Compartilhar no facebook
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

Benefícios do óleo de prímula

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

A prímula (Oenothera biennis) é indicada nos casos de alcoolismo,
arteriosclerose, artrite reumatoide, asma, cistos no peito, colesterol alto, câncer de mama, colite, eczema, enxaqueca, esclerose múltipla, esquizofrenia, feridas, hiperatividade, hipertensão, ressacas, tensão pré-menstrual (TPM), tosse e úlceras.

A prímula contém um óleo perfumado que desempenha um papel importante para a saúde natural. O óleo da semente de prímula contém ácido gamalinolênico (GLA), um ácido graxo ômega 6 que o corpo utiliza para fabricar uma prostaglandina vital para aliviar inflamações e fortalecer o sistema imune. Também ajuda a manter o sangue fluindo livremente, reduz a pressão arterial elevada, desempenha um papel importante na redução do cânceres de mama, além de reduzir o colesterol alto.

O óleo da semente de prímula pode ser tomado de forma complementar ou usado como uma salada de vegetais ou molho. Também é usado no tratamento da pele. Combinado com outros óleos, pode ser uma excelente base para tratar a pele danificada e doenças de pele. Também ajuda a prevenir o envelhecimento precoce da pele, retardando o aparecimento de rugas e pés de galinha. Não deve ser esquentado.

O óleo da semente de prímula pode ajudar significativamente a diminuir a dor da artrite e reduzir a inflamação, especialmente nos casos de artrite reumatoide, devido ao seu teor de ABL. Pesquisas também mostram que os níveis de GLA presentes no óleo de prímula são úteis no combate a artrite, eczema e tensão pré-menstrual (TPM).

Cientistas identificaram que o óleo de prímula pode ser efetivo contra tumores de mama. A substância presente no óleo chamada ácido gamalinolênico (GLA) atua da mesma forma nos cânceres da mama que drogas famosas utilizadas para este fim. O GLA interfere no gene que carrega o código DNA necessário para que o receptor funcione.

O ácido gamalinolênico (GLA) é um ácido gorduroso poliinsaturado que ajuda a proporcionar energia para o corpo e supre as gorduras estruturais presentes no cérebro, músculos, medula óssea e membranas das células. As prostraglandinas agem como um hormônio e são produzidas por quase todos os tecidos do corpo. Uma deficiência na produção desses ácidos graxos pode resultar em uma maior demanda de tempo para a coagulação sanguínea, debilitando o sistema imune, causando inflamação e rompimento de transmissão de impulsos de nervo. O óleo das sementes é útil para doenças relacionadas à deficiência de ácido gorduroso essencial ou à inabilidade do organismo para metabolizar ácidos gordurosos essenciais.

As raízes da planta foram esfregadas nos músculos de nativos americanos para proporciona-lhes forma. A planta inteira foi usada como cataplasma para feridas. As folhas jovens, flores, sementes maduras e raízes são comestíveis. As raízes às vezes apresentam gosto azedo. A planta é composta de ácido gamalinolênico, ácidos gordurosos essenciais (oleico, palmítico, esteárico), cálcio e vitamina B. A erva pode ser contraindicada para pessoas que sofrem de epilepsia.

Texto adaptado. Fonte: Plantas Medicinais e Fitoterapia