Compartilhar no facebook
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

8 sinais que indicam que você tem síndrome de fadiga crônica – e como se livrar do problema com tratamentos naturais!

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

A síndrome de fadiga crônica (SFC) é um distúrbio difícil de ser tratado, sendo comumente confundido com fibromialgia e depressão.

Talvez por isso somente em 1988 que a SFC foi reconhecida como doença.

Desde então, muitos estudos foram feitos para entender o problema.

Estima-se que milhões de pessoas sofram de SFC no Brasil, mas a grande maioria não sabe.

E é aí que entramos!

Neste post, apresentaremos os sintomas mais comuns e os truques que você deve fazer para reverter essa síndrome.

Os tratamentos mais indicados são a psicoterapia e alguns exercícios.

É muito importante também garantir os nutrientes certos, como coenzima Q10 e D-ribose, para manter o corpo energizado.

Os sintomas são:

  • Extrema fadiga e fraqueza
  • Dificuldade para manter uma postura certa, tonturas, problemas de equilíbrio e desmaios
  • Dor muscular e articular
  • Dor de cabeça crônica
  • Entorpecimento e formigamento nas extremidades
  • Insônia ou sono excessivo, suores noturnos
  • Doenças gastrointestinais
  • Irritabilidade, depressão e mudanças de humor

Note que esses sintomas lembram muito os de outras doenças, como fibromialgia.

Então é possível que os médicos não consigam diagnosticar.

Os pesquisadores ainda estão estudando as possíveis causas desses sintomas, mas sabem que têm algo a ver com a disfunção mitocondrial e a queda de imunidade.

É justamente por isso que os seguintes nutrientes devem fazer parte do tratamento:

1. Coenzima Q10

Ela é usada como uma estratégia para aumentar a produção de energia em cada célula do corpo.

Em geral, ajuda a manter os altos níveis de energia, longevidade e boa qualidade de vida.

Também ajuda a proteger contra danos celulares causados pelos radicais livres.

É facilmente absorvido.

Isso acontece porque sua taxa de absorção parece ser baseada na demanda metabólica do corpo.

E isso é muito positivo porque, se você estiver saudável, absorverá menos e, quando estiver doente, absorverá mais.

2. D-Ribose

Como componente estrutural do trifosfato de adenosina (ATP), a D-ribose está envolvida na síntese de energia nas células.

Ou seja, é uma ótima estratégia para aumentar a energia, pois cerca de 97% do composto é absorvido no sangue e distribuído rapidamente nos tecidos do corpo.

Em relação à dose, o recomendado é entre 3 e 5 gramas por dia.

3. Glutationa

A glutationa protege as mitocôndrias dos efeitos causados pelos radicais livres.

Além disso, ela é responsável por aumentar a imunidade e eliminar as toxinas, que possivelmente são responsáveis pela diminuição de energia do corpo.

E tem mais!

A sua propriedade antioxidante também ajuda a prevenir e aliviar as dores.

A glutationa na forma de suplemento tem absorção ruim.

Por isso o melhor a fazer é consumi-la através de alimentos com alto teor de enxofre ou selênio, pois eles estimulam a produção de glutationa no corpo.

Além de consumir esses nutrientes, faça o seguinte:

1. Exercícios

Atividades aeróbicas com treinamento de força combatem as dores e a fadiga.

2. Dieta noturna

Não sobrecarregue seu aparelho digestivo antes de ir para a cama.

Consuma a última refeição do dia entre três e seis horas antes de dormir.

3. Saúde mental

Além da psicoterapia, recomendamos que você tente técnicas de liberação emocional para ajudar a normalizar seu circuito bioenergético.

DEIXE SEU COMENTÁRIO