Compartilhar no facebook
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

Cálcio além do leite: conheça outros alimentos ricos nesse mineral

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Quando se fala em cálcio, instantaneamente nos lembramos do leite.

Não é à toa.

Ele é a principal fonte desse nutriente em nossa dieta.

Vale lembrar, entretanto, que não é a única e aqueles que sofrem de alergia ao leite ou intolerância à lactose devem ficar atentos a isso.

Mas, afinal, por que o cálcio é tão importante?

Segundo o nutrólogo Roberto Navarro, da Associação Brasileira de Nutrologia, ele é fundamental, entre outras funções, para a formação da massa óssea, para a coagulação sanguínea e para a contração muscular.

O nutrólogo informa também que a necessidade diária desse mineral varia conforme a idade, chegando a 1.200 miligramas por dia após os 50 anos.

Para garantir o consumo recomendado, listamos outras boas fontes de cálcio que não contêm leite:

Aveia

Por não ser cara e oferecer maior quantidade de fibras dentre os cereais, a aveia não costuma ficar de fora do cardápio de quem está de dieta. “Um benefício de destaque do alimento, entretanto, é a diminuição do colesterol ruim (LDL)”, lembra a nutricionista Cátia. O que pouca gente sabe é que ela também é rica em cálcio, oferecendo 300 mg do mineral a cada 100 g do cereal. O alimento cai bem em receitas de pães e bolos e misturado com mingau ou frutas.

Brócolis

Quando crus, os brócolis contêm 400 mg de cálcio em 100 g, mas, consumidos dessa maneira, eles diminuem a eficiência da tireoide, podendo até levar a um quadro de hipotireoidismo. Por isso, recomenda-se ingerir o alimento cozido ou no vapor. “Ao submeter esse alimento ao cozimento, ele perde cerca de 70% da quantidade inicial de cálcio, enquanto, no vapor, perde cerca de 25% da quantidade inicial do nutriente”, explica o nutrólogo Roberto. Prefira, portanto, consumir brócolis no vapor e aproveite outros nutrientes, como ácido fólico, antioxidantes, fibras e vitaminas A e C.

Chia

Semente rica em ômega 3, fibras, ferro e proteínas, a chia não podia ficar de fora da lista. Cada 100 g do alimento contêm 556,8 mg do mineral. A chia ainda é conhecida por proteger o coração, melhorar o sistema imunológico, combater cãibras e auxiliar no funcionamento do sistema nervoso.

Espinafre

Alimento antioxidante e fonte de fibras, o espinafre também é rico em cálcio. Cada 100 g do vegetal contêm 160 mg do nutriente. “Outra característica do espinafre é o alto teor de ferro, o que faz com que ele seja bastante indicado a pessoas que sofrem de anemia ferropriva “, observa a nutricionista Cátia Medeiros. A hortaliça pode ser consumida sozinha em saladas ou lanches simples ou cozido.

Grão-de-bico

A cada 100 g de grão-de-bico ingeridos, são obtidos 120 mg de cálcio. Outras vantagens do consumo são a sensação de saciedade, melhora do fluxo intestinal e obtenção de proteínas.

Linhaça

Uma porção de 100 g de linhaça contém 200 mg de cálcio, mas, segundo o nutrólogo Roberto, é recomendado ficar atento a esse alimento por ser altamente calórico. Essa mesma quantidade oferece cerca de 490 calorias. “A linhaça também é fonte da gordura poli-insaturada ômega 3, que previne contra doenças cardiovasculares”, diz a nutricionista Cátia.

Sardinha

“A sardinha, assim como outros peixes de água fria, é conhecida por ser fonte de uma gordura boa para o coração: o ômega 3”, afirma a nutricionista Cátia Medeiros. Mas o alimento, que pode ser consumido assado, grelhado ou até em patê, também é rico em cálcio. Cada 100 g de sardinha oferecem 500 mg do mineral. O peixe também é um alimento de fácil digestão e altamente recomendado para atingir as recomendações diárias de ingestão das vitaminas A e D.

Semente de gergelim

A semente de gergelim costuma ganhar destaque por atuar como coadjuvante na perda de peso graças à alta concentração de fibras, conhecidas por proporcionar saciedade. Entretanto, outros nutrientes, como o cálcio, também podem ser encontrados na semente: 400 mg de cálcio em cada 100 g do alimento. Nutricionistas também a recomendam para regularizar o trânsito intestinal e controlar a glicemia. Por fim, estudos mostram que as gorduras insaturadas presentes na semente de gergelim agem de forma positiva na regulação do colesterol e do triglicérides.

Tofu

O queijo de soja, mais conhecido como tofu, apresenta maior quantidade de cálcio do que o leite. Enquanto 100 g de leite contêm 100 mg de cálcio, em 100 g de tofu há 159 mg de cálcio. Esse derivado da soja também é rico em proteínas, fósforo e magnésio. Para completar, ele ainda oferece poucas calorias: apenas 70 kcal em 100 g.

Fonte: Portal Minha Vida