Compartilhar no facebook
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

Acredite: os olhos azuis não têm na verdade a cor azul

O que faz os olhos terem uma cor – seja azul, verde, castanho – é muito mais misterioso do que você pode imaginar.

O que será que acontece para uma pessoa nascer com olhos azuis, verdes, castanho ou até mesmo cinza?

Algumas cores, como são mais raras, tendem a chamar mais atenção, e, por isso, despertam o interesse de tanta gente.

Neste artigo, falaremos como os olhos se estruturam para formar cada pigmentação.

Antes de mais nada, é importante saber que o círculo colorido em torno da nossa pupila se chama íris.

A íris é composta por duas camadas de células:

– Camada frontal, que é conhecida como “estroma”.

– Camada traseira, que é conhecida como “epitélio”.

O estroma é formado por fibras de colágeno incolor, ou seja, muito raramente contém a pigmentação marrom da melanina.

Trata-se de um delicado entrelaçamento de fibras – algumas circundam a íris, enquanto a maioria irradia para a pupila.  

O epitélio, por outro lado, é uma camada que tem a espessura de duas células.

Ele sim tem pigmentação preto-marrom escuro.

Entendendo isso, podemos analisar o que faz com que os olhos tenham cores diferentes.

Castanho

Nos olhos castanho, o estroma contém uma alta concentração de melanina.

É por isso que eles absorvem a maior parte da luz, o que cria um tom marrom-escuro. 

Castanho claro

Em olhos com tons mais claros de castanho, o estroma contém uma quantidade moderada de melanina.

Isso faz com que, às vezes, a íris pareça ser verde ou amarelada.

Nesta cor de olhos, uma boa parte da luz é espalhada de volta à atmosfera pelo estroma.

Verde

Olhos verdes não têm muita melanina, mas também não têm depósitos de colágeno. Isto significa que, enquanto uma parte da luz que entra é absorvida pelo pigmento, as partículas no estroma também dispersam luz como resultado de algo chamado “efeito Tyndall”, que cria uma tonalidade azul (semelhante ao efeito “dispersão de Rayleigh” que torna a aparência do céu azul). Combinado com a melanina castanha, isto resulta em olhos verdes.

Nos olhos verdes, o estroma contém uma pequena quantidade de melanina.

Além disso, eles não têm depósitos de colágeno.

Mas o que exatamente faz essa pequena quantidade de melanina/marrom se misturar para criar cor verde?

A resposta: a luz azul nos olhos é gerada por um fenômeno semelhante ao que torna o céu azul.

efeito Tyndall é a dispersão da luz por pequenas partículas flutuando em uma solução líquida. A estrutura de fibra do estroma dispersa a luz de maneira semelhante, tendendo a dispersar a luz de comprimento de onda curto mais do que a luz de comprimento de onda longo.

Assim, no caso dos olhos verdes, o olho não contém pigmentos dessa cor, mas combina a luz azul do efeito Tyndall com a melanina marrom, criando a tonalidade verde.

Azul

Nos olhos azuis, não há melanina presente no estroma. 

O estroma é totalmente incolor até a luz entrar.

Quando a luz entra, é dispersa e refletida de volta ao espaço.

Não por acaso, tanto a tonalidade dos olhos azuis como a dos verdes dependem da qualidade e quantidade de luz disponível no ambiente.

Esse fenômeno que determina a cor, sem que haja realmente a presença da pigmentação dela, chama-se “coloração estrutural”.

E, acredite, ele está presente tanto no reino animal quanto no reino vegetal.

Cinza

Olhos cinzentos são extremamente raros.

Como os azuis, eles também não contêm melanina.

E qual seria a diferença?

Acredita-se que ela está no excesso de colágeno presente no estroma, que interfere na dispersão Tyndall, bloqueando a aparência de tons de azul e refletindo a tonalidade cinza.

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

DEIXE SEU COMENTÁRIO

VEJA TAMBÉM