Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on telegram

Depressão e qualidade da alimentação

Quando a pessoa sofre de depressão crônica, o tratamento é feito através de medicação e psicoterapia. No entanto, se o indivíduo sofrer de uma depressão leve ou moderada, alguns nutrientes presentes nos alimentos podem trazer benefícios, auxiliando no combate aos sintomas depressivos. Por isso, a qualidade da alimentação consumida pelo indivíduo deprimido é tão importante.

A depressão é um distúrbio emocional caracterizado por alterações comportamentais, de pensamento e emocionais. A pessoa depressiva apresenta um humor triste e tenta se afastar de todo convívio social.  O indivíduo com depressão apresenta baixos níveis de serotonina, um neurotransmissor responsável por  proporcionar a sensação de bem-estar e relaxamento nas pessoas.
Estudos científicos realizados
Vários especialistas na área de nutrição, nutrologia e psiquiatria conduziram alguns estudos científicos que revelaram a importância de uma boa alimentação para melhorar o quadro clínico da depressão. De acordo com alguns deles, o triptofano, um aminoácido essencial presente em alimentos ricos em proteínas, como laticínios e carne, e que não é produzido naturalmente pelo organismo humano, pode ser adquirido através do consumo de alguns alimentos.
Segundo pesquisas realizadas, o triptofano pode ocasionar a produção da serotonina, um neurotransmissor diretamente relacionado à sensação de prazer e bem-estar Por isso, os suplementos da substância 5HTP (Tripotofano) são recomendados em alguns casos de depressão, sendo mais indicados para pessoas que apresentam carência desse nutriente, pois uma dieta equilibrada é capaz de suprir as necessidades diárias desse aminoácido.
Os suplementos seriam mais eficazes nos distúrbios leves de humor e na melhora do problema da insônia. Vale ressaltar que pesquisas mais conclusivas devem ser feitas  para comprovação da eficácia desse nutriente no combate aos sintomas depressivos. A substância é contraindicada também em pacientes portadores de enfermidades cardiovasculares ou com câncer.
Depressão e suplementação de vitaminas
De acordo com especialistas, as vitaminas B9 (ácido fólico) e B12 são muito importantes para a produção de vários neurotransmissores, atuando como moduladores dos sistemas hormonal e  neurológico do indivíduo. Quando a pessoa está sofrendo de depressão, há uma redução do nível desses nutrientes na corrente sanguínea, daí a necessidade da suplementação dessas vitaminas para  amenizar os sintomas depressivos e aumentar o efeito da medicação antidepressiva.
Segundo os profissionais especializados, não há aparentemente interações medicamentosas ou efeitos adversos no uso dessa suplementação, já que o excesso dessas vitaminas normalmente é eliminado pela urina do paciente.
Carência de determinadas substâncias e depressão
O triptofano é um aminoácido que interfere na síntese do neurotransmissor  serotonina, que é responsável pela sensação de bem-estar nas pessoas. Por isso, quando o indivíduo está deprimido não pode deixar  de comer massas, pão e arroz, alimentos que auxiliam na absorção do triptofano, um aminoácido essencial presente em alimentos ricos em proteínas, como peixes, carnes e alguns laticínios.
Uma alimentação à base de proteínas, complexo B, folato, magnésio, cálcio, selênio e ômega 3 e 6 auxilia no combate à depressão. Outro alimento também apontado como influente no estado depressivo dos indivíduos é a pimenta vermelha. Pesquisas recentes revelaram que ela pode aumentar a produção dos neurotransmissores responsáveis pelo estado de alerta do indivíduo – a adrenalina e a noradrenalina.
Infusões como chás de camomila também foram descritas como eficientes para uso em pessoas com depressão pelo efeito relaxante e redutor da sensação de ansiedade, tão comum no quadro de depressão.
Alimentos que podem melhorar a depressão
De acordo com especialistas na área de nutrição e nutrologia, alguns alimentos têm a capacidade de estimular o bom humor das pessoas e por isso mesmo podem ser consumidos por pessoas com sintomas de depressão. Entre alguns, eles recomendam:
Banana – pode reduzir a ansiedade e auxiliar a pessoa a ter um sono calmo.  Além disso, a banana é uma fonte de vitamina B6, responsável pela produção de energia.
Mel – bom estimulante de serotonina, o neurotransmissor responsável pelo prazer e pelo bem-estar.
Alface – rica em fosfato, proporciona efeitos relaxantes nas pessoas quando consumida. É eficiente também no combate ao cansaço físico.
Espinafre – por ter ácido fólico e potássio, previne a depressão. Contém também fosfato, vitamina A, C e do complexo B e magnésio, que auxiliam na estabilização da pressão arterial, garantindo ao sistema nervoso do indivíduo um bom funcionamento.
Vale ressaltar que a depressão é uma doença grave que deve ser acompanhada por um psiquiatra na prescrição da medicação antidepressiva e de um psicólogo no apoio psicoterápico. Os alimentos, neste caso, apenas auxiliam a amenizar os sintomas do distúrbio.
Texto de Salete Dias
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email

DEIXE SEU COMENTÁRIO

VEJA TAMBÉM