível e considerando os benefícios demonstrados do amálgama dentário, a menos que novas pesquisas científicas digam de outra forma, atualmente parece não haver justificativa para a interrupção do uso de amálgamas dentários”.

CONCLUSÃO

O objetivo desta reportagem é apenas informativo.

Você deve pesquisar mais, se informar mais, para tirar suas conclusões.

O fato é que o amálgama dentário é um produto comercial e lucrativo para muitos.

E gostaríamos de obter uma resposta inteligente para o questionamento que fizremos no início:

“Amálgama contém mercúrio. 

Mercúrio é um metal extremamente nocivo, mesmo em pequenas quantidades. 

Seria o mercúrio dessas obturações diferente de todos os outros e o único inofensivo?”

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

DEIXE SEU COMENTÁRIO

VEJA TAMBÉM