Compartilhar no facebook
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

Cândida: inimiga aparente

Você pode adquirir esse livro clicando AQUI.

Você pode adquirir esse livro clicando AQUI.

Outro estudo revela que em 100% dos pacientes com aids encontra-se candidíase. Isso mostra que a cândida pode contribuir para o desenvolvimento da aids em pessoas infectadas pelo HIV.


A solução para o problema é ver a cândida como um termômetro: ela serve para vermos que devemos mudar nosso ritmo de vida. Precisamos respirar mais, relaxar mais, nos amar mais. Por que será que cuidamos tanto dos carros – simples máquinas – e não cuidamos da máquina humana que Deus criou (o nosso corpo)? 



Minha experiência

Eu, Solange Cavalcanti, sou autora deste artigo e tive candidíase.

Tentei o tratamento pela medicina convencional, mas só consegui me curar por meios naturais. 

E toda a minha experiência está contida no livro eletrônico A cura da cândida. Eu consegui – Você também pode”.

Assim eu pude dividir com outras pessoas o que passei e mostrar o meu passo a passo para a cura completa, para que todos possam ter o sucesso que tive e conseguir a cura definitiva da candidíase.

Você pode adquirir esse livro clicando AQUI.


Tais sintomas podem vir juntos ou separados.

As pessoas com alguns desses sintomas devem observar se sua dieta é rica em refinados, se elas tomam muito remédio alopático para dor, se seu intestino funciona bem, se não está na hora de adotar uma dieta mais saudável para fortalecer o organismo…

Existe um teste que ajuda no diagnóstico: o teste da saliva.

Para o tratamento, deve-se procurar um especialista em medicina natural, pois os médicos alopatas geralmente não sabem lidar com a candidíase.

Por exemplo, se o problema for ginecológico, eles passam uma pomada ou óvulo vaginal à base de substâncias como nistatina, que mata tudo, o ruim e o bom. Sem falar que a cândida pode se fortalecer mais e voltar com mais força.

O problema é quando não há causa aparente. A cândida está no nosso corpo se multiplicando, mas o médico faz vários exames e não encontra nada. Se a pessoa tem tontura, fraqueza ou falta de ar e vai para a emergência, o médico pode até prescrever vitamina B, mas isso não vai resolver o problema. Sei disso porque acompanhei uma pessoa com candidíase e ela só conseguiu melhorar com mudança alimentar, acupuntura e muita vitamina.

Se o problema persistir e o paciente continuar com o tratamento alopático, depois de alguns meses ou anos, provavelmente o caso dele evoluirá para câncer.

Prova disso é um estudo feito pela dra. Hulda Clark constatando que todos os pacientes com câncer tratados Poe ela têm vermes e até fungos.

Outro estudo revela que em 100% dos pacientes com aids encontra-se candidíase. Isso mostra que a cândida pode contribuir para o desenvolvimento da aids em pessoas infectadas pelo HIV.


A solução para o problema é ver a cândida como um termômetro: ela serve para vermos que devemos mudar nosso ritmo de vida. Precisamos respirar mais, relaxar mais, nos amar mais. Por que será que cuidamos tanto dos carros – simples máquinas – e não cuidamos da máquina humana que Deus criou (o nosso corpo)? 



Minha experiência

Eu, Solange Cavalcanti, sou autora deste artigo e tive candidíase.

Tentei o tratamento pela medicina convencional, mas só consegui me curar por meios naturais. 

E toda a minha experiência está contida no livro eletrônico A cura da cândida. Eu consegui – Você também pode”.

Assim eu pude dividir com outras pessoas o que passei e mostrar o meu passo a passo para a cura completa, para que todos possam ter o sucesso que tive e conseguir a cura definitiva da candidíase.

Você pode adquirir esse livro clicando AQUI.


Tais sintomas podem vir juntos ou separados.

As pessoas com alguns desses sintomas devem observar se sua dieta é rica em refinados, se elas tomam muito remédio alopático para dor, se seu intestino funciona bem, se não está na hora de adotar uma dieta mais saudável para fortalecer o organismo…

Existe um teste que ajuda no diagnóstico: o teste da saliva.

Para o tratamento, deve-se procurar um especialista em medicina natural, pois os médicos alopatas geralmente não sabem lidar com a candidíase.

Por exemplo, se o problema for ginecológico, eles passam uma pomada ou óvulo vaginal à base de substâncias como nistatina, que mata tudo, o ruim e o bom. Sem falar que a cândida pode se fortalecer mais e voltar com mais força.

O problema é quando não há causa aparente. A cândida está no nosso corpo se multiplicando, mas o médico faz vários exames e não encontra nada. Se a pessoa tem tontura, fraqueza ou falta de ar e vai para a emergência, o médico pode até prescrever vitamina B, mas isso não vai resolver o problema. Sei disso porque acompanhei uma pessoa com candidíase e ela só conseguiu melhorar com mudança alimentar, acupuntura e muita vitamina.

Se o problema persistir e o paciente continuar com o tratamento alopático, depois de alguns meses ou anos, provavelmente o caso dele evoluirá para câncer.

Prova disso é um estudo feito pela dra. Hulda Clark constatando que todos os pacientes com câncer tratados Poe ela têm vermes e até fungos.

Outro estudo revela que em 100% dos pacientes com aids encontra-se candidíase. Isso mostra que a cândida pode contribuir para o desenvolvimento da aids em pessoas infectadas pelo HIV.


A solução para o problema é ver a cândida como um termômetro: ela serve para vermos que devemos mudar nosso ritmo de vida. Precisamos respirar mais, relaxar mais, nos amar mais. Por que será que cuidamos tanto dos carros – simples máquinas – e não cuidamos da máquina humana que Deus criou (o nosso corpo)? 



Minha experiência

Eu, Solange Cavalcanti, sou autora deste artigo e tive candidíase.

Tentei o tratamento pela medicina convencional, mas só consegui me curar por meios naturais. 

E toda a minha experiência está contida no livro eletrônico A cura da cândida. Eu consegui – Você também pode”.

Assim eu pude dividir com outras pessoas o que passei e mostrar o meu passo a passo para a cura completa, para que todos possam ter o sucesso que tive e conseguir a cura definitiva da candidíase.

Você pode adquirir esse livro clicando AQUI.



Tais sintomas podem vir juntos ou separados.

As pessoas com alguns desses sintomas devem observar se sua dieta é rica em refinados, se elas tomam muito remédio alopático para dor, se seu intestino funciona bem, se não está na hora de adotar uma dieta mais saudável para fortalecer o organismo…

Existe um teste que ajuda no diagnóstico: o teste da saliva.

Para o tratamento, deve-se procurar um especialista em medicina natural, pois os médicos alopatas geralmente não sabem lidar com a candidíase.

Por exemplo, se o problema for ginecológico, eles passam uma pomada ou óvulo vaginal à base de substâncias como nistatina, que mata tudo, o ruim e o bom. Sem falar que a cândida pode se fortalecer mais e voltar com mais força.

O problema é quando não há causa aparente. A cândida está no nosso corpo se multiplicando, mas o médico faz vários exames e não encontra nada. Se a pessoa tem tontura, fraqueza ou falta de ar e vai para a emergência, o médico pode até prescrever vitamina B, mas isso não vai resolver o problema. Sei disso porque acompanhei uma pessoa com candidíase e ela só conseguiu melhorar com mudança alimentar, acupuntura e muita vitamina.

Se o problema persistir e o paciente continuar com o tratamento alopático, depois de alguns meses ou anos, provavelmente o caso dele evoluirá para câncer.

Prova disso é um estudo feito pela dra. Hulda Clark constatando que todos os pacientes com câncer tratados Poe ela têm vermes e até fungos.

Outro estudo revela que em 100% dos pacientes com aids encontra-se candidíase. Isso mostra que a cândida pode contribuir para o desenvolvimento da aids em pessoas infectadas pelo HIV.


A solução para o problema é ver a cândida como um termômetro: ela serve para vermos que devemos mudar nosso ritmo de vida. Precisamos respirar mais, relaxar mais, nos amar mais. Por que será que cuidamos tanto dos carros – simples máquinas – e não cuidamos da máquina humana que Deus criou (o nosso corpo)? 



Minha experiência

Eu, Solange Cavalcanti, sou autora deste artigo e tive candidíase.

Tentei o tratamento pela medicina convencional, mas só consegui me curar por meios naturais. 

E toda a minha experiência está contida no livro eletrônico A cura da cândida. Eu consegui – Você também pode”.

Assim eu pude dividir com outras pessoas o que passei e mostrar o meu passo a passo para a cura completa, para que todos possam ter o sucesso que tive e conseguir a cura definitiva da candidíase.

Você pode adquirir esse livro clicando AQUI.

A cândida é uma levedura comum que pode ser encontrada no intestino e em certas membranas mucosas. Todos temos cândida no corpo, ela faz parte de nós.

Ao contrário do que muita gente pensa, a cândida é inofensiva, sendo incapaz de causar doenças em pessoas saudáveis. O problema é que a vida moderna, cheia de produtos industrializados e drogas, como antibióticos, anticoncepcional e açúcar, faz a cândida se multiplicar desordenadamente, ramificando-se e colonizando sobretudo o intestino.

Por mais difícil que pareça, devemos ver a cândida como uma amiga, que nos avisa quando a nossa dieta não está boa. Quando há uma infestação por cândida (candidíase), é preciso observar se não estamos comendo muito doce e alimentos refinados, se vale a pena insistir no uso de anticoncepcionais (há formas contraceptivas não tão agressivas), se realmente precisamos tomar antibióticos, se não estamos exagerando naquele remédio para dor de cabeça…

Além desses, os há dois fatores que contribuem para a candidíase: a baixa acidez do estômago (causada por comidas mal digeridas) e a pouca movimentação do intestino, que traz como conseqüência o acúmulo de bactérias fecais no intestino.

Como se pode ver, a candidíase só afeta pessoas fragilizadas, pois, como disse Louis Pasteur, “o vírus não é nada, o terreno é tudo”. Ou seja, se o corpo está saudável, nada vai afetá-lo e, se o fizer, ele terá forças para combater o inimigo.


PRINCIPAIS SINTOMAS DA CANDIDÍASE



Tais sintomas podem vir juntos ou separados.

As pessoas com alguns desses sintomas devem observar se sua dieta é rica em refinados, se elas tomam muito remédio alopático para dor, se seu intestino funciona bem, se não está na hora de adotar uma dieta mais saudável para fortalecer o organismo…

Existe um teste que ajuda no diagnóstico: o teste da saliva.

Para o tratamento, deve-se procurar um especialista em medicina natural, pois os médicos alopatas geralmente não sabem lidar com a candidíase.

Por exemplo, se o problema for ginecológico, eles passam uma pomada ou óvulo vaginal à base de substâncias como nistatina, que mata tudo, o ruim e o bom. Sem falar que a cândida pode se fortalecer mais e voltar com mais força.

O problema é quando não há causa aparente. A cândida está no nosso corpo se multiplicando, mas o médico faz vários exames e não encontra nada. Se a pessoa tem tontura, fraqueza ou falta de ar e vai para a emergência, o médico pode até prescrever vitamina B, mas isso não vai resolver o problema. Sei disso porque acompanhei uma pessoa com candidíase e ela só conseguiu melhorar com mudança alimentar, acupuntura e muita vitamina.

Se o problema persistir e o paciente continuar com o tratamento alopático, depois de alguns meses ou anos, provavelmente o caso dele evoluirá para câncer.

Prova disso é um estudo feito pela dra. Hulda Clark constatando que todos os pacientes com câncer tratados Poe ela têm vermes e até fungos.

Outro estudo revela que em 100% dos pacientes com aids encontra-se candidíase. Isso mostra que a cândida pode contribuir para o desenvolvimento da aids em pessoas infectadas pelo HIV.


A solução para o problema é ver a cândida como um termômetro: ela serve para vermos que devemos mudar nosso ritmo de vida. Precisamos respirar mais, relaxar mais, nos amar mais. Por que será que cuidamos tanto dos carros – simples máquinas – e não cuidamos da máquina humana que Deus criou (o nosso corpo)? 



Minha experiência

Eu, Solange Cavalcanti, sou autora deste artigo e tive candidíase.

Tentei o tratamento pela medicina convencional, mas só consegui me curar por meios naturais. 

E toda a minha experiência está contida no livro eletrônico A cura da cândida. Eu consegui – Você também pode”.

Assim eu pude dividir com outras pessoas o que passei e mostrar o meu passo a passo para a cura completa, para que todos possam ter o sucesso que tive e conseguir a cura definitiva da candidíase.

Você pode adquirir esse livro clicando AQUI.

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

DEIXE SEU COMENTÁRIO

VEJA TAMBÉM