Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on telegram

8 dicas de famoso médico francês para você ter uma saúde de ferro

professor francês Henri Joyeux explica sobre saúde de ferro

Quem não quer ter uma saúde de ferro?

Não tem nada melhor do que uma pessoa com a imunidade alta e cheia de vigor e saúde de ferro.

O professor francês Henri Joyeux, médico e autor de vários livros sobre saúde, tem grande compromisso com o assunto e já deu várias dicas para que possamos prevenir doenças e garantir a qualidade de vida.

Esse renomado médico especialista em câncer é reconhecido no mundo todo e, por isso, resolvemos compartilhar algumas de suas dicas de ouro.

Confira como ter uma saúde de ferro:

1. Atividade física

Esta não podia faltar na lista de cuidados com a saúde, não é verdade?

O exercício físico promove regularmente a transpiração e, consequentemente, a eliminação de toxinas.

Além disso, a atividade física melhora o humor, reduz a gordura e ajuda na perda de peso, preservando e fortalecendo a massa muscular.

Duas sessões de 30 minutos de exercícios por semana é o suficiente, segundo o doutor Henri Joyeux.

2. O peso

Manter um peso saudável é essencial para o bom funcionamento do corpo.

Quando estamos com excesso de gordura, por exemplo, temos grandes chances de desenvolver doenças, como diabetes, problemas cardiovasculares, respiratórios e reumatológicos…

Isso tudo sem falar das consequências psicológicas.

Por isso, é importante prestar atenção ao seu peso, sem seguir dietas malucas.

Segundo o médico, devemos evitar bebidas alcoólicas, leite de vaca, açúcar, fritura e alimentos industrializados.

3. Gravidez

Com o passar do tempo, a fertilidade da mulher diminui e a possibilidade de complicações durante a gestação aumenta.

Por isso é aconselhável respeitar o relógio biológico e ter filhos antes dos 30 anos de idade.

Outra dica é sobre o tempo que a mulher amamenta.

Depois que o bebê nasce, é preciso que ele amamente até os 6 meses (no mínimo), e alterne entre amamentação e outros alimentos até 2 anos, conforme recomendado pela Organização Mundial da Saúde ( OMS ).

Isso ajuda a preservar o sistema imunológico da criança e proteger a mãe contra o câncer de mama.

4. Cigarro

O tabaco é uma das principais causas  de doenças respiratórias, distúrbios da bexiga, problemas vasculares, cardíacos e cerebrais, câncer e morte.

A boa notícia é que ele pode ser simplesmente evitado.

Portanto, se você ainda fuma, fuja disso!

5. Hidratação

Além de beber água durante o dia todo, procure consumir chá de ervas diariamente.

Por exemplo, pela manhã, misture alecrim, sálvia e hortelã e beba uma xícara.

À noite, procure fazer um chá de alecrim, camomila ou tília.

Essas bebidas hidratam e nutrem o corpo.

Por outro lado, evite refrigerantes e bebidas açucaradas.

6. Laticínios

Escolha produtos lácteos à base de leite de cabras e ovelhas saudáveis ou cálcio vegetal.

Você pode produzir leites vegetais com amêndoas, gergelim ou sementes de girassol.

Como já dissemos, leite de vaca não é uma boa ideia.

Ele pode aumentar o risco de doenças, afinal, leite de vaca foi feito para um filhote grande, como um bezerro, e não para nós, humanos.

7. Frutas e legumes

Frutas, verduras e legumes são essenciais para o corpo.

O mais indicado é consumir esses alimentos orgânicos, isso porque evitamos efeitos colaterais e desfrutamos o máximo de nutrientes.

Não abra mão deles por nenhum lanchinho industrializado.

Sua saúde agradece.

8. Cozimento

Para preservar os nutrientes dos alimentos, escolha o método certo de cozinhar.

Ou seja, aquele com o vapor suave .

Esta técnica, em que a comida é cozida em baixa temperatura, ou seja, a menos de 95-97 ° C, preserva o sabor e a textura dos alimentos, além de ser muito mais saudável.

Atenção a outra fica: quanto mais durar o cozimento – mesmo em baixas temperaturas – maior o risco de perder os nutrientes.

Portanto, é bom saber equilibrar o tempo e a temperatura.

O ideal é cozinhar os legumes e verduras por 5 minutos em fogo baixo.

Para grãos inteiros, carnes e peixes, o tempo e o volume de água necessários podem variar.

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email

DEIXE SEU COMENTÁRIO

VEJA TAMBÉM