PUBLICIDADE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

3 doenças que você pode ter com o hábito de segurar o xixi

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Entenda tudo que está relacionado ao ato de urinar e o que pode acontecer no seu corpo se você “segurar” a urina quando a vontade de fazer xixi vier.

Urinar é uma das chamadas necessidades fisiológicas do corpo humano.

Os rins, bexiga, dutos e demais “peças” do nosso sistema urinário são os responsáveis por eliminar o líquido que conhecemos como “xixi” ou, mais pejorativamente, “mijo”.

Essa substância é uma mistura de muitos outros compostos, como o ácido úrico, e também possui uma flora de microrganismos.

A bexiga, que é o órgão responsável por “estocar” a urina, possui uma capacidade média de meio litro, podendo chegar a ter até o dobro disso.

Quando vem a vontade e ficamos “apertados”, é um sinal de que a capacidade da bexiga se esgotou e que o corpo precisa se livrar do excesso de urina.

O xixi é, portanto, um subproduto do organismo humano e precisa ser eliminado periodicamente.

Mas, além do processo natural que produz a urina, ingerir muito líquido pode aumentar o seu volume.

E em alguns momentos a vontade vem e não dá para urinar na hora, gerando a seguinte dúvida:

Afinal, segurar o xixi pode fazer mal?

Descubra agora!

Demorar para urina faz mal à saúde?

Definitivamente, essa não é uma prática benéfica.

A bexiga pode, tecnicamente, segurar a urina pelo tempo que o indivíduo quiser.

Acontece que um músculo chamado esfíncter uretral é o responsável por “travar” a saída do líquido até a uretra, que é o canal por onde o xixi é eliminado.

Mas, como foi dito, a urina é um subproduto do corpo humano e surge de um processo de limpeza complexo.

Impurezas encontradas no sangue, por exemplo, são incluídas na urina para então serem descartadas.

Além disso, o potencialmente tóxico ácido úrico também é um composto amplamente encontrado no líquido, além de uma variedade absurda de bactérias.

Por tudo isso, segurar a urina pode sim trazer males à saúde.

Conheça alguns:

Formação de pedras nos rins

A urina é repleta de elementos que devem ser eliminados o mais rápido possível do corpo, justamente para que não causem danos à saúde do indivíduo.

Quando o líquido não é eliminado e permanece no sistema urinário por muito tempo, essas substâncias que podem ser gorduras, por exemplo, vão sedimentar e calcificar dentro dos rins, formando pequenas pedras.

E as pedras nos rins são uma condição muito incômoda, que em muitos casos exige até mesmo intervenção cirúrgica como forma de tratamento.

Infecções urinárias

As bactérias e fungos presentes na urina podem causar infecções severas no sistema urinário se o xixi não for eliminado.

Um maior período de permanência desses micróbios no corpo favorece a sua proliferação.

Além disso, quando a sensação de ficar “apertado” vem, há o indicativo de que a bexiga está muito cheia.

E quanto mais cheia a bexiga estiver, menos pressão o sistema urinário terá para eliminar o xixi.

Com isso, ao finalmente “aliviar” essa pressão, pequenas porções de urina poderão permanecer no interior da bexiga, porque o órgão não conseguirá relaxar completamente.

Havendo a permanência de urina na bexiga, infecções podem acontecer.

Incontinência urinária (bexiga baixa)

Ter o hábito de demorar para urinar faz com que a bexiga “relaxe” demais, por assim dizer.

Acontece que o excesso de líquido no interior do órgão faz com que ele perca a sua capacidade elástica e danifica o esfíncter uretral também.

Com o passar dos anos, não será mais possível “segurar” o xixi.

Dicas

Em primeiro lugar, jamais negligencie os sinais do seu corpo e, assim que a vontade vier, vá ao banheiro mais próximo.

Além disso, beber pelo menos dois litros de água por dia fará com que o seu sistema urinário trabalhe mais aliviado.

Uma pessoa saudável sente vontade de urinar pelo menos seis vezes ao dia ou a cada quatro horas.

Doenças como diabetes, por exemplo, ou o hábito de beber mais líquido que o normal podem aumentar esse fluxo urinário.

De toda forma, segurar a urina nunca é uma boa opção.

Para aqueles que sofrem com incontinência urinária, existem exercícios para o fortalecimento do músculo pélvico que são usados como tratamento.

Tais exercícios também podem ser usados como prevenção de problemas futuros.

Casos mais graves tanto de incontinência quanto de dificuldades para urinar deverão ser analisados por um médico especialista.

Mais Lidas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a nossa Política de Privacidade.