Compartilhar no facebook
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

Conheça a unibiótica

Mais do que uma técnica medicinal, a unibiótica propõe um novo hábito de vida. Ela ajuda a prevenir certas doenças, por estimular cada um a cuidar adequadamente da própria saúde, como ensina seu criador, o médico coreano Jong Suk Yum, radicado no Brasil desde 1976. A técnica não deixa de ser polêmica, pois também promete, além do equilíbrio físico e mental, a cura para doenças como o câncer e a aids. Isso a partir da adoção de certos hábitos alimentares, exercícios e condicionamento mental.

A unibiótica, considerada uma postura científico-filosófica da medicina, se baseia em quatro princípios de saúde: alimentação, pele, membros e mente.


ALIMENTAÇÃO –
O hábito alimentar incorreto é responsável, conforme o médico, por 80% das doenças do homem. Isso porque todo alimento ingerido se transforma em sangue, célula, tecido, etc. Partindo do princípio de que comida significa vida, Yum defende uma alimentação bem natural. O cardápio diário ideal seria composto por 50% de cereais integrais e grãos, 30% de verduras cruas, 15% de legumes cozidos e frutas e 0,5% de carnes. Esses alimentos seriam distribuídos em apenas duas refeições por dia, almoço e jantar, e também é recomendado o jejum matinal, até o horário do almoço, bebendo somente água pura. Este jejum pode ser feito aos poucos, primeiro até às 9 horas, aumentando uma hora a cada dia.

O jejum, de acordo com a unibiótica, tem o poder de prevenir e curar doenças, eliminar substâncias tóxicas que causam fadiga, cansaço, velhice e doenças; recuperar o aparelho digestivo, promovendo uma maior absorção alimentar e combatendo a prisão de ventre. As doenças seriam justamente provocadas pelas toxinas, ou seja, substâncias inúteis e tóxicas ao organismo, que não são eliminadas pelo corpo, e pela não-reposição de água e vitamina C.

A dieta é complementada com a ingestão de dois a três litros de água por dia, começando com um ou dois copos ao acordar, a mesma quantidade meia hora antes e meia hora após o almoço e à noite. Mais um gole de meia em meia hora. A água favorece o organismo, melhorando a circulação do sangue, equilibrando o ácido-básico, purificando os órgãos, ativando o metabolismo celular; eliminando toxinas, combatendo a prisão de ventre e o excesso de sudorese e halitose. Deve-se evitar beber leite.

PELE – Yum verifica que os órgãos internos, os cinco sentidos e o sistema nervoso se originam no mesmo tecido da pele e, desta forma, todos têm relação direta. Um pele fortalecida é sinônimo de órgãos saudáveis. E, para fortificar a pele, a unibiótica aponta dois tipos de banho:




– Banho alternado – Durante o banho alternar água fria (entre 14 e 15 graus) e quente (cerca de 44 graus), um minuto cada, permanecendo 11 minutos sob o chuveiro. Começando e terminando com água fria. Um a dois banhos por dia. Favorece a circulação, evita a queda e o embraquecimento dos cabelos, rejuvenesce a pele e ativa suas principais funções, como proteção, absorção, respiração e transpiração.


– Banho de ar – Cobrir e descobrir o corpo em local ventilado, seguindo passos de uma fita K7, repetindo cada movimento 22 vezes. É indicado para todas as doenças, normaliza a função da pele e absorção de oxigênio, queima o excesso de monóxido de carbono do corpo, dissolve tumores, ajuda na oxigenação pulmonar, nos casos de problemas respiratórios. Fazer pela manhã e à noite.



MEMBROS –
Seguindo o “Decálogo da Unibiótica”, Yum propõe, além do que já foi mencionado acima, a utilização de travesseiros de madeira, cama de superfície dura, para corrigir a coluna e normalizar os sistemas nervoso e circulatório, e exercícios específicos.





MENTE – É na mente que a matéria ganha vida. Assim, frisa Yum, quem só pensa em doença acaba sendo vítima dela. A mente deve permanecer aberta às mudanças de hábitos.


As indicações de Yum têm como base 18 métodos e 362 técnicas aplicadas no tratamento de 167 mil tipos de doenças. Nos livros, ele salienta que indivíduos saudáveis se tornam construtivos, felizes, inteligentes e colaboradores, resultando num país saudável.

EXERCÍCIOS


– Exercício do vaso capilar: Deitar numa cama dura, com o travesseiro de madeira sob o pescoço. Levantar braços e pernas paralelamente, num ângulo de 90 graus. Balançar os quatro membros, com força, ao mesmo tempo, por um ou dois minutos. Os pés devem ficar na posição horizontal. À medida que se atingir uma postura reta das pernas, a vida também seguirá uma linha reta. O exercício estimula bilhões de vasos capilares, veias, artérias e vasos linfáticos. Protege contra a invasão de vírus e bactérias.




– Exercício do peixinho: Deitar com o corpo reto e os joelhos esticados, juntar os calcanhares e forçar os dedos dos pés em direção ao corpo. A nuca deve ficar apoiada nas mãos. Depois elevar a região pélvica o quanto puder, sacudindo-a ritmicamente para os lados, imitando um peixe nadando. Fazer isso durante um ou dois minutos. Estimula o funcionamento intestinal, corrige a coluna lombar e normaliza a estrutura pélvica. Previne e trata várias doenças abdominais.




– Exercício joão-teimoso: Ficar de joelhos, sentar sobre os pés, manter boa distância entre as pernas e posição ereta. Contrair músculos abdominais, inclinar o corpo para um lado, enchendo o abdômen de ar. Voltar à posição inicial e fazer o movimento para o outro lado. Repetir cada movimento por 50 ou 55 vezes por minuto, totalizando 500 a 550 vezes em dez minutos. Equilibra o sistema nervoso autônomo e desenvolve os seis sentidos concentrados acima do pescoço.


– Exercício do sapinho: Deitar com o travesseiro de madeira sob a nuca. Juntar as mãos na altura do nariz. Levantar e abaixar as mãos juntas, perpendicularmente ao peito, ritmicamente, durante 30 segundos. Repetir cada movimento de 20 a 30 vezes. Juntar as plantas dos pés o mais perto possível das nádegas. Ao mesmo tempo fazer movimentos de esticar, com força, as pernas para baixo e os braços, com as mãos sempre juntas, por cima da cabeça, até tocar o chão. Quando acabar cada movimento, manter mãos e pés unidos, como na posição inicial. Permanecer assim de cinco a dez minutos. O ideal é forçar ao máximo, e gradativamente, a abertura das pernas, até que elas toquem o chão.


A postura em cada exercício é muito importante.




* Fonte de consulta: JC OnLine. Para ler a matéria completa, acesse:
http://www2.uol.com.br/JC/_1998/2106/br2106g.htm
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

DEIXE SEU COMENTÁRIO