PUBLICIDADE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

Caspa em gato: saiba quais são os sintomas e como tratar

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Seguindo algumas orientações caseiras, o seu bichano não terá problemas com caspa. 

A pele de um gato é o maior órgão do corpo do animal e também um dos mais importantes.

Isso porque é a pele que o protege contra infecções, parasitas e/ou irritações.

Porém, também pode ser acometida pela caspa, ou seja, a descamação da pele morta, causada pelo excesso de produção de óleo pelas glândulas sebáceas. 

As causas são diversas e, entre elas, estão as seguintes:

Pele ressecada

Quando seu bichano não se hidrata corretamente, seja por meio da água ou da alimentação, ele acaba tendo a pele ressecada e começa a descamar.

Uma dieta pobre em gorduras boas, como ômega 3, é um dos fatores alimentares que causam esse ressecamento.

Caso você desconfie que seu gato está com deficiência nutricional, procure um médico veterinário para que ele possa examiná-lo e indicar os suplementos necessários.

Obesidade felina

Outro fator que provoca a caspa nos gatos é a obesidade felina, fazendo com que o animal tenha dificuldades para se lamber e se limpar.

O sobrepeso pode limitar os movimentos do bichano, deixando algumas partes do corpo mais secas, o que favorece o aparecimento da caspa.

Ácaros e micose

Existem algumas espécies de ácaros que são conhecidos como “caspa andante” e são contagiosos.

Nesse caso, recomenda-se levar seu animalzinho a um médico veterinário para ser examinado e indicado o tratamento adequado.

Outro fator que pode causar a caspa felina é a micose, uma doença cutânea causada por fungos.

Quando seu bichano é acometido por esse problemas, ele começa a sofrer com a perda de pelo, pele ressecada e, consequentemente, a caspa.

Essa micose é uma doença contagiosa tanto para os animais quanto para os humanos.

Doenças metabólicas

Diabetes felina e hipertireoidismo são duas doenças metabólicas que podem causar alterações cutâneas, favorecendo o aparecimento da caspa.

Questões ambientais

O ambiente influencia muito no bem-estar dos animais de estimação, principalmente gatos.

Durante o verão, por exemplo, o clima seco pode ressecar a pele dos felinos e, como consequência, surge a caspa.

Por isso, mantenha os bebedouros sempre com água fresca, além de manter seus animais em um local com sombra, protegendo-os do sol durante o descanso.

Estresse

Os gatos são pets muito organizados (a grande maioria) e, por isso, não gostam de mudanças em sua rotina.

Por exemplo, uma mudança de casa, na família, barulhos em excesso ou a chegada de um novo pet em casa são fatores que podem causar estresse nos bichanos.

Com isso, eles podem ficar ansiosos e acabar desenvolvendo a caspa.

Falta de escovação dos pelos

A escovação é um hábito que ajuda a renovar os pelos do animal e também remove as células mortas. 

Como a caspa é justamente o excesso de células mortas, fazer uma escovação frequente pode ajudar a evitar esse problema.

Idade avançada

Quando os animais estão com idade avançada, costumam ter mobilidade reduzida.

Como consequência, podem desenvolver artrite, que dificulta o processo de higienização do corpo, causando o acúmulo de pele morta e ressecamento.

Sintomas da caspa felina

  • Presença de pontos brancos acima do pelo;
  • Coceira intensa, principalmente na região do rabo e coluna;
  • Pele avermelhada com secreção ou crostas;
  • Forte odor, muitas vezes associado à presença de bactérias e infecções.

Remédio caseiro para caspa em gato

Seguindo algumas orientações caseiras, o seu bichano não terá problemas com caspas. 

Por isso, veja a seguir um excelente remédio caseiro e algumas dicas que irão evitar a caspa em seu gatinho.

Porém, não esqueça, por menor que seja o problema do seu animal, o ideal é consultar um médico veterinário.

Aloe vera

A aloe vera, também conhecida como babosa, possui efeitos surpreendentes na pele dos felinos.

O gel extraído da planta contém inúmeros princípios ativos que favorecem a regeneração celular adequada.

Também tem efeito refrescante, que ajuda a aliviar a coceira causada pela caspa.

Além disso, a aloe vera possui propriedades anti-inflamatórias e cicatrizantes que auxiliam na cicatrização dos arranhões.

Para isso, corte um pedaço da folha de babosa e remova a aloína – aprenda aqui o passo a passo para eliminar essa substância tóxica.

Em seguida, passe o gel sobre o pelo do gato, principalmente nos possíveis ferimentos da pele.

Ômega 3

Os ácidos graxos com ômega 3 possuem vários benefícios para os pets. 

Um suplemento alimentar com ômega 3 vai ajudar a melhorar a pele do animal e, consequentemente, a pelagem.

O ômega 3 também é um excelente anti-inflamatório e irá aliviar o sintoma da inflamação causada na pele de tanto o gato se coçar.

Mas antes de alimentar seu bichano com qualquer suplemento, consulte um médico veterinário para que ele possa indicar o melhor e mais adequado.

Evite o excesso de banho

Não dê banhos muito frequentes em seu bichano, pois isso pode fazer com que ele fique sem óleos essenciais na pele, deixando-a seca e escamosa. 

O recomendado é de quatro a  cinco banhos no ano e sempre usar shampoos apropriados para gatos e com ação hidratante.

Além desses cuidados, faça com que seu gato tenha uma vida saudável e, além da alimentação balanceada, estimule-o a praticar atividades físicas.

Para isso, brinque diariamente com ele, fazendo com que seu bichano se movimente.

Assim, além do exercício, o vínculo entre vocês também será reforçado, deixando o animal mais feliz.

Cuidados extras com os gatos

  • Quando seu gatinho ainda for um filhote, aproveite para acostumá-lo com viagens e socialização com outros animais e pessoas.
  • Compre brinquedos adequados para mantê-lo entretido, como arranhadores.
  • Tire um tempo do dia para se dedicar ao seu animalzinho, dando atenção e brincando com ele.
  • Mantenha a caixinha sanitária sempre limpa e em um local tranquilo para o animal.
  • Fique sempre atento(a) ao comportamento de seu gato para identificar possíveis problemas de saúde e iniciar o tratamento.

Você pode aproveitar essas outras dicas já publicadas aqui no Cura pela Natureza para cuidar do seu bichano.

Mais Lidas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a nossa Política de Privacidade.