PUBLICIDADE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

6 sinais de esgotamento emocional que não devem ser ignorados

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Conheça agora seis dos principais sinais que apontam quadro de esgotamento emocional, entenda o que é essa condição e saiba como combatê-la.

O chamado esgotamento emocional é uma condição grave que se caracteriza por um estado de estresse prolongado e excessivo experimentado por determinado indivíduo.

Para simplificar, é como se a pessoa acometida não conseguisse relaxar em momento algum.

Alguns especialistas associam o esgotamento emocional quase que inteiramente a problemas vividos na vida profissional da pessoa doente, chamando a condição de síndrome de Burnout.

O fato é que o esgotamento emocional é, sem dúvida, o resultado de uma série de fatores, indo bastante além de apenas problemas na vida profissional.

E, se não for identificado e tratado, o esgotamento emocional pode evoluir para quadros de ansiedade crônica e até depressão.

Neste artigo nós apresentaremos seis sinais que o esgotamento emocional dá quando está se instalando no corpo e na mente de uma pessoa.

6 sintomas de esgotamento emocional

Memória fraca ou falta de memória

Pessoas que antes eram muito ativas e com uma “memória de elefante” tendem a perder essas características quando estão emocionalmente desgastadas.

Os fatores causadores do esgotamento emocional, como o estresse, principalmente, liberam substâncias nocivas que danificam estruturas neurológicas relacionadas com a memória.

Quanto mais sobrecarregada emocionalmente uma pessoa estiver, mais “esquecida” ela será e mais precisará dos lembretes do celular.

Falta de vontade de sair

A apatia é uma característica clássica das pessoas que estão se afundando em um quadro emocional ruim.

Pessoas nessa condição que antes gostavam de sair e se divertir com os amigos podem agora preferir ficar em casa assistindo a séries e filmes, por exemplo.

As sensações criadas pelo cérebro da pessoa com esgotamento emocional indicam que ficar longe de outras pessoas é mais satisfatório do que ter que interagir.

Se você ou alguém que você conhece se encontra nessa situação, é importante pedir ajuda.

Dores de cabeça constantes

A mente de alguém esgotado emocionalmente simplesmente não para.

O volume intenso de informações e o bombardeio de substâncias nocivas que o cérebro recebe podem provocar fortes e constantes dores de cabeça.

Além disso, o esgotamento emocional também provoca tensão muscular, por estar associado à ansiedade.

Quando há uma tensão exagerada e contínua da musculatura da parte superior das costas, pescoço e cabeça, dores de cabeça podem acontecer.

Dificuldade para assimilar conteúdos e/ou estudar

A área cognitiva do cérebro é uma das primeiras afetadas por quadros emocionais instáveis.

Essa condição faz com que altas quantidades de cortisol, o hormônio do estresse, sejam liberadas no cérebro.

E é justamente na área do cérebro que cuida da cognição que a maior quantidade desse hormônio perigoso fica.

Entre as funções cognitivas, estão a percepção e a atenção, que são fundamentais para o estudo e a assimilação de conteúdos.

Pessoas emocionalmente esgotadas, que outrora estudavam e davam atenção a tudo e a todos, agora não conseguem sequer assistir a uma aula.

Crises de choro sem motivo aparente

A face mais cruel do esgotamento emocional é que ele tende a prender a vítima nas piores emoções.

Esses indivíduos não ficam estáveis para o “lado bom” e já não conseguem produzir emoções boas.

Pelo contrário, sempre são vistos tristes e, em casos mais graves, chorando sem motivo aparente.

Crises emocionais que levam a choro e demonstrativos de profunda dor e angústia são realmente alarmantes, porque podem estar indicando que a pessoa está evoluindo de um esgotamento emocional para um quadro de depressão.

O sono não é suficiente

Não é incomum ouvir alguém dizer que “acordou cansado”, não é mesmo?

Acontece que a alta quantidade de substâncias, como o já citado cortisol, presentes no organismo do esgotado emocionalmente não deixa o seu cérebro “desligar”.

A pessoa até consegue ficar inconsciente, mas não consegue relaxar completamente porque o seu “motor” central permaneceu “funcionando” de alguma forma durante as horas de “sono”.

O que fazer?

Se você reconheceu esses sinais em si mesmo(a) ou em alguém que você conhece, entenda que o mais indicado é procurar ajuda profissional para iniciar tratamentos terapêuticos.

Mas existem algumas atitudes que podem ser tomadas para evitar a exaustão emocional.

São elas:

  • Tentar dormir mais
  • Procurar praticar atividades que você goste e se preocupar mais com você mesmo(a)
  • Praticar exercícios físicos
  • Desabafar sobre seus problemas com pessoas em quem confia
  • Ter mais compaixão por si próprio(a)

A adoção de alguns hábitos saudáveis, associada a um acompanhamento profissional qualificado, tende a melhorar a qualidade de vida e livrar esgotados emocionais de doenças psicológicas mais graves.

Mais Lidas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a nossa Política de Privacidade.