Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on telegram

Cientistas descobrem que a cúrcuma (açafrão-da-terra) faz bem ao coração tanto quanto a prática de exercícios

“Além disso, nossos resultados sugerem que a curcumina pode ser uma alternativa potencial para os pacientes que são incapazes de se exercitar.”

A curcumina é melhor absorvida quando se ingere a raiz da cúrcuma (açafrão-da-terra) em vez de suplementos.

“Ingestão regular de curcumina poderia ser uma medida preventiva contra a doença cardiovascular em mulheres na pós-menopausa”, escreveram os autores do primeiro estudo.

“Além disso, nossos resultados sugerem que a curcumina pode ser uma alternativa potencial para os pacientes que são incapazes de se exercitar.”

A curcumina é melhor absorvida quando se ingere a raiz da cúrcuma (açafrão-da-terra) em vez de suplementos.

No entanto, a frequência cardíaca diminuiu significativamente apenas entre os participantes que se exercitaram e tomaram curcumina.

“Ingestão regular de curcumina poderia ser uma medida preventiva contra a doença cardiovascular em mulheres na pós-menopausa”, escreveram os autores do primeiro estudo.

“Além disso, nossos resultados sugerem que a curcumina pode ser uma alternativa potencial para os pacientes que são incapazes de se exercitar.”

A curcumina é melhor absorvida quando se ingere a raiz da cúrcuma (açafrão-da-terra) em vez de suplementos.

Especificamente, a pressão arterial sistólica braquia diminuiu entre os participantes que se exercitaram e não tomaram a curcumina.

No entanto, a frequência cardíaca diminuiu significativamente apenas entre os participantes que se exercitaram e tomaram curcumina.

“Ingestão regular de curcumina poderia ser uma medida preventiva contra a doença cardiovascular em mulheres na pós-menopausa”, escreveram os autores do primeiro estudo.

“Além disso, nossos resultados sugerem que a curcumina pode ser uma alternativa potencial para os pacientes que são incapazes de se exercitar.”

A curcumina é melhor absorvida quando se ingere a raiz da cúrcuma (açafrão-da-terra) em vez de suplementos.

Neste estudo, no entanto, a curcumina sozinha não demonstrou oferecer qualquer benefício.

Especificamente, a pressão arterial sistólica braquia diminuiu entre os participantes que se exercitaram e não tomaram a curcumina.

No entanto, a frequência cardíaca diminuiu significativamente apenas entre os participantes que se exercitaram e tomaram curcumina.

“Ingestão regular de curcumina poderia ser uma medida preventiva contra a doença cardiovascular em mulheres na pós-menopausa”, escreveram os autores do primeiro estudo.

“Além disso, nossos resultados sugerem que a curcumina pode ser uma alternativa potencial para os pacientes que são incapazes de se exercitar.”

A curcumina é melhor absorvida quando se ingere a raiz da cúrcuma (açafrão-da-terra) em vez de suplementos.

Os investigadores observaram que o exercício com curcumina produziu aumentos significativos na saúde do coração.

Neste estudo, no entanto, a curcumina sozinha não demonstrou oferecer qualquer benefício.

Especificamente, a pressão arterial sistólica braquia diminuiu entre os participantes que se exercitaram e não tomaram a curcumina.

No entanto, a frequência cardíaca diminuiu significativamente apenas entre os participantes que se exercitaram e tomaram curcumina.

“Ingestão regular de curcumina poderia ser uma medida preventiva contra a doença cardiovascular em mulheres na pós-menopausa”, escreveram os autores do primeiro estudo.

“Além disso, nossos resultados sugerem que a curcumina pode ser uma alternativa potencial para os pacientes que são incapazes de se exercitar.”

A curcumina é melhor absorvida quando se ingere a raiz da cúrcuma (açafrão-da-terra) em vez de suplementos.

Quarenta e cinco participantes foram distribuídos aleatoriamente em um dos quatro grupos, os mesmos utilizados no segundo estudo.

Os investigadores observaram que o exercício com curcumina produziu aumentos significativos na saúde do coração.

Neste estudo, no entanto, a curcumina sozinha não demonstrou oferecer qualquer benefício.

Especificamente, a pressão arterial sistólica braquia diminuiu entre os participantes que se exercitaram e não tomaram a curcumina.

No entanto, a frequência cardíaca diminuiu significativamente apenas entre os participantes que se exercitaram e tomaram curcumina.

“Ingestão regular de curcumina poderia ser uma medida preventiva contra a doença cardiovascular em mulheres na pós-menopausa”, escreveram os autores do primeiro estudo.

“Além disso, nossos resultados sugerem que a curcumina pode ser uma alternativa potencial para os pacientes que são incapazes de se exercitar.”

A curcumina é melhor absorvida quando se ingere a raiz da cúrcuma (açafrão-da-terra) em vez de suplementos.

No final do estudo, os investigadores examinaram os efeitos do exercício e curcumina na taxa de degeneração relacionada com a idade do ventrículo esquerdo do coração.

Quarenta e cinco participantes foram distribuídos aleatoriamente em um dos quatro grupos, os mesmos utilizados no segundo estudo.

Os investigadores observaram que o exercício com curcumina produziu aumentos significativos na saúde do coração.

Neste estudo, no entanto, a curcumina sozinha não demonstrou oferecer qualquer benefício.

Especificamente, a pressão arterial sistólica braquia diminuiu entre os participantes que se exercitaram e não tomaram a curcumina.

No entanto, a frequência cardíaca diminuiu significativamente apenas entre os participantes que se exercitaram e tomaram curcumina.

“Ingestão regular de curcumina poderia ser uma medida preventiva contra a doença cardiovascular em mulheres na pós-menopausa”, escreveram os autores do primeiro estudo.

“Além disso, nossos resultados sugerem que a curcumina pode ser uma alternativa potencial para os pacientes que são incapazes de se exercitar.”

A curcumina é melhor absorvida quando se ingere a raiz da cúrcuma (açafrão-da-terra) em vez de suplementos.

Melhorias significativas (e equivalentes) apenas no grupo de exercícios ou no da curcumina, e o maior aumento entre os participantes que se exercitaram e também tomaram o suplemento.

No final do estudo, os investigadores examinaram os efeitos do exercício e curcumina na taxa de degeneração relacionada com a idade do ventrículo esquerdo do coração.

Quarenta e cinco participantes foram distribuídos aleatoriamente em um dos quatro grupos, os mesmos utilizados no segundo estudo.

Os investigadores observaram que o exercício com curcumina produziu aumentos significativos na saúde do coração.

Neste estudo, no entanto, a curcumina sozinha não demonstrou oferecer qualquer benefício.

Especificamente, a pressão arterial sistólica braquia diminuiu entre os participantes que se exercitaram e não tomaram a curcumina.

No entanto, a frequência cardíaca diminuiu significativamente apenas entre os participantes que se exercitaram e tomaram curcumina.

“Ingestão regular de curcumina poderia ser uma medida preventiva contra a doença cardiovascular em mulheres na pós-menopausa”, escreveram os autores do primeiro estudo.

“Além disso, nossos resultados sugerem que a curcumina pode ser uma alternativa potencial para os pacientes que são incapazes de se exercitar.”

A curcumina é melhor absorvida quando se ingere a raiz da cúrcuma (açafrão-da-terra) em vez de suplementos.

Os pesquisadores não encontraram nenhuma melhoria significativa no grupo da pílula placebo.

Melhorias significativas (e equivalentes) apenas no grupo de exercícios ou no da curcumina, e o maior aumento entre os participantes que se exercitaram e também tomaram o suplemento.

No final do estudo, os investigadores examinaram os efeitos do exercício e curcumina na taxa de degeneração relacionada com a idade do ventrículo esquerdo do coração.

Quarenta e cinco participantes foram distribuídos aleatoriamente em um dos quatro grupos, os mesmos utilizados no segundo estudo.

Os investigadores observaram que o exercício com curcumina produziu aumentos significativos na saúde do coração.

Neste estudo, no entanto, a curcumina sozinha não demonstrou oferecer qualquer benefício.

Especificamente, a pressão arterial sistólica braquia diminuiu entre os participantes que se exercitaram e não tomaram a curcumina.

No entanto, a frequência cardíaca diminuiu significativamente apenas entre os participantes que se exercitaram e tomaram curcumina.

“Ingestão regular de curcumina poderia ser uma medida preventiva contra a doença cardiovascular em mulheres na pós-menopausa”, escreveram os autores do primeiro estudo.

“Além disso, nossos resultados sugerem que a curcumina pode ser uma alternativa potencial para os pacientes que são incapazes de se exercitar.”

A curcumina é melhor absorvida quando se ingere a raiz da cúrcuma (açafrão-da-terra) em vez de suplementos.

Neste estudo, 32 mulheres foram aleatoriamente designadas para receber um suplemento de curcumina ou uma pílula placebo, ou submeterem-se a uma rotina de exercícios com a curcumina ou com pílula placebo.

Os pesquisadores não encontraram nenhuma melhoria significativa no grupo da pílula placebo.

Melhorias significativas (e equivalentes) apenas no grupo de exercícios ou no da curcumina, e o maior aumento entre os participantes que se exercitaram e também tomaram o suplemento.

No final do estudo, os investigadores examinaram os efeitos do exercício e curcumina na taxa de degeneração relacionada com a idade do ventrículo esquerdo do coração.

Quarenta e cinco participantes foram distribuídos aleatoriamente em um dos quatro grupos, os mesmos utilizados no segundo estudo.

Os investigadores observaram que o exercício com curcumina produziu aumentos significativos na saúde do coração.

Neste estudo, no entanto, a curcumina sozinha não demonstrou oferecer qualquer benefício.

Especificamente, a pressão arterial sistólica braquia diminuiu entre os participantes que se exercitaram e não tomaram a curcumina.

No entanto, a frequência cardíaca diminuiu significativamente apenas entre os participantes que se exercitaram e tomaram curcumina.

“Ingestão regular de curcumina poderia ser uma medida preventiva contra a doença cardiovascular em mulheres na pós-menopausa”, escreveram os autores do primeiro estudo.

“Além disso, nossos resultados sugerem que a curcumina pode ser uma alternativa potencial para os pacientes que são incapazes de se exercitar.”

A curcumina é melhor absorvida quando se ingere a raiz da cúrcuma (açafrão-da-terra) em vez de suplementos.

O segundo estudo examinou os efeitos da curcumina na resposta das artérias a alterações na pressão sanguínea (“complacência arterial”), outra medida essencial da saúde cardiovascular.

Neste estudo, 32 mulheres foram aleatoriamente designadas para receber um suplemento de curcumina ou uma pílula placebo, ou submeterem-se a uma rotina de exercícios com a curcumina ou com pílula placebo.

Os pesquisadores não encontraram nenhuma melhoria significativa no grupo da pílula placebo.

Melhorias significativas (e equivalentes) apenas no grupo de exercícios ou no da curcumina, e o maior aumento entre os participantes que se exercitaram e também tomaram o suplemento.

No final do estudo, os investigadores examinaram os efeitos do exercício e curcumina na taxa de degeneração relacionada com a idade do ventrículo esquerdo do coração.

Quarenta e cinco participantes foram distribuídos aleatoriamente em um dos quatro grupos, os mesmos utilizados no segundo estudo.

Os investigadores observaram que o exercício com curcumina produziu aumentos significativos na saúde do coração.

Neste estudo, no entanto, a curcumina sozinha não demonstrou oferecer qualquer benefício.

Especificamente, a pressão arterial sistólica braquia diminuiu entre os participantes que se exercitaram e não tomaram a curcumina.

No entanto, a frequência cardíaca diminuiu significativamente apenas entre os participantes que se exercitaram e tomaram curcumina.

“Ingestão regular de curcumina poderia ser uma medida preventiva contra a doença cardiovascular em mulheres na pós-menopausa”, escreveram os autores do primeiro estudo.

“Além disso, nossos resultados sugerem que a curcumina pode ser uma alternativa potencial para os pacientes que são incapazes de se exercitar.”

A curcumina é melhor absorvida quando se ingere a raiz da cúrcuma (açafrão-da-terra) em vez de suplementos.

O mais surpreendentemente: a melhoria nestes dois grupos experimentais foi idêntica.

O segundo estudo examinou os efeitos da curcumina na resposta das artérias a alterações na pressão sanguínea (“complacência arterial”), outra medida essencial da saúde cardiovascular.

Neste estudo, 32 mulheres foram aleatoriamente designadas para receber um suplemento de curcumina ou uma pílula placebo, ou submeterem-se a uma rotina de exercícios com a curcumina ou com pílula placebo.

Os pesquisadores não encontraram nenhuma melhoria significativa no grupo da pílula placebo.

Melhorias significativas (e equivalentes) apenas no grupo de exercícios ou no da curcumina, e o maior aumento entre os participantes que se exercitaram e também tomaram o suplemento.

No final do estudo, os investigadores examinaram os efeitos do exercício e curcumina na taxa de degeneração relacionada com a idade do ventrículo esquerdo do coração.

Quarenta e cinco participantes foram distribuídos aleatoriamente em um dos quatro grupos, os mesmos utilizados no segundo estudo.

Os investigadores observaram que o exercício com curcumina produziu aumentos significativos na saúde do coração.

Neste estudo, no entanto, a curcumina sozinha não demonstrou oferecer qualquer benefício.

Especificamente, a pressão arterial sistólica braquia diminuiu entre os participantes que se exercitaram e não tomaram a curcumina.

No entanto, a frequência cardíaca diminuiu significativamente apenas entre os participantes que se exercitaram e tomaram curcumina.

“Ingestão regular de curcumina poderia ser uma medida preventiva contra a doença cardiovascular em mulheres na pós-menopausa”, escreveram os autores do primeiro estudo.

“Além disso, nossos resultados sugerem que a curcumina pode ser uma alternativa potencial para os pacientes que são incapazes de se exercitar.”

A curcumina é melhor absorvida quando se ingere a raiz da cúrcuma (açafrão-da-terra) em vez de suplementos.

Eles descobriram que, enquanto não houve melhora no grupo que nada fez, a função endotelial aumentou significativamente tanto no grupo de exercícios como no de curcumina.

O mais surpreendentemente: a melhoria nestes dois grupos experimentais foi idêntica.

O segundo estudo examinou os efeitos da curcumina na resposta das artérias a alterações na pressão sanguínea (“complacência arterial”), outra medida essencial da saúde cardiovascular.

Neste estudo, 32 mulheres foram aleatoriamente designadas para receber um suplemento de curcumina ou uma pílula placebo, ou submeterem-se a uma rotina de exercícios com a curcumina ou com pílula placebo.

Os pesquisadores não encontraram nenhuma melhoria significativa no grupo da pílula placebo.

Melhorias significativas (e equivalentes) apenas no grupo de exercícios ou no da curcumina, e o maior aumento entre os participantes que se exercitaram e também tomaram o suplemento.

No final do estudo, os investigadores examinaram os efeitos do exercício e curcumina na taxa de degeneração relacionada com a idade do ventrículo esquerdo do coração.

Quarenta e cinco participantes foram distribuídos aleatoriamente em um dos quatro grupos, os mesmos utilizados no segundo estudo.

Os investigadores observaram que o exercício com curcumina produziu aumentos significativos na saúde do coração.

Neste estudo, no entanto, a curcumina sozinha não demonstrou oferecer qualquer benefício.

Especificamente, a pressão arterial sistólica braquia diminuiu entre os participantes que se exercitaram e não tomaram a curcumina.

No entanto, a frequência cardíaca diminuiu significativamente apenas entre os participantes que se exercitaram e tomaram curcumina.

“Ingestão regular de curcumina poderia ser uma medida preventiva contra a doença cardiovascular em mulheres na pós-menopausa”, escreveram os autores do primeiro estudo.

“Além disso, nossos resultados sugerem que a curcumina pode ser uma alternativa potencial para os pacientes que são incapazes de se exercitar.”

A curcumina é melhor absorvida quando se ingere a raiz da cúrcuma (açafrão-da-terra) em vez de suplementos.

Os pesquisadores mediram a função endotelial vascular dos participantes – a capacidade de resposta da camada de células que revestem os vasos sanguíneos, um indicador-chave da saúde cardiovascular – tanto no início e no final do estudo.

Eles descobriram que, enquanto não houve melhora no grupo que nada fez, a função endotelial aumentou significativamente tanto no grupo de exercícios como no de curcumina.

O mais surpreendentemente: a melhoria nestes dois grupos experimentais foi idêntica.

O segundo estudo examinou os efeitos da curcumina na resposta das artérias a alterações na pressão sanguínea (“complacência arterial”), outra medida essencial da saúde cardiovascular.

Neste estudo, 32 mulheres foram aleatoriamente designadas para receber um suplemento de curcumina ou uma pílula placebo, ou submeterem-se a uma rotina de exercícios com a curcumina ou com pílula placebo.

Os pesquisadores não encontraram nenhuma melhoria significativa no grupo da pílula placebo.

Melhorias significativas (e equivalentes) apenas no grupo de exercícios ou no da curcumina, e o maior aumento entre os participantes que se exercitaram e também tomaram o suplemento.

No final do estudo, os investigadores examinaram os efeitos do exercício e curcumina na taxa de degeneração relacionada com a idade do ventrículo esquerdo do coração.

Quarenta e cinco participantes foram distribuídos aleatoriamente em um dos quatro grupos, os mesmos utilizados no segundo estudo.

Os investigadores observaram que o exercício com curcumina produziu aumentos significativos na saúde do coração.

Neste estudo, no entanto, a curcumina sozinha não demonstrou oferecer qualquer benefício.

Especificamente, a pressão arterial sistólica braquia diminuiu entre os participantes que se exercitaram e não tomaram a curcumina.

No entanto, a frequência cardíaca diminuiu significativamente apenas entre os participantes que se exercitaram e tomaram curcumina.

“Ingestão regular de curcumina poderia ser uma medida preventiva contra a doença cardiovascular em mulheres na pós-menopausa”, escreveram os autores do primeiro estudo.

“Além disso, nossos resultados sugerem que a curcumina pode ser uma alternativa potencial para os pacientes que são incapazes de se exercitar.”

A curcumina é melhor absorvida quando se ingere a raiz da cúrcuma (açafrão-da-terra) em vez de suplementos.

Cúrcuma pode prevenir doenças do coração?

No primeiro estudo, os pesquisadores selecionaram 32 mulheres para tomar um suplemento de curcumina ou fazer treinamento físico moderado ou a não participar de nenhuma dessas intervenções.

Os pesquisadores mediram a função endotelial vascular dos participantes – a capacidade de resposta da camada de células que revestem os vasos sanguíneos, um indicador-chave da saúde cardiovascular – tanto no início e no final do estudo.

Eles descobriram que, enquanto não houve melhora no grupo que nada fez, a função endotelial aumentou significativamente tanto no grupo de exercícios como no de curcumina.

O mais surpreendentemente: a melhoria nestes dois grupos experimentais foi idêntica.

O segundo estudo examinou os efeitos da curcumina na resposta das artérias a alterações na pressão sanguínea (“complacência arterial”), outra medida essencial da saúde cardiovascular.

Neste estudo, 32 mulheres foram aleatoriamente designadas para receber um suplemento de curcumina ou uma pílula placebo, ou submeterem-se a uma rotina de exercícios com a curcumina ou com pílula placebo.

Os pesquisadores não encontraram nenhuma melhoria significativa no grupo da pílula placebo.

Melhorias significativas (e equivalentes) apenas no grupo de exercícios ou no da curcumina, e o maior aumento entre os participantes que se exercitaram e também tomaram o suplemento.

No final do estudo, os investigadores examinaram os efeitos do exercício e curcumina na taxa de degeneração relacionada com a idade do ventrículo esquerdo do coração.

Quarenta e cinco participantes foram distribuídos aleatoriamente em um dos quatro grupos, os mesmos utilizados no segundo estudo.

Os investigadores observaram que o exercício com curcumina produziu aumentos significativos na saúde do coração.

Neste estudo, no entanto, a curcumina sozinha não demonstrou oferecer qualquer benefício.

Especificamente, a pressão arterial sistólica braquia diminuiu entre os participantes que se exercitaram e não tomaram a curcumina.

No entanto, a frequência cardíaca diminuiu significativamente apenas entre os participantes que se exercitaram e tomaram curcumina.

“Ingestão regular de curcumina poderia ser uma medida preventiva contra a doença cardiovascular em mulheres na pós-menopausa”, escreveram os autores do primeiro estudo.

“Além disso, nossos resultados sugerem que a curcumina pode ser uma alternativa potencial para os pacientes que são incapazes de se exercitar.”

A curcumina é melhor absorvida quando se ingere a raiz da cúrcuma (açafrão-da-terra) em vez de suplementos.

Cúrcuma pode prevenir doenças do coração?

No primeiro estudo, os pesquisadores selecionaram 32 mulheres para tomar um suplemento de curcumina ou fazer treinamento físico moderado ou a não participar de nenhuma dessas intervenções.

Os pesquisadores mediram a função endotelial vascular dos participantes – a capacidade de resposta da camada de células que revestem os vasos sanguíneos, um indicador-chave da saúde cardiovascular – tanto no início e no final do estudo.

Eles descobriram que, enquanto não houve melhora no grupo que nada fez, a função endotelial aumentou significativamente tanto no grupo de exercícios como no de curcumina.

O mais surpreendentemente: a melhoria nestes dois grupos experimentais foi idêntica.

O segundo estudo examinou os efeitos da curcumina na resposta das artérias a alterações na pressão sanguínea (“complacência arterial”), outra medida essencial da saúde cardiovascular.

Neste estudo, 32 mulheres foram aleatoriamente designadas para receber um suplemento de curcumina ou uma pílula placebo, ou submeterem-se a uma rotina de exercícios com a curcumina ou com pílula placebo.

Os pesquisadores não encontraram nenhuma melhoria significativa no grupo da pílula placebo.

Melhorias significativas (e equivalentes) apenas no grupo de exercícios ou no da curcumina, e o maior aumento entre os participantes que se exercitaram e também tomaram o suplemento.

No final do estudo, os investigadores examinaram os efeitos do exercício e curcumina na taxa de degeneração relacionada com a idade do ventrículo esquerdo do coração.

Quarenta e cinco participantes foram distribuídos aleatoriamente em um dos quatro grupos, os mesmos utilizados no segundo estudo.

Os investigadores observaram que o exercício com curcumina produziu aumentos significativos na saúde do coração.

Neste estudo, no entanto, a curcumina sozinha não demonstrou oferecer qualquer benefício.

Especificamente, a pressão arterial sistólica braquia diminuiu entre os participantes que se exercitaram e não tomaram a curcumina.

No entanto, a frequência cardíaca diminuiu significativamente apenas entre os participantes que se exercitaram e tomaram curcumina.

“Ingestão regular de curcumina poderia ser uma medida preventiva contra a doença cardiovascular em mulheres na pós-menopausa”, escreveram os autores do primeiro estudo.

“Além disso, nossos resultados sugerem que a curcumina pode ser uma alternativa potencial para os pacientes que são incapazes de se exercitar.”

A curcumina é melhor absorvida quando se ingere a raiz da cúrcuma (açafrão-da-terra) em vez de suplementos.

Apesar de apenas um desses produtos químicos ser devidamente conhecido como “curcumina”, o nome é comumente usado para se referir a todos eles coletivamente.

Os novos estudos compararam todos os efeitos do exercício e da curcumina sobre a saúde do coração e sobre as mulheres na pós-menopausa durante um oito semanas.

Todos os estudos foram randomizados, duplo-cego e controlado com placebo.  

Cúrcuma pode prevenir doenças do coração?

No primeiro estudo, os pesquisadores selecionaram 32 mulheres para tomar um suplemento de curcumina ou fazer treinamento físico moderado ou a não participar de nenhuma dessas intervenções.

Os pesquisadores mediram a função endotelial vascular dos participantes – a capacidade de resposta da camada de células que revestem os vasos sanguíneos, um indicador-chave da saúde cardiovascular – tanto no início e no final do estudo.

Eles descobriram que, enquanto não houve melhora no grupo que nada fez, a função endotelial aumentou significativamente tanto no grupo de exercícios como no de curcumina.

O mais surpreendentemente: a melhoria nestes dois grupos experimentais foi idêntica.

O segundo estudo examinou os efeitos da curcumina na resposta das artérias a alterações na pressão sanguínea (“complacência arterial”), outra medida essencial da saúde cardiovascular.

Neste estudo, 32 mulheres foram aleatoriamente designadas para receber um suplemento de curcumina ou uma pílula placebo, ou submeterem-se a uma rotina de exercícios com a curcumina ou com pílula placebo.

Os pesquisadores não encontraram nenhuma melhoria significativa no grupo da pílula placebo.

Melhorias significativas (e equivalentes) apenas no grupo de exercícios ou no da curcumina, e o maior aumento entre os participantes que se exercitaram e também tomaram o suplemento.

No final do estudo, os investigadores examinaram os efeitos do exercício e curcumina na taxa de degeneração relacionada com a idade do ventrículo esquerdo do coração.

Quarenta e cinco participantes foram distribuídos aleatoriamente em um dos quatro grupos, os mesmos utilizados no segundo estudo.

Os investigadores observaram que o exercício com curcumina produziu aumentos significativos na saúde do coração.

Neste estudo, no entanto, a curcumina sozinha não demonstrou oferecer qualquer benefício.

Especificamente, a pressão arterial sistólica braquia diminuiu entre os participantes que se exercitaram e não tomaram a curcumina.

No entanto, a frequência cardíaca diminuiu significativamente apenas entre os participantes que se exercitaram e tomaram curcumina.

“Ingestão regular de curcumina poderia ser uma medida preventiva contra a doença cardiovascular em mulheres na pós-menopausa”, escreveram os autores do primeiro estudo.

“Além disso, nossos resultados sugerem que a curcumina pode ser uma alternativa potencial para os pacientes que são incapazes de se exercitar.”

A curcumina é melhor absorvida quando se ingere a raiz da cúrcuma (açafrão-da-terra) em vez de suplementos.

Nas últimas décadas, estudos científicos confirmaram as propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes da cúrcuma graças ao trio de produtos químicos conhecidos como “curcuminoides”, responsáveis pela cor amarelo-laranja da raiz.

Apesar de apenas um desses produtos químicos ser devidamente conhecido como “curcumina”, o nome é comumente usado para se referir a todos eles coletivamente.

Os novos estudos compararam todos os efeitos do exercício e da curcumina sobre a saúde do coração e sobre as mulheres na pós-menopausa durante um oito semanas.

Todos os estudos foram randomizados, duplo-cego e controlado com placebo.  

Cúrcuma pode prevenir doenças do coração?

No primeiro estudo, os pesquisadores selecionaram 32 mulheres para tomar um suplemento de curcumina ou fazer treinamento físico moderado ou a não participar de nenhuma dessas intervenções.

Os pesquisadores mediram a função endotelial vascular dos participantes – a capacidade de resposta da camada de células que revestem os vasos sanguíneos, um indicador-chave da saúde cardiovascular – tanto no início e no final do estudo.

Eles descobriram que, enquanto não houve melhora no grupo que nada fez, a função endotelial aumentou significativamente tanto no grupo de exercícios como no de curcumina.

O mais surpreendentemente: a melhoria nestes dois grupos experimentais foi idêntica.

O segundo estudo examinou os efeitos da curcumina na resposta das artérias a alterações na pressão sanguínea (“complacência arterial”), outra medida essencial da saúde cardiovascular.

Neste estudo, 32 mulheres foram aleatoriamente designadas para receber um suplemento de curcumina ou uma pílula placebo, ou submeterem-se a uma rotina de exercícios com a curcumina ou com pílula placebo.

Os pesquisadores não encontraram nenhuma melhoria significativa no grupo da pílula placebo.

Melhorias significativas (e equivalentes) apenas no grupo de exercícios ou no da curcumina, e o maior aumento entre os participantes que se exercitaram e também tomaram o suplemento.

No final do estudo, os investigadores examinaram os efeitos do exercício e curcumina na taxa de degeneração relacionada com a idade do ventrículo esquerdo do coração.

Quarenta e cinco participantes foram distribuídos aleatoriamente em um dos quatro grupos, os mesmos utilizados no segundo estudo.

Os investigadores observaram que o exercício com curcumina produziu aumentos significativos na saúde do coração.

Neste estudo, no entanto, a curcumina sozinha não demonstrou oferecer qualquer benefício.

Especificamente, a pressão arterial sistólica braquia diminuiu entre os participantes que se exercitaram e não tomaram a curcumina.

No entanto, a frequência cardíaca diminuiu significativamente apenas entre os participantes que se exercitaram e tomaram curcumina.

“Ingestão regular de curcumina poderia ser uma medida preventiva contra a doença cardiovascular em mulheres na pós-menopausa”, escreveram os autores do primeiro estudo.

“Além disso, nossos resultados sugerem que a curcumina pode ser uma alternativa potencial para os pacientes que são incapazes de se exercitar.”

A curcumina é melhor absorvida quando se ingere a raiz da cúrcuma (açafrão-da-terra) em vez de suplementos.

Essa é a conclusão de estudos realizados por pesquisadores da Universidade de Tsukuba, no Japão.

Nas últimas décadas, estudos científicos confirmaram as propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes da cúrcuma graças ao trio de produtos químicos conhecidos como “curcuminoides”, responsáveis pela cor amarelo-laranja da raiz.

Apesar de apenas um desses produtos químicos ser devidamente conhecido como “curcumina”, o nome é comumente usado para se referir a todos eles coletivamente.

Os novos estudos compararam todos os efeitos do exercício e da curcumina sobre a saúde do coração e sobre as mulheres na pós-menopausa durante um oito semanas.

Todos os estudos foram randomizados, duplo-cego e controlado com placebo.  

Cúrcuma pode prevenir doenças do coração?

No primeiro estudo, os pesquisadores selecionaram 32 mulheres para tomar um suplemento de curcumina ou fazer treinamento físico moderado ou a não participar de nenhuma dessas intervenções.

Os pesquisadores mediram a função endotelial vascular dos participantes – a capacidade de resposta da camada de células que revestem os vasos sanguíneos, um indicador-chave da saúde cardiovascular – tanto no início e no final do estudo.

Eles descobriram que, enquanto não houve melhora no grupo que nada fez, a função endotelial aumentou significativamente tanto no grupo de exercícios como no de curcumina.

O mais surpreendentemente: a melhoria nestes dois grupos experimentais foi idêntica.

O segundo estudo examinou os efeitos da curcumina na resposta das artérias a alterações na pressão sanguínea (“complacência arterial”), outra medida essencial da saúde cardiovascular.

Neste estudo, 32 mulheres foram aleatoriamente designadas para receber um suplemento de curcumina ou uma pílula placebo, ou submeterem-se a uma rotina de exercícios com a curcumina ou com pílula placebo.

Os pesquisadores não encontraram nenhuma melhoria significativa no grupo da pílula placebo.

Melhorias significativas (e equivalentes) apenas no grupo de exercícios ou no da curcumina, e o maior aumento entre os participantes que se exercitaram e também tomaram o suplemento.

No final do estudo, os investigadores examinaram os efeitos do exercício e curcumina na taxa de degeneração relacionada com a idade do ventrículo esquerdo do coração.

Quarenta e cinco participantes foram distribuídos aleatoriamente em um dos quatro grupos, os mesmos utilizados no segundo estudo.

Os investigadores observaram que o exercício com curcumina produziu aumentos significativos na saúde do coração.

Neste estudo, no entanto, a curcumina sozinha não demonstrou oferecer qualquer benefício.

Especificamente, a pressão arterial sistólica braquia diminuiu entre os participantes que se exercitaram e não tomaram a curcumina.

No entanto, a frequência cardíaca diminuiu significativamente apenas entre os participantes que se exercitaram e tomaram curcumina.

“Ingestão regular de curcumina poderia ser uma medida preventiva contra a doença cardiovascular em mulheres na pós-menopausa”, escreveram os autores do primeiro estudo.

“Além disso, nossos resultados sugerem que a curcumina pode ser uma alternativa potencial para os pacientes que são incapazes de se exercitar.”

A curcumina é melhor absorvida quando se ingere a raiz da cúrcuma (açafrão-da-terra) em vez de suplementos.
Uma substância presente na raiz da cúrcuma (açafrão-da-terra) parece melhorar a saúde do coração tanto quanto exercícios físicos moderados.

Essa é a conclusão de estudos realizados por pesquisadores da Universidade de Tsukuba, no Japão.

Nas últimas décadas, estudos científicos confirmaram as propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes da cúrcuma graças ao trio de produtos químicos conhecidos como “curcuminoides”, responsáveis pela cor amarelo-laranja da raiz.

Apesar de apenas um desses produtos químicos ser devidamente conhecido como “curcumina”, o nome é comumente usado para se referir a todos eles coletivamente.

Os novos estudos compararam todos os efeitos do exercício e da curcumina sobre a saúde do coração e sobre as mulheres na pós-menopausa durante um oito semanas.

Todos os estudos foram randomizados, duplo-cego e controlado com placebo.  

Cúrcuma pode prevenir doenças do coração?

No primeiro estudo, os pesquisadores selecionaram 32 mulheres para tomar um suplemento de curcumina ou fazer treinamento físico moderado ou a não participar de nenhuma dessas intervenções.

Os pesquisadores mediram a função endotelial vascular dos participantes – a capacidade de resposta da camada de células que revestem os vasos sanguíneos, um indicador-chave da saúde cardiovascular – tanto no início e no final do estudo.

Eles descobriram que, enquanto não houve melhora no grupo que nada fez, a função endotelial aumentou significativamente tanto no grupo de exercícios como no de curcumina.

O mais surpreendentemente: a melhoria nestes dois grupos experimentais foi idêntica.

O segundo estudo examinou os efeitos da curcumina na resposta das artérias a alterações na pressão sanguínea (“complacência arterial”), outra medida essencial da saúde cardiovascular.

Neste estudo, 32 mulheres foram aleatoriamente designadas para receber um suplemento de curcumina ou uma pílula placebo, ou submeterem-se a uma rotina de exercícios com a curcumina ou com pílula placebo.

Os pesquisadores não encontraram nenhuma melhoria significativa no grupo da pílula placebo.

Melhorias significativas (e equivalentes) apenas no grupo de exercícios ou no da curcumina, e o maior aumento entre os participantes que se exercitaram e também tomaram o suplemento.

No final do estudo, os investigadores examinaram os efeitos do exercício e curcumina na taxa de degeneração relacionada com a idade do ventrículo esquerdo do coração.

Quarenta e cinco participantes foram distribuídos aleatoriamente em um dos quatro grupos, os mesmos utilizados no segundo estudo.

Os investigadores observaram que o exercício com curcumina produziu aumentos significativos na saúde do coração.

Neste estudo, no entanto, a curcumina sozinha não demonstrou oferecer qualquer benefício.

Especificamente, a pressão arterial sistólica braquia diminuiu entre os participantes que se exercitaram e não tomaram a curcumina.

No entanto, a frequência cardíaca diminuiu significativamente apenas entre os participantes que se exercitaram e tomaram curcumina.

“Ingestão regular de curcumina poderia ser uma medida preventiva contra a doença cardiovascular em mulheres na pós-menopausa”, escreveram os autores do primeiro estudo.

“Além disso, nossos resultados sugerem que a curcumina pode ser uma alternativa potencial para os pacientes que são incapazes de se exercitar.”

A curcumina é melhor absorvida quando se ingere a raiz da cúrcuma (açafrão-da-terra) em vez de suplementos.
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email

VEJA TAMBÉM

DEIXE SEU COMENTÁRIO

PUBLICIDADE