PUBLICIDADE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

7 dicas naturais para aliviar os sintomas do refluxo gastroesofágico

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Com estas dicas naturais, você vai conseguir uma grande redução dos sintomas ou até mesmo parar de sofrer com o refluxo gastroesofágico.   

Você tem refluxo? 

Os sintomas do refluxo são muito comuns e o número de pessoas que sofrem com esse desequilíbrio digestivo está crescendo devido ao estilo de vida moderno. 

Seja por causa da alimentação inadequada, do estresse ou da posição em que dormem, há muita gente que procura métodos para diminuir a hiperacidez no estômago. 

A hiperacidez provoca uma sensação muito desagradável, como se um queimor saísse do estômago até o peito. 

Em situações mais delicadas, o mal-estar semelhante a uma bola de fogo se move e chega até a garganta. 

Nem sempre o refluxo é sinal de grandes problemas com a saúde. 

Contudo, caso se torne constante e crônico, ele pode provocar a doença do refluxo gastroesofágico, também conhecida como DRGE. 

A DRGE acontece quando o ácido produzido pela bile ou estômago não segue o fluxo digestivo normal, retornando ao esôfago. 

Esse retorno involuntário gera inflamação no tubo alimentar. 

O desequilíbrio no sistema digestório provoca alguns sintomas, como: 

  • Arroto 
  • Azia 
  • Flatulência 
  • Indigestão 
  • Mau hálito 
  • Náusea 
  • Regurgitação 
  • Rouquidão 
  • Vômito 

Para evitar esses sintomas e manter seu sistema digestório saudável sem utilizar medicamentos, anote as dicas a seguir. 

Adote alimentação balanceada 

É importante que comece observando a quantidade de comida que está ingerindo em cada refeição e se sua mastigação está regular. 

Isso torna possível uma digestão saudável com o controle do ácido gástrico e o aumento na produção de saliva. 

Além disso, comer pelo menos três horas antes de ir dormir pode evitar a piora dos sintomas. 

Perca de peso 

Acima do estômago está o diafragma e esse músculo é fundamental para evitar que o ácido gástrico suba até o esôfago. 

Porém, esse processo não ocorre da maneira adequada quando há excesso de gordura no corpo. 

Experimente dieta low-carb 

A dieta low-carb, em que há um baixo consumo de carboidratos, está cada vez mais famosa na comunidade fitness devido às vantagens que proporciona ao corpo. 

Entre seus benefícios, está a sua ação no combate aos sintomas do refluxo gastroesofágico. 

O consumo de carboidratos pode gerar inchaço e gases com maior frequência. 

Adquira o hábito de mascar chiclete 

Mascar chiclete é um excelente hábito para o sistema digestório desde que seja realizado com moderação. 

Ao mascar, é possível aumentar a produção de saliva e limpar o ácido gástrico do esôfago. 

Procure uma goma de mascar sem açúcar, o mais natural possível.

Durma na posição certa  

É comum as pessoas sentirem mais os sintomas do refluxo durante a hora de dormir, dificultando ter um sono de qualidade. 

Isso acontece pela posição em que o corpo está, podendo facilitar o desequilíbrio digestório com a ação da gravidade. 

Para evitar os sintomas durante o sono, você deve posicionar o seu corpo apoiando-o para o lado esquerdo. 

Caso se posicione para o lado direito, o ácido gástrico terá facilidade em se locomover até o esôfago. 

Evite salada com cebola crua 

O elevado nível de fibra presente nas cebolas é capaz de aumentar os sintomas do refluxo do suco gástrico. 

Esse desequilíbrio digestório é agravado pela irritação e inflamação no tecido do esôfago.  

Com o esôfago inflamado, o refluxo possui o ambiente propicio para se tornar crônico e dificultar o tratamento. 

Beba água de limão

Este é um dos melhores remédios para tratar o refluxo.

Esprema um limão e beba nestes horários: antes do café da manhã, antes do almoço e, por fim, antes do jantar.

Isso com certeza vai ajudar a reduzir o refluxo gástrico.

Mais Lidas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a nossa Política de Privacidade.