- PUBLICIDADE -

Error: Embedded data could not be displayed.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

Saiba como identificar um azeite de oliva adulterado e escolher um produto original

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

O azeite de oliva é um dos produtos mais falsificados no mundo todo.

O azeite de oliva está presente na maioria das casas.

Ele é muito utilizado na culinária e também como remédio e tratamento de beleza.

Entre os óleos comestíveis comercializados no mercado mundial, o azeite de oliva é um dos mais saudáveis.

Ele é rico em ácidos graxos monoinsaturados, conhecidas como “gorduras boas”, principalmente o oleico (ômega-9).

Essas “gorduras boas” possuem propriedades para reduzir o colesterol ruim (LDL) e aumentar o colesterol bom (HDL).

Além disso, também uma rica fonte de polifenóis e que possuem ação antioxidante, auxiliando na prevenção de doenças cardíacas e diminui a inflamação no corpo.

O consumo diário de azeite de oliva extravirgem também reduz a pressão arterial, previne o envelhecimento precoce e diabetes tipo 2.

Entretanto, o azeite de oliva é um dos produtos mais falsificados, e isso ocorre em escala mundial.

Em São Paulo, por exemplo, a polícia descobriu uma fábrica clandestina em que os indivíduos misturavam óleos e aromatizantes nocivos à saúde.

 O rótulo indicava também que o produto era feito em Portugal, e o azeite adulterado era vendido em grandes redes de supermercados e em outros estados.

 Inclusive, depois que o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) anunciou a  suspensão da venda de 33 marcas de azeites de oliva por causa de adulterações no produto, o consumidor está mais atento na hora de escolher a marca para comprar.

Porém, é difícil identificar se a marca adquirida é autêntica ou não, mas, existe um teste que você pode fazer em casa para descobrir se o azeite foi adulterado.

Teste para identificar a autenticidade do azeite

Primeiramente, a embalagem deve ser de vidro e acidez do produto deve ser menor que 0,8%.

Todavia, como fraude está mais especializada, até o rótulo pode ser adulterado, desconfie do que está descrito na embalagem.

O azeite de oliva extravirgem solidifica quando está frio.

Por isso, para realizar o teste, coloque um pouco do azeite dentro de um recipiente de vidro e mantenha-o congelador (freezer) por algumas horas.

Após algum tempo, o azeite deverá se solidificar.

Se isso ocorrer, o azeite é natural, caso contrário, se ele se apresentar mole ou continuar líquido, é adulterado.

Porém, alguns falsificadores estão cada vez mais especialistas e, com isso, desenvolvem métodos mais avançados para burlar a lei.

Por isso, a taxa de confiabilidade deste teste, embora seja alta, pode não apresentar 100% de eficiência.

Dicas para escolher um bom azeite

Esteja sempre atento a alguns fatores na hora da compra para adquirir um produto original.

Além disso, ao chegar em casa, faça o teste ensinado neste artigo, para se certificar de que você comprou um produto sem adulteração.

Valor do produto

Evite a compra de azeites muito baratos, afinal para produzir 1 litro de azeite é necessário de 5 a 14 kg de azeitonas.

Produto fresco

Encontre um azeite extravirgem verdadeiramente fresco e compare com o sabor familiar da “azeitona”.

O verdadeiro azeite de oliva extravirgem deve ter um cheiro e sabor fresco.

Além disso, pode ter uma sabor amargo, que é um indicador de antioxidantes saudáveis.

Data de colheita da azeitona

Os melhores produtores indicam na embalagem a data de colheita das azeitonas.

Por isso, opte pela colheita mais recente, que geralmente, no Hemisfério Sul. vai de maio a junho; e no Hemisfério Norte, de novembro a dezembro.

A data de validade normalmente é de dois anos, a partir do momento do envase e não quando as azeitonas foram processadas.

Caso contrário, a qualidade do produto não é confiável.

Escolha um bom recipiente

As embalagens de azeite de oliva de boa qualidade – e legítimo – são feitas geralmente de vidro escuro, essencial para preservar as características do produto

Desconfie, portanto, de azeites engarrafados em embalagem de plástico ou de vidro transparente.

Além disso, mantenha a embalagem sempre em local escuro e fresco, pois a exposição ao calor e à luz diminui a frescura e diminui a vida útil do azeite.

Procure um selo de qualidade

Escolha sempre o azeite que estiver com o selo de Organizações de produtores como o California Olive Oil Council e a Australian Olive Association, a qual exige que o azeite atenda aos mais rigoroso padrões de qualidade

Outros selos podem não oferecer essa garantia.

Use-o em menos tempo possível

Para aproveitar todos os benefícios do azeite de oliva extravirgem da melhor maneira, opte por uma embalagem que você consiga consumir em seis semanas.

Passado esse tempo, o frescor irá diminuir, deixando o azeite com baixa qualidade.

Por fim, o que nos resta é confiar nos órgãos de fiscalização e no respeito das empresas com o consumidor.