Compartilhar no facebook
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

Cientistas ingleses fazem descoberta que pode curar o mal de Alzheimer!

Imagine se pudéssemos tratar definitivamente doenças como Alzheimer.

De acordo com as últimas pesquisas, um tipo de célula-tronco recém-descoberta pode ser a resposta que tanto queríamos.

Entenda: há várias células-tronco “adormecidas” (ou “quiescentes”) no cérebro.

A “célula-tronco quiescente G2”, que foi descoberta há pouco tempo, pode ser “despertada” rapidamente para gerar outras células cerebrais importantes.

Quem explica bem isso é a bióloga molecular Andrea Brand.

Ela diz que, uma vez acordadas, as células-troncos quiescentes G2 podem produzir neurônios e células gliais.

Muito provavelmente você nunca ouviu falar de células aliais, não é mesmo?

Elas são células não neuronais do sistema nervoso central que proporcionam suporte e nutrição aos neurônios para ajudar o cérebro a regenerar lesões e doenças debilitantes.

São, portanto, muito importantes.

O estudo foi realizado na Universidade de Cambridge, no Reino Unido.

O experimento foi feito com moscas de fruta, que, acredite, têm muitas semelhanças de DNA em relação aos humanos.

Com 60% dos genes humanos associados à doença também encontrados na mosca de fruta, os cientistas veem esses insetos como modelos perfeitos para testes.

Nesta pesquisa, um gene conhecido como tribbles foi identificado como sendo especificamente capaz de controlar as células G2 em moscas de fruta – um processo que os cientistas acham que poderia ser replicado no cérebro humano.

O próximo passo é identificar potenciais moléculas semelhantes a drogas que bloqueiam este gene e despertam as células-tronco de uma pessoa.

Embora ainda estejamos longe de um tratamento seguro e eficaz, saber que a cura dos danos cerebrais está dentro de nós já é um grande passo.

A ciência não para!

O melhor de tudo é que a descoberta não se limita ao cérebro – os pesquisadores acreditam que células-tronco quiescentes podem ser encontradas em outros órgãos.

Ou seja, futuramente, poderemos ter novos medicamentos para regeneração do corpo.

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

DEIXE SEU COMENTÁRIO